Meia brasileiro é ídolo no clube francês e dá dicas ao são-paulino antes de sua chegada

Nenê tem sido destaque no PSG
Getty Images
Nenê tem sido destaque no PSG

Lucas Rodrigues Moura da Silva tem apenas 19 anos e já adquiriu a responsabilidade de cumprir com as expectativas geradas pela quantia de 43 milhões de euros ( R$ 108,3 milhões) que o Paris Saint-Germain depositou à vista nos cofres são-paulinos . Contratado pelo clube francês na maior venda da história do futebol brasileiro, o camisa 7 tricolor se unirá a ícones do esporte mundial e terá no meia Nenê o espelho do que a torcida parisiense espera de seu rendimento no Velho Continente.

Ídolo absoluto na capital francesa, Nenê já disputou 132 partidas pelo PSG e deixou a sua marca em 61 oportunidades diferentes. Mesmo assim, o armador admite que a briga por uma vaga entre os titulares será maior com a chegada do seu compatriota. "O Lucas é um jogador muito experiente e não vejo motivos para ele não se garantir entre os principais atletas do clube. Certamente a concorrência ficará mais forte. Eu o admiro muito. É um jogador de uma qualidade impressionante e que só vai nos ajudar neste ano", elogiou o meia.

A expectativa de já contar com Lucas no elenco e fortalecer ainda mais o milionário time francês nos campeonatos deste ano não foi manifestada apenas por Nenê. Perto da estreia do PSG na temporada 2012/2013, o brasileiro contou que o assunto na concentração de sua equipe girou em torno da surpreendente aquisição da diretoria. O susto tomado por nomes de destaque no futebol europeu se deve em grande parte à etapa avançada que se encontrava a negociação entre Manchester United e o Tricolor paulista. "A gente estava conversando sobre a negociação do Lucas e o pessoal ficou surpreso por ele ter preferido vir para cá. Todos nós já pensávamos que ele já tinha acertado com o Manchester. Mas ficamos feliz que ele escolheu o nosso time e temos certeza que o Thiago Silva também deu uns toques para ele aceitar a proposta. Paris é uma cidade muito melhor e o nosso time está pronto para recebê-lo", comentou o bem-humorado armador.

A questão envolvendo a cidade que Lucas escolheria para morar na Europa foi, inclusive, um dos pontos mais abordados por seu empresário, Wagner Ribeiro. O agente já havia declarado que considerava Manchester um lugar "deprimente" e que isso poderia influenciar no rendimento de seu cliente dentro de campo. Contudo, Paris também reserva os seus desafios e exigirá do jogador uma personalidade forte a partir de janeiro de 2013 - data estipulada para o meia reforçar o PSG.Morador da capital francesa desde 2010, Nenê acredita que seu novo companheiro de clube não encontrará dificuldades para se adaptar ao futebol de seu país, uma vez que os principais obstáculos a serem superados estarão fora dos gramados. Entre os problemas que atormentarão Lucas no início de sua estadia na Europa, as dificuldades em compreender a língua estrangeira e as intensas variações climáticas exigirão um amadurecimento ainda maior do jovem atleta em seu mais novo lar.

"Eu aconselho o Lucas a já ir se preparando para o frio que ele vai encontrar aqui em janeiro. Vai ser doído para ele aguentar. O idioma também vai complicar um pouco para ele neste início. Mas a França não é um lugar difícil de se adaptar e, fora isso, nós temos vários brasileiros e argentinos que estarão prontos para dar todas as dicas que ele vai precisar para mostrar o que sabe jogar no PSG", destacou.

Com a missão de superar os entraves fora do campo, Lucas também precisará fazer jus ao alto valor que foi investido em sua contratação. O armador ocupa a reserva da Seleção Brasileira olímpica que tenta a inédita medalha de ouro nas Olimpíadas de Londres e sequer chegou a uma decisão de campeonato no período em que defendeu o São Paulo. Entretanto, o jogador carrega consigo o bom desempenho que teve no Sul-americano sub-20, em 2011. Ao lado de Neymar, o atleta se destacou no meio-campo canarinho e levou o País ao título da competição.

Com o respaldo da diretoria e das estrelas do Paris Saint-Germain, o atleta se unirá ao elenco comandado pelo italiano Carlo Ancelotti para ajudar o time a buscar o seu principal objetivo no ano: o título inédito da Liga dos Campeões. Enquanto isso, Nenê segue com o seu futuro indefinido na França e, caso acerte a sua saída do clube europeu, poderá deixar a cobiçada camisa 10 à espera do novo candidato a ídolo do torcedor francês.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.