Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google

Roberto Mancini critica diretor do Manchester City por falta de reforços

Treinador

Agência Estado |

Agência Estado

O técnico Roberto Mancini demonstrou nesta sexta-feira publicamente sua insatisfação pela falta de contratações do Manchester City . A equipe inglesa, conhecida pelos investimentos milionários em jogadores desde que foi comprada pelo xeque Mansour bin Zayed bin Sultan Al Nahyan, em 2009, não trouxe nenhuma novidade para a próxima temporada.

Leia também: Com Liverpool e Inter de Milão, Uefa define playoffs da Liga Europa

EFE
Roberto Mancini indicou reforços, mas não foi atendido

A ausência de reforços não se deve necessariamente ao contentamento de Mancini com o time campeão inglês. O técnico pediu as contratações do zagueiro Agger, do Liverpool, do volante De Rossi, da Roma, e dos atacante Van Persie, do Arsenal, e Adebayor, do Tottenham. Não recebeu nenhuma e disparou críticas ao diretor esportivo do City, Brian Marwood.

"Depois de quatro meses [do fim da última temporada], não sei o que dizer. Você precisa perguntar a Brian Marwood. Não sou o diretor esportivo e não posso dizer nada sobre jogadores", disse Mancini. "Temos uma boa equipe, mas você precisa continuar a melhorar em todos os sentidos."

Marwood reduziu os investimentos do City por conta das regras financeiras impostas pela Fifa ao clube inglês depois das contratações milionárias das últimas temporadas, como as do atacante Mario Balotelli junto à Inter de Milão, por 25 milhões de libras (R$ 78,8 milhões), do volante Taya Touré, ex-Barcelona, por 30 milhões de euros (R$ 74,3 milhões) e do atacante Sergio Aguero, ex-Atlético de Madri, por 45 milhões de euros (R$ 111,4 milhões).

Uma forma de o City conseguir recursos para contratar seria vender Balotelli, envolto em uma série de problemas disciplinares, mas Mancini revelou que pediu que a diretoria recusasse todas as propostas que chegaram ao italiano ao fim da última temporada. "Ele é jovem e temos que certeza que pode melhorar", elogiou.

Quem assumiu o papel do City no mercado de transferências é o Paris Saint-Germain, novo rico da Europa depois que foi adquirido pelo xeque Nasser Al-Khelaifi, em 2011. Só no último mês, o clube gastou 140 milhões de euros (R$ 346,7 milhões) para contratar o zagueiro Thiago Silva e o atacante Ibrahimovic, ambos ex-Milan, o atacante Lavezzi, ex-Napoli, o meia Verratti, do Pescara, e o atacante Lucas, do São Paulo.

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG