Tamanho do texto

Clube reclamou de pênalti em derrota para o Bahia, pela 12ª rodada, e árbitro do jogo é aconselhado a passar por 'atualização'

Ciro, do Bahia, briga pela bola com o palmeirense Wellington
Futura Press
Ciro, do Bahia, briga pela bola com o palmeirense Wellington

O Palmeiras recebeu uma resposta positiva em relação à reclamação que fez contra o árbitro Antonio Schneider na derrota por 2 a 0 para o Bahia , pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. O ouvidor de arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Aristeu Leonardo Tavares, enviou ofício ao clube paulista em que reconhece um "erro grave" do juiz.

Comente esta notícia e deixe seu recado para outros torcedores

O lance em questão aconteceu aos nove minutos do segundo tempo, quando Barcos dominou no peito na segunda trave, mas a bola tocou nas mãos do volante Fabinho e ficou fora do alcance do argentino. O árbitro considerou a jogada normal, e a ouvidoria contestou a decisão.

De acordo com a análise do ouvidor, a bola escorou primeiramente de forma acidental no braço do jogador, mas, em seguida, Fabinho "segura a bola com as duas mãos de maneira intencional, portanto, neste caso, deveria ter sido marcado falta na área penal (pênalti) contra a equipe do Bahia. Foi um erro grave do árbitro do jogo!".

Leia ainda: Diretoria cofirma que Palmeiras vai protestar na CBF contra arbitragem

Por conta do lance, o responsável pelo parecer propôs que Antonio Schneider passe por "uma atualização com vistas a sua melhor interpretação" em relação às jogadas de mão intencional ou involuntária. O documento foi encaminhado à CBF, à comissão de arbitragem da entidade, à Federação Paulista de Futebol (FPF) e ao Palmeiras.

Agora, cabe à organização máxima do futebol nacional decidir se acata a sugestão da ouvidoria. Os outros lances descritos na reclamação do Palmeiras não foram acatados por Aristeu Leonardo Tavares.

As reclamações em relação à arbitragem estão aumentando por parte do Palmeiras. Sempre que se sente prejudicado em campo, o clube segue todas os trâmites burocráticos estabelecidos pela CBF. Ou seja, envia à FPF dois DVDs (um completo do jogo e outro editado com os lances polêmicos), além de um protesto por escrito. A análise sempre é feita pelo ouvidor, que responde se concordou com as críticas ou não, decidindo sobre a possibilidade de sugerir à comissão de arbitragem alguma punição.

Veja mais: Sem Eduardo, Palmeiras adota cautela sobre próximos reforços

Apesar da vitória por 2 a 1 na noite de quarta-feira, o Palmeiras deve encaminhar nos próximos dias mais um questionamento contra a arbitragem, por conta de um gol de Barcos que teria sido o terceiro da partida, mas foi anulado sob a alegação de impedimento.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.