Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google

Obina diz que vale sacrifício na marcação para viabilizar dupla com Barcos

Atacantes têm características parecidas e para Obina, esforço extra na defesa tem de existir para dupla dar certo

iG São Paulo |

Futura Press
Barcos comemora com Obina seu primeiro gol sobre o Botafogo

O atacante Obina percebeu que ajudar na marcação é um dos caminhos para garantir a vaga de titular do Palmeiras . Ciente de que o argentino Hernán Barcos é o titular na função de referência na área, o ex-flamenguista aceita jogar como segundo atacante, com a responsabilidade de voltar para marcar.

Após caneta e assistência, Fernandinho espera se firmar como meia no Palmeiras

Na partida contra o Botafogo, com vitória palmeirense , Obina foi visto com frequência na intermediária defensiva do Verdão, dando combate nos avanços do adversário, e prometeu manter a postura para viabilizar a dupla com o "Pirata".

Joinville renova com lateral direito até 2016 e frustra Palmeiras

"Neste momento, a gente tem de voltar um pouquinho mais, porque um de nós tem de marcar. O Barcos não tem tanto esta característica, e eu procuro ajudar na marcação. Voltei muito, mas isso é pelo time e pela vitória. Se for assim, vou marcar sempre para ajudar o Palmeiras", afirmou.

Diante do clube carioca, na noite de quarta-feira, Felipão manteve Barcos como centroavante titular, mas surpreendeu ao colocar Obina na vaga de Mazinho. No esquema do treinador, é normal que o segundo atacante tenha a incumbência de ajudar a defesa (Luan sempre foi muito elogiado pelo técnico por conta da aplicação tática).

Já o argentino, que é o artilheiro do clube na temporada, com 19 gols, também não está totalmente livre de responsabilidade, mas só é cobrado pelo comandante para dar o combate na saída de bola dos oponentes, justamente como aconteceu contra o Botafogo. Independentemente da ajuda no sistema defensivo, Obina ficou feliz pelas chances criadas também na frente no decorrer da vitória por 2 a 1 sobre o Botafogo.

"Pelo que tentamos fazer e pelas jogadas que criamos, claro que dá para jogarmos juntos. Vamos trabalhar cada dia que se passar para ficarmos mais entrosados", ponderou. No entanto, o jogador sabe que a palavra final será de Felipão, que também não descarta a dupla.

"É isso que queremos e a possibilidade existe, por tudo o que fizemos neste jogo, inclusive o Barcos marcou os dois gols da vitória. Agora, temos de ver o que o treinador pensa, porque ele comanda a equipe e sabe o que colocar em campo para fazer o Palmeiras vencer", concluiu.

Leia tudo sobre: palmeirasobinabarcosbrasileirão 2012

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG