Funcionário do clube invadiu o gramado no empate com o Atlético-MG, no dia 29 de julho

O roupeiro do Fluminense , Denílson Macedo, corre o risco de pegar até 12 jogos de suspensão e ainda levar uma multa cujo valor varia entre R$ 100 e R$ 100 mil por causa da sua invasão ao gramado do Engenhão no último dia 29 de julho, logo após o término do jogo em que o time carioca empatou por 0 a 0 com o Atlético-MG , pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro .

Deixe seu recado e comente a notícia com outros internautas

Macedo invadiu o gramado para protestar contra a arbitragem, pouco depois de um gol do atacante Fred ter sido anulado , aos 43 minutos do segundo tempo. O jogador estava em posição legal na jogada, mas foi assinalado impedimento, em um erro que acabou sendo decisivo para que o duelo terminasse empatado.

VEJA:  Marcos Junior deixa treino carregado e deve ser nova baixa no Flu

Roupeiro do Flu pode ficar em maus lençóis
Photocamera
Roupeiro do Flu pode ficar em maus lençóis

Revoltado, Macedo teria dirigido palavras de baixo calão ao árbitro Rodrigo Braghetto, que endossou a marcação errada do bandeira Vicente Romano no lance capital do confronto. O roupeiro ainda tentou agredir Romano e precisou ser contido pelos policiais e teria feito os seguintes xingamentos ao auxiliar: "Filho da p... sem vergonha, safado", segundo relatou a súmula do jogo.

MAIS:  Fluminense diz que não venderá Wallace para o Chelsea

O STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) confirmou na última terça-feira que Macedo foi enquadrado em dois artigos do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva). Por "ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto", ele será julgado no 243-F, que prevê multa de R$ 100 a R$ 100 mil, além de suspensão de uma a seis partidas. E ele ainda será julgado pelo 254-A, combinado com o 157, por "tentar praticar agressão física", que prevê punição de até mais seis jogos de gancho.

LEIA:  Conca promete à esposa retornar ao Fluminense após fim de contrato

Na confusão ocorrida no último dia 29, a identificação do roupeiro acabou sendo negada pelo supervisor do Fluminense, Rodrigo Henriques, que na ocasião disse que a punição ao funcionário seria uma decisão da própria diretoria do clube. O delegado daquela partida, a arbitragem e os policiais também não conseguiram identificá-lo, e Macedo acabou deixando o Engenhão antes que isso fosse possível.

VEJA A CLASSIFICAÇÃO COMPLETA DO CAMPEONATO BRASILEIRO

Por causa de sua participação no episódio, Rodrigo Hernandes será julgado junto com Macedo na próxima segunda-feira, às 18h (horário de Brasília), pelo STJD. Ele responderá pelo artigo 220-A, inciso I do CBJD, por "deixar de colaborar com os órgãos da Justiça Desportiva na apuração de irregularidades ou infrações disciplinares". O supervisor não corre risco de ser suspenso, mas pode levar uma multa que varia entre R$ 100 e R$ 100 mil.

Ajude o Fluminense a aumentar sua Torcida Virtual do iG Esporte

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.