Tamanho do texto

Treinos sairão de São Januário a partir de setembro. Estado do gramado tem comprometido toque de bola

Não é novidade no Vasco que o gramado de São Januário está deixando a desejar. Mesmo passando por reforma no começo do ano, o estado de conservação do campo vem prejudicando o desempenho do time, uma vez que a bola não rola da maneira como o time gosta. Mesmo sendo uma equipe competitiva, com a marcação começando lá na frente, o toque de bola é uma característica forte.

Deixe o seu comentário sobre o que você espera do Vasco no Brasileirão.

Para tentar não prejudicar ainda mais, o clube está de mudança. Ironicamente, a partir de setembro passa mandar seus treinos no CFZ, clube presidido por Zico, maior ídolo do rival Flamengo.

Carlos Alberto concede entrevista na sala de imprensa do Vasco
Hilton Mattos
Carlos Alberto concede entrevista na sala de imprensa do Vasco

A mudança está prevista para setembro. O clube do eterno ídolo rubro-negro fica no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio, próximo à Barra da Tijuca, onde mora a maioria dos jogadores de futebol na Cidade Maravilhosa. O percurso para o CFZ a partir de agora será feito em, no máximo, dez minutos.

Leia mais:  Vasco é um time entrosado dentro e fora de campo

Atualmente, da Barra para São Januário o percurso é superior a 20 quilômetros. E dependendo da hora, perde-se um tempo enorme com engarrafamento na Linha Amarela, principal via que une as duas regiões.

O meia Carlos Alberto é um dos mais críticos ao estado do gramado. E apoia a preservação do gramado.

Veja também:  Tenório marca 2 gols e preparador físico diz que ele pode jogar até 40 minutos

“O Campo do Vasco não está bom. Isso prejudica nosso estilo de jogo. Normalmente, toca de primeira. Com o gramado ruim, a gente precisa dominar, ajeitar e só depois tocar. Contra o Corinthians, por exemplo, eles vão se beneficiar com isso, porque jogam marcando em cima o tempo todo”, advertiu Carlos Alberto.