Em entrevista ao iG, atacante Túlio de Melo comenta chegada de Ibrahimovic e Thiago Silva à França e diz que está ligado na campanha do time alvinegro

Desde o fim do domínio do Lyon , heptcampeão nacional entre 2001 e 2008, o Campeonato Francês vem sendo marcado pelo equilíbrio e pela imprevisibilidade. Prova disso é o título do pequeno Montpellier na última temporada, já que a taça foi conquistada por uma equipe de recursos bastante modestos e com um plantel formado por ilustres desconhecidos. Agora, porém, a França tem um novo rico: o Paris Saint-Germain. Comprado por um grupo de investimentos do Catar, o clube já gastou milhões de euros para contratar jogadores de alto nível, como os atacantes Lavezzi (ex-Napoli, da seleção argentina) e Ibrahimovic (ex- Milan , da seleção sueca), além do zagueiro Thiago Silva (ex-Milan, da seleção brasileira). Favorito absoluto ao título desse ano, correto? Não se depender de Túlio de Melo , atacante brasileiro de 27 anos que atua pelo Lille, time três vezes campeão nacional.

Deixe seu recado e comente a entrevista com outros internautas

Túlio de Melo em ação pelo Lille: sucesso na França
Divulgação
Túlio de Melo em ação pelo Lille: sucesso na França

Em sua segunda passagem pelo futebol francês (após atuar com sucesso pelo modesto Le Mans entre 2005 e 2008), Túlio está no Lille, clube da cidade homônima de 230 mil habitantes, a 200km da capital Paris, desde 2008, após passar rapidamente pelo Palermo, da Itália. Com a equipe vermelha, foi campeão francês na temporada 2010/11, participando com gols importantes. Em busca de mais uma taça, o brasileiro conta em entrevista ao iG que quer sabotar de toda forma os planos do PSG na temporada: "Eles são favoritos absolutos, temos que admitir. Mas tudo é possível. Ano passdo, else também eram favorito e acabaram como o vice. Esse ano, vamos tentar atrapalhar o objetivo deles de qualquer jeito", diz o jogador, que vê com bons olhos a mídia atraída pela chegada dos craques ao futebol francês.

LE BLOG DU FOOT: Leia mais sobre futebol na França com o colunista Bruno Pessa

Vindo de uma temporada complicada e marcada por lesões, Túlio de Melo quer recuperar o faro de gol neste ano - faro este que quase lhe rendeu naturalização e convite para disputar a Copa do Mundo de 2010 pela seleção portuguesa -, quando o Lille volta a disputar a Liga dos Campeões após campanha ruim na última edição - apesar das boas credenciais, o time foi eliminado ainda na fase de grupos. "O objetivo esse ano é ficar no mínimo entre os três melhores, mas sempre visando o primeiro lugar", afirma o atacante, confiante em levar o Lille ao seu quarto título nacional - o clube ainda é penta da Segundona e hexa da Copa da França, além de ter vencido a extinta Copa Intertoto da Uefa em 2004.

CONFIRA:  Em amistoso, Ibrahimovic faz seu primeiro gol pelo PSG. Veja o lance

Natural de Montes Claros-MG, Túlio foi Formado na base do Atlético-MG , clube no qual viveu durante oito anos. O atacante também confessa seu amor pela equipe de Belo Horizonte e diz que, mesmo com o foco no Lille, vai ficar ligado nas notícias do Campeonato Brasileiro e torcer pelo título da equipe alvinegra, que não conquista o torneio desde 1971. "Ainda não chegou nem a metade do campeonato, mas está com uma cara ótima. Se eles continuarem com essa pegada, acho que o título não escapa, não!", anima-se. Confira a entrevista de Túlio de Melo ao iG :

iG: Conte como foi sua temporada e do Lille. O time lutou até o fim pelo título, não foi? Como vai ser disputar novamente a Liga dos Campeões no ano que vem?
Túlio : Ano passado, eu comecei a temporada mal, tive uma lesão séria logo no começo e fiquei muito tempo fora. Depois, consegui voltar para os jogos mais importantes, já na parte final do campeonato. Voltei bem, consegui marcar vários gols e nosso time foi bem, brigou por título atá a penúltima rodada, quando perdemos para o Montpellier (que terminou como campeão) por 1 a 0, com gol nos acréscimos. Mas pelo menos ficamos em terceiro e vamos disputar a fase preliminar na Liga dos Campeões, o que é ótimo pro clube. Nosso objetivo era ficar no pódio, e isso nós conseguimos. Claro que ficar em primeiro é o melhor, mas ter ficado em terceiro foi bom também. Mas primeiro tempos que passar o jogo preliminar (da Liga dos Campeões), senão não vai ter adiantado de nada.

Túlio de Mello conta os segredos do Lille
Divulgação
Túlio de Mello conta os segredos do Lille

iG: O que explica o sucesso do Lille atualmente?
Túlio : Aqui existe um projeto a longo prazo. Nosso time não muda muito de ano pra ano. Primeiro, escolheram muito bem o treinador (o francês Rudi Garcia), que está no comando desde 2008, e aí contrataram bem, com muito critério. Aí, todo fim de temporada saem dois (jogadores) e chegam dois novos, não tem mudanças bruscas como acontece em outros times. Além de tudo, o presidente (Michel Seydoux) arrumou bons patrocinadores e conseguiu dar o suporte financeiro que o clube precisa. O clube também precisava de um estádio novo, e agora acabou de ficar pronto um dos estádios mais modernos do mundo (Grand Stade Lille Métropole, para cerca de 50 mil torcedores). Vamos começar a jogar nele agora. Isso tudo soma pro time conquistar o que vem conquistando atualmente.

iG: O Lille vendeu o Hazard, que era o craque do time. Como vai ser a partir de agora?
Túlio : O Hazard foi vendido, mas trouxemos do Chelsea o (atacante) Salomon Kalou, que foi campeão da última Liga dos Campeões, e além dele trouxe o (meia) Marvin Martin, do Sochaux e da seleção francesa. Saiu um jogador de qualidade, que foi duas vezes seguidas o melhor do Campeonato Francês, mas o Lille contratou à altura. É difícil achar alguém igual, porque ele é um craque diferenciado, mas contratamos jogadores de alto nível. E pelo que a gente vem fazendo na pré-temporada, já estamos encaixando bem, entrosando os novos jogadores e está com uma cara boa, é mais uma temporada que promete bem.

iG: E como você acha que será seu ano no Lille? A concorrência no ataque assusta?
Túlio : Ano passado, tive duas lesões graves: uma fratura por stress no osso e depois uma ruptura do músculo posterior da coxa. Fiquei metade do campeonato fora. Meu principal objetivo esse ano é não me machucar de novo, pois sempre que estive bem aqui no Lille fui titular. Quando você sofre lesão complica demais, já que às vezes quando você volta o time está jogando bem com outro cara no ataque. Foi o caso do ano retrasado: eu era titular, machuquei e o Moussa Sow (atacante agora no Fenerbahçe-TUR) entrou e foi artilheiro do campeonato. O mais importante pra mim é não machucar, fazer a temporada completa e, assim como todo o grupo, conseguir o objetivo esse ano, que é ficar no mínimo entre os três melhores, mas sempre visando o primeiro lugar.

Túlio tem o cabeceio como uma de suas armas
Divulgação
Túlio tem o cabeceio como uma de suas armas

iG: O Lille entrou com boas credenciais na última Champions , mas foi mal. Por que?
Túlio : Nossa participação na ultima Liga dos Campeões refletiu nossa inexperiência em competições europeias. Em todos os jogos, nós dominamos e bobeamos demais. Teve um jogo que estávamos ganhando do CSKA (da Rússia) por 2 a 0 em casa e levamos o empate nos lances finais. A mesma coisa aconteceu contra o Trabzonspor na Turquia. Fomos penalizados, pois sempre dominamos, mas acabamos sofrendo os gols. Espero que a gente teha aprendido com a lição do ano passado e vamos fazer de tudo para que não ocorra novamente. Agora o time está mais rodado, temos bagagem para ir melhor nesse ano.

iG: Nas últimas temporadas, após o domínio do Lyon, a Liga Francesa vem se destacando pelo equilíbrio e pelos títulos de times médios, como Lille e Montpellier. Por que isso está acontecendo aí e não ocorre nos outros países da Europa?
Túlio : É sempre mais comum os títulos ficarem na mão dos times mais ricos. Isso é uma regra geral na Europa. O Lille é um dos quatro times mais ricos da França, então nossa vitória (na temporada 2010/11) não foi tão surpreendente, até porque de cinco anos para cá estamos ficando sempre entre os cinco primeiros. O Montpellier no ano passado, porém, foi uma prova de que toda regra do futebol tem sua exceção. É um time sem grande poder aquisitivo, mas com um grupo muito unido, que chegou ao titulo com muita força de vontade. Não tem muito o que explicar: são jogadores desconhecidos, mas de qualidade, e que juntos conseguiram a proeza que foi o título. Foi uma supresa para todo mundo.

iG: Como vê o poder do novo rico Paris Saint-Germain na França?
Túlio : Esse ano, o grande favorito à conquista do título é o PSG, por todas as grandes contratações que eles vêm fazendo. São favoritos absolutos, temos que admitir. Mas como aconteceu ano passado, a gente sabe que a principal regra do futebol é que as regras nem sempre valem (risos). Tudo é possível. Ano passdo, o PSG também era favorito ao título e acabou como vice. Esse ano, apesar de serem favoritos de novo, vamos tentar atrapalhar o objetivo deles de qualquer jeito, e sabemos que temos condições de brigar lá em cima também. Mas não vejo nenhuma grande surpresa para essa temporada. O que aconteceu ano passado (título do Montpellier) dificilmente acontecerá de novo.

Contratado por valor exorbitante, sueco Zlatan Ibrahimovic é a cara do rico e poderoso Paris Saint-Germain
AP
Contratado por valor exorbitante, sueco Zlatan Ibrahimovic é a cara do rico e poderoso Paris Saint-Germain

iG: Quais foram os comentários quando vocês souberam das contratações de astros como Ibrahimovic e Thiago Silva pelo Paris Saint-Germain?
Túlio : Todo mundo ficou surpreso com a entrada do dinheiros dos cataris no PSG, mas, no final das contas, é uma excelente fato para o futebol francês. Acho que, mais do que nunca, os olhares estão voltados para o futebol francês, ainda mais com esses novos jogadores, e vendo quão interessante o campeonato esta, com times diferentes brigando pelo título todo ano. Todos os jogadores, técnicos e pessoa envolvidas com o futebol francês gostaram desse novo poder do PSG, e da dimensão que o Campeonato Francês vem tomando através disso. A gente só tem a ganhar, mesmo que o PSG comece a temporada como favorito. Inclusive, esse ano o campeonato vai passar na (televisão árabe) "Al Jazeera", que é um dos maiores canais do mundo! É excelente que isso aconteça e que olhem mais pra cá.

iG: Já há algum tempo você vem fazendo sucesso no futebol francês, tanto no Le Mans quanto no Lille. Surgiu alguma proposta de naturalização?
Túlio : Fui pré-convocado pela seleção brasileira para as Olimpíadas de Pequim (2008), mas, como me lesionei, acabei sendo cortado. Mas já me procuraram para jogar pela seleção portuguesa, na última Copa do Mundo. Portugal estava com carência de centroavantes do meu perfil e por isso vieram me procurar. Fiquei muito contente, mas meio sem saber o que fazer. No final das contas, nem pude tomar uma decisão porque me lesionei de novo (o brasileiro Liédson , à época no Sporting Lisboa, foi chamado). Minha prioridade é a seleção brasileira, mas um convite desses como o de Portugal faz a gente pensar com muito carinho.

O jovem Túlio de Melo na base de seu Atlético-MG
Divulgação
O jovem Túlio de Melo na base de seu Atlético-MG

iG: Você começou e jogou por muito tempo no Atlético-MG. É um atleticano declarado? Está acompanhando a boa campanha do time esse ano? Dá título?
Túlio : Não posso negar que sou Atlético-MG. Minha família inteira é atleticana, cresci no meio de atleticanos, e além de tudo joguei lá muito tempo, foram oito anos muito bons. Meu vínculo com o clube é muito forte. Estou acompanhando sempre que posso pela internet , e meu pai e meu irmão são fanáticos e me falam tudo o que está acontecendo. Está muito cedo para falar em título, ainda não chegou nem a metade do campeonato, mas está com uma cara ótima. Se eles continuarem com essa pegada, acho que o título não escapa, não!.

iG: Pensa em voltar ao Brasil em breve? Toparia proposta de qualquer time?
Túlio : Sempre tive um carinho enorme pelo Atlético-MG e vou continuar tendo, mas por enquanto só estou pensando no Lille. De qualquer forma, não penso em ficar pra sempre na Europa. Tenho 27 anos e penso em ficar até 31 ou 32. Tenho vontade de voltar para o Brasil, sim, e eu falo em voltar daqui a cinco anos, mas de repente pode ser ano que vem, não dá pra saber... Mas apesar de ser atleticano, acima de tudo sou profissional. Tem que encarar além da paixão, pois futebol é meu trabalho, e por isso tenho que estar aberto a todo tipo de proposta interessante, de projeto esportivo legal. Fora isso, o Atlético-MG continua como meu time do coração.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.