Tamanho do texto

Meia do Corinthians não se livra de fama de obeso, mas perdeu mais de 5kg desde fevereiro

Douglas se firmou como titular depois da saída de Alex
AE
Douglas se firmou como titular depois da saída de Alex

Entre os torcedores do Corinthians , Douglas acumula apelidos que brincam com sua forma física e sua "barriguinha". Entre os membros da comissão técnica do Corinthians, o biotipo do camisa 10 corintiano também é intrigante. Mas há uma garantia: Douglas não está acima do peso.

Leia também:  Com semana sem jogos, Tite aguarda recuperações de Chicão e Sheik

"O biotipo dele é estranho, parece sempre gordo. Tem jogador que é assim. Mas gosto muito das características dele. Tem muita qualidade e bom relacionamento com o grupo. Havia dois jogadores na sua frente (Danilo e Alex), e ele soube esperar a chance. Merece, já jogou muito no clube quando foi campeão da Copa do Brasil (em 2009). Espero que ele jogue também com a gente, e acredito que está empenhado nisso", diz Cleber Xavier, um dos assistentes técnicos de Tite. Ele sempre esteve perto de Douglas desde seu retorno ao clube, em fevereiro, quando Douglas era reserva.

E mais:  Guerrero e Ramírez são convocados pelo Peru e vão desfalcar o Corinthians

De volta ao clube no início de fevereiro - depois da passagem entre 2008 e 2009 -, Douglas disse logo ao ser apresentado que não daria carrinhos, como vinha fazendo com a camisa do Grêmio. Talvez fosse um recado ao técnico Tite, em cujo esquema tático até os atacantes são obrigados a ajudar na marcação. Alex, conhecido muito mais pela habilidade com a bola nos pés, era o titular do meio-campo naquele momento e servia como exemplo da exigência do treinador.

Confira ainda:  Amistoso da seleção desfalca 6 clubes na disputa do Brasileirão

Douglas tem sido referência de dedicação aos treinos
AE
Douglas tem sido referência de dedicação aos treinos

"Eu falei a ele que a minha exigência para que ele ajudasse a marcar, coisa em que era relutante, foi que deu a ele a condição de jogo, foi o que deu a ele o gol. Essa participação tem que ser de todos. Não é porque é bonito ou solidário, porque ajuda a ganhar. Às vezes, ajuda o próprio jogador, como foi o caso", aproveitou para dizer o treinador, ao final da partida contra o Flamengo no Engenhão, quando Douglas marcou dois gols na goleada por 3 a 0.

"Ele nunca tinha jogado muito com o time titular, que é realmente um time mais forte. Agora é que ele está tendo oportunidade. Isso fortalece o jogador. Atuar ao lado de Paulinho, de Ralf, faz diferença. Não desmerecendo os outros meninos, que ainda terão seus momentos", completa Xavier.

Nos últimos cinco meses, Douglas esteve empenhado em emagrecer e, por consequêcia, responder às críticas e gozações que vinha recebendo desde sua chegada em fevereiro. Segundo informações do clube, o meia perdeu 5,5kg.

"Ele foi perdendo peso gradativamente. Por duas ou três vezes, até dei um toque no Guilherme (Prado, assessor de imprensa do clube) porque estavam pegando pesado com ele, sendo que ele estava se empenhando. Já tinha ido bem em alguns jogos (com osreservas), mas, quando o time não ganha, isso não fica perceptível", diz o preparador físico Fábio Mahseredjian.

"Há um mês ele está no peso ideal. O problema é ter ritmo de jogo. Tem jogador que entra bem durante a partida, tem jogador que precisa estar desde o início em campo porque não consegue se ajustar à velocidade do jogo. No caso específico do Douglas, ele prefere iniciar jogando, pois sente muita dificuldade quando entra no decorrer. Mas isso é uma decisão do treinador. Ele é jogador, não treinador", completa Mahseredjian.

*com Gazeta