Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Dirigente prevê aumento para Lucas e minimiza pais do meia na Inglaterra

Meia, que recebeu proposta milionária do Manchester United, pode receber aumento para permanecer

Gazeta |

O meia Lucas, do São Paulo, deixou o estádio Old Trafford, no último domingo, alegre por ouvir a torcida do Manchester United, clube que tentou seguidamente contratá-lo, gritar seu nome na vitória da seleção brasileira sobre Belarus, e ver seus pais na torcida, já que eles estão em Londres para acompanhar o jogador.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O diretor de futebol do São Paulo, Adalberto Batista, porém, diz que a família do meia-atacante só viajou para acompanhar as Olimpíadas. Mas já admite a necessidade de um aumento para segurá-lo por mais alguns anos.

Leia mais: Amistoso na Suécia desfalca 6 clubes na disputa da 17ª rodada do Brasileirão

"Pode ser que mexamos no seu contrato. O Lucas tem mais quase quatro anos a cumprir e ele ou qualquer outro podem ser chamados para uma prorrogação ou renegociação de contrato. Como já cumpriu quase um ano e meio, podemos chamá-lo para ficar por mais um ano e meio", disse o dirigente, minimizando a viagem dos familiares do atleta.

Veja mais: Ovacionado por são-paulinos, Ceni dá nota 10 para torcida no seu retorno

"Não tem nada a ver com negociação ou retorno, simplesmente querem acompanhar os Jogos Olímpicos", assegurou. "A família do Lucas foi para a Inglaterra acompanhar as Olimpíadas. Isso já tinha sido programado antes, ele falou que ia levar a família, que quer ver o filho nas Olimpíadas como tantos pais e mães que estão lá."

Mowa Press
Lucas tem sido reserva na seleção brasileira que disputa as Olimpíadas de Londres

E ainda: Paulo Assunção treina com reservas e é apresentado pelo São Paulo

Adalberto Baptista tenta negar qualquer negociação com a equipe de Alex Ferguson. Até discorda do termo. Mas o próprio diretor de futebol anunciou a recusa de uma proposta de R$ 96 milhões, que não é confirmada pelo staff do jogador nem pelo clube inglês - todas as partes só confirmam a rejeição a uma oferta de R$ 82 milhões.

Veja também: Meia Jádson diz que elenco do São Paulo precisa reconquistar a torcida

Mas o presidente Juvenal Juvêncio já foi convencido a não ser tão duro nas conversas com valores tão altos pelo reserva da seleção de Mano Menezes. O aumento só seria dado caso o Manchester United ou outro time europeu com dinheiro não queira mais Lucas. Assim, o jogador seria recompensado com maior salário do que o atual, em contrato que assinou até 31 de dezembro de 2015.

O São Paulo, entretanto, conta com a valorização de seu jogador nas Olimpíadas. "Ele está focado (nas Olimpíadas). E para nós também interessa que exiba seu futebol", admitiu Adalberto Baptista, sem nenhum temor em relação às conversas que o atleta mantém com seu empresário, Wagner Ribeiro, ou com o meia Oscar, colega de seleção que entrou na Justiça para sair do São Paulo há dois anos e acaba de acertar com o Chelsea.

E também: Após golear Fla por 4 a 1, São Paulo emplaca mais quatro na seleção iG

"Se ele tomar uma decisão, será pessoal dele e respaldada por seus pais, não por influência de A, B, C, D, empresário ou outros jogadores. O caráter do Lucas e a educação que os pais lhe deram são ímpares. Ele é uma pessoal especial neste sentido. Não acredito que sofra influência de ninguém", apostou o dirigente.

Ajude o time do São Paulo a subir no ranking da Torcida Virtual

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG