Acompanhando os Jogos Olímpicos de Londres, ministro do Esporte diz que país resolverá problemas de infraestrutura a tempo dos eventos esportivos

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, afirmou nesta segunda-feira que a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro de 2016 são "duas grandes oportunidades para o desenvolvimento" do Brasil: "Os Jogos Olímpicos e o Mundial não são só dois eventos esportivos de grande importância", explicou Rebelo em entrevista em Londres, onde acompanha os Jogos Olímpicos 2012 .

Você acha que a Copa 2014 e os Jogos 2016 são uma boa para o Brasil? Opine!

Aldo (dir) com o presidente do COI, Jacques Rogge
Getty Images
Aldo (dir) com o presidente do COI, Jacques Rogge

O ministro disse que ambos os eventos deixarão um grande legado esportivo, com centros de treino em todo o país, e além disso, permitirão a modernização da gestão dos clubes de futebol. Rebelo explicou que o Governo da presidente Dilma Rousseff traçou grandes objetivos para a organização dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, para demonstrar o "valor" que o Brasil dá ao evento.

Rousseff manifestou na semana passada, durante sua visita a Londres, que o Rio de Janeiro organizará os "melhores" Jogos Olímpicos da história, superando Pequim 2008 e Londres 2012. Além disso, Rebelo reiterou a confiança em terminar todas as obras a tempo, apesar das crescentes críticas do COI (Comitê Olímpico Internacional) pela demora no começo dos trabalhos no parque olímpico.

VEJA:  Visando Copa 2014, presidente da Fifa se reunirá com Lula no Brasil

"O Brasil fez coisas mais importantes e mais difíceis que os Jogos. Conhecemos e vamos cumprir nossas obrigações. O COI e a imprensa cumprem sua parte ao fazer exigências", afirmou. "Nós fazemos nossa parte, que é acelerar as obras. Estamos trabalhando para isso", acrescentou.

Aldo acompanha Dilma nos Jogos de Londres
EFE
Aldo acompanha Dilma nos Jogos de Londres

Em relação à segurança, Rebelo disse que nos dois eventos esportivos as Forças Armadas serão mobilizadas, e empresas privadas não serão contratadas. A segurança causou polêmica em Londres 2012 porque o Governo teve que aumentar o contingente de militares depois que a empresa G4S anunciou, semanas antes do início dos Jogos, que não poderia recrutar aos 10,4 mil guardas de segurança privada estipulados previamente. Outro problema que o Brasil pode apresentar é na infraestrutura aeroportuária. Porém, Rebelo disse que o país está fazendo grandes investimentos na área e que aeroportos regionais e militares podem ser usados para aumentar a capacidade operacional no país.

"Acabamos de organizar a Rio+20 (Conferência da ONU) com mais de 100 chefes de Estado e milhares de visitantes e não tivemos nenhum problema. O Carnaval acontece todos os anos e recebemos centenas de milhares de turistas", disse. O ministro ainda disse que o Rio de Janeiro precisa de mais infraestrutura hoteleira, já que é uma das cidades que mais carecem de vagas, embora, segundo Rebelo, os empresários não veem isso como problema. Em cidades como Manaus, a ideia é usar cruzeiros transatlânticos para alojar parte dos turistas durante a Copa do Mundo. De acordo com o ministro, o Governo atuará contra os hotéis que cometerem "abusos" nos preços.

MAIS:  Em Londres, presidente da Fifa cobra Dilma por atrasos para a Copa 2014

"Vamos tomar medidas. Vamos atuar em todas essas situações", disse. O ministro também se mostrou aberto à reutilização de algumas instalações esportivas temporárias que estão sendo utilizadas em Londres 2012. "Vamos aproveitar tudo o que Londres possa oferecer de bom", comentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.