Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Russo preso no Chile por tráfico vira destaque no presídio e é contratado

Após parceria com a polícia, Maxim Molokoedov, de 24 anos, vai atuar pelo Santiago Morning

Francisco De Laurentiis - iG São Paulo | - Atualizada às

Há cerca de dois anos, a vida do russo Maxim Molokoedov desabou. Enquanto seu avião fazia uma escala no Chile antes de partir para sua terra natal, ele foi flagrado com seis quilos de cocaína escondidos em livros infantis. O viajante clamou ser inocente, mas o juiz não acreditou. Resultado: condenado a três anos e meio na cadeia chilena. Mas foi nas celas do país sul-americano que veio a grande virada.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros internautas

Divulgação
Molokoedov na cadeia: meio-campista completo, levou até o técnico da seleção chilena ao presídio

Ex-jogador das categorias de base do Zenit, importante clube da Rússia, Molokoedov rapidamente chamou a atenção por seu futebol de alto nível nas ligas presidiárias do Chile, conduzindo a Penintenciária de Santiago ao título do torneio nacional entre casas de detenção. Segundo Frank Lobos, ex-jogador de equipes como Colo-Colo (Chile) e Vasco da Gama e técnico do russo na cadeira, é um meio-campista completo, driblador, rápido, forte e goleador. "Tem tudo para ser um craque", diz Lobos, que logo tratou de acertar a vida de seu prodígio.

Encantado com o futebol de Molokoedov, que levou até Claudio Borghi, técnico da seleção chilena, ao presídio só para vê-lo, Lobos logo procurou um time profissional para o russo. E achou: o pequeno Santiago Morning, da Grande Santiago (capital do Chile) e atualmente na 2ª divisão local, aceitou integrar o russo ao seu plantel. Através de uma parceiria com a polícia, que fará vigilância especial, Molokoedov poderá treinar com o elenco da equipe alvinegra e disputará amistosos.

Feliz com a oportunidade de "limpar sua ficha", Molokoedov recusou até mesmo a oportunidade de terminar de cumprir a pena em seu país natal. "Ele teve a oportunidade de ir embora, mas renunciou. Poderia agora estar em sua casa na Rússia, mas acho que quis ficar para demonstrar o que vale e se reintegrar na sociedade através do esporte. É um caso único no mundo", diz Frank Lobos.

Reprodução
O russo levou o Presídio de Santiago ao título nacional e arrumou um time para jogar

Em seu primeiro treino, não decepcionou. "Ele deu 12 ou 13 toques na bola, e todas as vezes passou com perfeição", elogiou o técnico do Santiago Morning, Hernán Ibarra, enquanto um policial à paisana observava de longe o russo em liberdade condicional no gramado. O treinador diz que tentará inscrever Maxim Molokoedov nos campeonatos profissionais, mas não sabe quando a Federação Chilena vai autorizar o estrangeiro a atuar.

A estreia do "reforço" vindo da gelada Rússia será neste sábado, quando o Santiago Morning disputa amistoso contra o Palestino, equipe da 1ª divisão chilena. "Adoro jogar futebol, e como muita gente colocou fé em mim, preferi ficar no Chile e jogar, porque sei que vou triunfar", afirma o confiante Molokoedov, certo de que a mesma terra onde viveu seu maior pesadelo pode ser o local onde irá realizar seu maior sonho.

Leia tudo sobre: Futebol MundialChileRússia

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG