Cariocas vencem por 3 a 1 em jogo que marcou reencontro de corintianos com torcida depois da Libertadores

Tudo foi ensaiado para uma festa corintiana no reencontro do time campeão da América com sua torcida após a conquista da Libertadores. Só não avisaram o Botafogo. E assim, na partida válida pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro que teve entrega de faixas de ídolos do passado corintiano aos heróis do elenco atual , os cariocas passearam mais uma vez no Pacaembu, como se habituaram nos últimos anos: 3 a 1 e presença garantida para o Botafogo no G-4 do Brasileirão. O Corinthians, com cinco pontos, segue na zona do rebaixamento.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O Botafogo não perde para o Corinthians no Pacaembu desde 2006. Esta foi a quarta vitória desde então. Foram ainda dois empates no estádio que o corintiano chama de casa. Casa botafoguense nesta quarta-feira. Teve até grito de olé da minoria botafoguense no estádio paulistano. Os corintianos, ainda curtindo o título continental, responderam com "É, campeão".

Leia mais:  BNDES aprova empréstimo de R$ 400 mi para estádio do Corinthians

Fato é que o técnico campeão do mundo com o Corinthians, Oswaldo de Oliveira, organizou o Botafogo para aprontar contra os campeões da América. Com um time leve e Elkeson, um atacante improvisado inspirado na frente, o Botafogo não teve em nenhum momento, sua vitória ameaçada. Com 30 partidas por fazer no Brasileiro, o Corinthians, agora, vê que é preciso reagir após a ressaca da conquista da Libertadores.

O jogo
O clima de festa antes de a bola rolar no Pacaembu não teve continuidade quando Corinthians e Botafogo iniciaram o jogo válido pela sétima rodada do Brasileirão. Muita discussão, braços deixados para trás, entradas duras dos dois lados. Assim, os dois rivais construíram o primeiro tempo, muito disputado, e que teve o time visitante melhor. Tanto que a vantagem nos 45 minutos iniciais ficou com o Botafogo.

O time carioca teve as melhores chances no primeiro tempo. Logo aos 10 minutos, após falha de Fábio Santos, Cidinho perdeu daqueles “gols feitos”. Lucas Zen deu passe de letra para Cidinho. O lateral-esquerdo corintiano não desviou o passe e o botafoguense saiu frente a frente com Cássio. Chutou rasteiro, rente à trave direita do gol corintiano.

Veja também:  Depois de exames, Guerrero assina contrato de 3 anos com o Corinthians

O Botafogo era melhor e o Corinthians abusava dos passes errados. O time paulista não conseguia trançar um bom ataque e não era remedo do time que conquistou a América há uma semana. Élton, substituto de Emerson e Liedson, não acertava uma. Paulinho e Danilo, idem. O quadro não era favorável aos corintianos.

Assim, aos 27, Andrezinho aproveitou-se de uma saída errada de Ralf e puxou o ataque do Botafogo pelo lado esquerdo da defesa corintiana. O botafoguense cruzou rasteiro e Paulo André, na tentativa de cortar o passe, acabou mandando a bola para as redes de Cássio, que nada pôde fazer para evitar o gol botafoguense.

Melhor com a bola nos pés, o Botafogo teve também de encarar uma infelicidade com dois de seus jogadores. Lucas Zen, com um corte na cabeça, e Antônio Carlos, com fratura no nariz, atuaram os minutos finais do primeiro tempo com meia força. Foram para os vestiários remendados.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Em desvantagem, o Corinthians acordou um pouco nos minutos finais do primeiro tempo. Alex, de fora área, assustou Jefferson aos 40. Aos 45, o meia achou Paulinho e Romarinho na área. Jefferson freou o atacante, o volante chutou o rebote no travessão e em nova chance, Elton dominou no braço, segundo o árbitro Heber Roberto Lopes, antes de chutar para o gol vazio.

O que sugeria ser uma reação do Corinthians no jogo logo foi por água abaixo no início do segundo tempo. Apático, o time paulista só assistiu o Botafogo tocar a bola e assim chegar ao segundo gol. Aos 12, após jogada de Cidinho com Lucas, o lateral-direito cruzou para Elkeson que se antecipou a Cássio e rolou para o gol. O goleiro falhou no lance.

O Botafogo, com uma campanha consistente no Brasileirão, passeava no Pacaembu. A torcida visitante provocava pedindo "mais um, mais um". E ele veio. Aos 23, de novo com Elkeson. Tite ainda tentou mudar o cenário apostando em Adilson, Douglas e Ramirez nos lugares de Elton e Danilo e Paulinho, mas pouco mudou. O Corinthians ainda teve um pênalti, nos acréscimos, cometido por Lucas em Fábio Santos. Chicão cobrou e diminuiu o vexame.

De nada adiantou: o atual campeão da América e do Brasil sucumbiu ao Botafogo, do técnico que conquistou o mundo com o Corinthians há 12 anos. 

FICHA TÉCNICA - CORINTHIANS 1 x 3 BOTAFOGO

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 11 de julho de 2012, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva e Bruno Boschilia

Cartões amarelos: Romarinho (COR); Lucas Zen, Andrezinho, Lucas, Jefferson (BOT)

Renda: R$ 699.647,00

Público: 25.900 pagantes

Gols: Paulo André, contra, aos 27 minutos do 1º tempo. Elkeson aos 12, aos 23 e Chicão aos 45 minutos do 2º tempo.

CORINTHIANS: Cássio, Alessandro, Chicão, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho (Ramírez), Danilo (Douglas) e Alex; Romarinho e Elton (Adilson). Técnico: Tite.

BOTAFOGO: Jefferson; Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo (Lennon); Lucas Zen, Renato, Fellype Gabriel (Rodrigo Dantas), Andrezinho e Cidinho; Elkeson (William). Técnico: Oswaldo de Oliveira

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.