Falando em português, o meia, que vestiu a camisa número 10 da equipe, agradeceu o carinho que recebeu desde a chegada ao país

No início da tarde desta segunda-feira, o meia Clarence Seedorf concedeu a sua primeira entrevista coletiva como jogador do Botafogo . O holandês chegou ao Rio de Janeiro na última sexta-feira, quando foi recebido com festa por torcedores alvinegros no Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, e no sábado foi apresentado oficialmente no estádio do Engenhão, momentos antes da vitória do Botafogo por 3 a 0 sobre o Bahia, que ele acompanhou das tribunas do estádio.

Leia também:  Sob aplausos de Seedorf, Botafogo derrota o Bahia por 3 a 0

O encontro com os jornalistas aconteceu no Palácio da Cidade, onde o jogador foi recebido pelo Prefeito Eduardo Paes e pelo Presidente do Botafogo, Maurício Assunção. Falando em português, o meia, que vestiu a camisa número 10 da equipe, agradeceu o carinho que recebeu desde a chegada ao país, não só por parte dos botafoguenses.

O meia Seedorf concede entrevista durante sua apresentação no Botafogo
Gazeta Press
O meia Seedorf concede entrevista durante sua apresentação no Botafogo


Seedorf declarou que não ficou surpreso com a sua transferência para o futebol brasileiro, ao contrário, ele acredita que a sua ida para o Botafogo foi natural na sua carreira, já que o Brasil sempre esteve presente em sua vida, desde a infância no Suriname, seu país natal.

"Quando eu tinha 10 anos, eu chorei quando o Brasil saiu da Copa, também porque o Suriname ele ensinam a torcer para dois times: Holanda e o Brasil. Eu cresci com o Brasil na minha vida. Depois eu fui para Madrid e passei quatro anos com Roberto Carlos no quarto, e tive o meu primeiro contato com o português. O Brasil sempre esteve na minha vida e no meu coração. Há doze anos mais ou menos que eu venho aqui todas as férias, então, jogar no Brasil é uma coisa quase lógica", declarou.

Leia ainda:  Cidinho brilha e comemora chegada de Seedorf’: 'Ele vai mudar o Botafogo'

Além do carinho extra-campo pelo Brasil, por ser casado com uma brasileira e ter amigos nascidos no país, o jogador também demonstrou satisfação em "jogar num país que produziu os melhores jogadores da história do futebol".

Seedorf inicia os treinamentos em General Severiano nesta terça-feira, mas ainda não tem previsão de quando estará apto a estrear com a camisa alvinegra. Realista, o jogador ressaltou que ainda há muito trabalho para fazer, mas que já sonha em conquistar títulos pelo clube carioca.

No Palácio da Cidade, Seedorf foi recebido pelo prefeito Eduardo Paes
Gazeta Press
No Palácio da Cidade, Seedorf foi recebido pelo prefeito Eduardo Paes


"Eu não sou de prometer muita coisa, não sou de falar muito. Sou de trabalhar, criar grupo, colocar tudo na mesa, o que eu sou como pessoa e como profissional. Outra coisa que eu faço muito bem é sonhar, eu sonhei com muitas coisas importantes, em ganhar títulos, e consegui muitas vezes realizar os meus sonhos", disse.

Durante a coletiva, o meia também revelou que as conversas com os dirigentes do Botafogo para a assinatura do contrato começaram a mais de um ano atrás e que desde então o clube foi uma das principais opções caso ele resolvesse realmente jogar no Brasil.

"Isso começou há um ano e meio atrás, mas ainda não tinha nada claro, e se fosse para vir para o Brasil, o Botafogo seria uma opção importante, séria. O Botafogo me atraiu nesse aspecto: de ter um projeto ambicioso e de querer voltar a um nível alto", revelou.

Clarence Seedorf assinou contrato pelos próximos dois anos com o Clube da Estrela Solitária. Aos 36 anos, o jogador espera conseguir jogar em bom nível até o final do compromisso com a equipe carioca, mas alertou que o final do contrato não significa necessariamente a sua aposentadoria.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.