O valor foi divulgado nesta terça pelo secretário de segurança do Ministério da Justiça e o projeto prevê centros de comando nas 12 sedes da competição

Agência Estado

Jérome Valcke e Aldo Rebelo durante coletiva
Getty Images
Jérome Valcke e Aldo Rebelo durante coletiva

O gasto do governo federal com o esquema de segurança da Copa de 2014 será de R$ 1,17 bilhão. O valor foi divulgado nesta terça-feira pelo secretário extraordinário de segurança para grandes eventos do Ministério da Justiça, delegado Valdinho Jacinto Caetano. O projeto prevê que sejam instalados centros de comando e controle nas 12 cidades que receberão jogos do Mundial, seguindo o exemplo do que já existe no Rio.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

O centro de comando e controle concentra monitores que recebem imagens de câmeras espalhadas pela cidade. "A integração é o principal produto que vamos oferecer e que ficará como principal legado após a Copa. Nós estamos finalizando a documentação para a compra de diversos equipamentos e devemos ir para o mercado no final deste mês e início do mês seguinte para disponibilizar às diversas cidades-sede", explicou o delegado.

Leia mais:  Após divergências, ministro do Esporte pede relação de "cooperação" com a Fifa

Ele também disse que os equipamentos para os centros sairão de verbas federais, mas ressaltou que a compra e a instalação das câmeras serão de responsabilidade dos governos estaduais. Em cada um desses locais haverá forças de segurança municipais, estaduais e federais. Pelo projeto, serão montados dois centros nacionais, no Rio e em Brasília, para controlar as imagens de todo o Brasil durante a realização do Mundial.

Confira ainda:  Governo quer iniciar em julho obras no entorno do Itaquerão

"É possível que algumas cidades tenham hoje não um centro de comando e controle, mas um embrião dele. Nós vamos até lá, verificamos o que existe e calculamos o que é necessário para transformar isso no padrão Copa do Mundo. O restante desses equipamentos nós adquirimos e instalamos", contou o delegado. "Tão logo os equipamentos sejam adquiridos, nós levamos aos Estados, montamos o centro de comando e controle e começamos a treinar e simular a atuação nele."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.