Em jogo, título inédito para um gigante brasileiro ou novo recorde de taças para os argentinos

Os fãs do futebol têm um compromisso com a história do esporte nesta quarta-feira. Corintianos, boquenses e todos os “secadores” não tirarão os olhos do Pacaembu, onde a partir das 21h50, Corinthians e Boca Juniors reescreverão a história da Libertadores . Em jogo, um sonho de décadas para o corintiano. O título inédito. Para o Boca, um recorde. Já são seis taças do maior torneio do continente e com mais uma se igualará ao Independiente, recordista com sete. Não há meio termo. Aconteça o que acontecer, nada será como antes.

Corinthians desafia histórico de sofredor em finais para ganhar título invicto

O empate por 1 a 1 no jogo de ida na Bombonera dá o título ao vencedor deste duelo. Novo empate, por qualquer placar, leva a decisão para a prorrogação. Nova igualdade e a decisão sairá nos pênaltis. Não há mais ingressos para a partida e o estádio do Pacaembu estará lotado. “Não me liguem, mandem e-mail... eu também não tenho ingresso”, disse Tite na segunda-feira.

Veja fotos dos 13 jogos que levaram o Corinthians à decisão no Pacaembu

Os privilegiados que garantiram lugar e os milhões de torcedores que estiverem à frente da TV para a decisão verão entre os titulares do Corinthians os mesmos 11 que iniciaram a partida contra o Boca Juniors na Bombonera. “Não tem fórmula mágica. Temos de fazer de novo o que nos trouxe até aqui. Jogar melhor e merecer”, disse o treinador corintiano. Romarinho, herói corintiano no jogo de ida, ficará no banco, mas Tite já o alertou que poderá entrar novamente.

Tite diz que Corinthians não representa o Brasil na final da Libertadores

Do outro lado da decisão, o Boca tentou garantir todos seus atletas para a decisão, mas Roncaglia, acertado com a Fiorentina, está fora. Ele fez o gol do time argentino na ida. O atacante Cvitanich, reserva, teve seu empréstimo do Ajax encerrado no dia 30, mas renovado para mais alguns dias. Ele está à disposição de Julio Cesar Falcioni.

Brasileiros já venceram e perderam finais de Libertadores no Pacaembu. Relembre

Na sua primeira final em 10 participações na Libertadores, o Corinthians tem de lidar com a esperança carregada há décadas de ver este dia chegar a um título continental. Ele chegou, mas para terminar da forma que toda a torcida corintiana espera, é preciso esquecer a coleção de traumas que o clube carrega ao longo dos anos. “É um jogo. Esqueçam o que já passou e o que pode significar o depois. O foco tem de estar em vencer este jogo. Retrospecto não entra em campo”, disse Tite.

Infográfico: Veja o histórico corintiano na Libertadores

Além do título, por si só grandioso, o jogo dá ao vencedor uma vaga no Mundial de Clubes a ser realizado no Japão em dezembro. Tite deixou a disputa da edição de 2010 para dirigir o Corinthians . Ele estava no Al-Wahda, dos Emirados Árabes, que tinha vaga no torneio. O Boca é tricampeão mundial. O Corinthians conquistou este título uma vez. E no Pacaembu, Corinthians e Boca tentarão iniciar essa outra história. Porque a história desta Libertadores de 2012 termina neste 4 de julho.

FICHA TÉCNICA – CORINTHIANS x BOCA JUNIORS

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 4 de julho de 2012, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Wilmar Roldán (COL)
Assistentes: Abraham Gonzalez e Humberto Clavijo (ambos da Colômbia)

Corinthians: Cássio; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Alex e Danilo; Emerson e Jorge Henrique. Técnico: Tite.

Boca Juniors: Orión; Sosa, Schiavi, Caruzzo, Clemente Rodríguez; Somoza, Ledesma, Erviti e Riquelme; Mouche e Santiago Silva. Técnico: Julio Cesar Falcioni

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.