Tamanho do texto

Sem Eder Luis, do Vasco, e Thiago Ribeiro, que está na Itália, clube pode repatriar o atacante

Perto de disputar a decisão da Copa do Brasil, o Palmeiras prefere concentrar suas atenções na competição e deixa para tratar de reforços após 11 de julho, data da final em Curitiba. "A gente tem dado prioridade a este momento que o grupo está vivendo. As conversas ainda andam, mas já deixamos bem claro nossa posição e estamos esperando o retorno do que pretende cada atleta, agente e clube de origem", avisou o gerente de futebol alviverde, César Sampaio.

E MAIS:  Palmeiras admite ser difícil evitar ausência de Henrique contra Coritiba

Obina pode retornar ao Palmeiras
Divulgação
Obina pode retornar ao Palmeiras

O Palmeiras já definiu que um reforço para o ataque é prioridade. Entre as possibilidades, estavam Éder Luís - que já acertou sua renovação com o Vasco - e Thiago Ribeiro. Pertencente ao Rentistas, clube ligado ao empresário Juan Figer, o ex-cruzeirense já explanou seu desejo de voltar ao Brasil, mas o Cagliari, da Itália, tem a intenção de comprá-lo. Diante desta situação, o nome de Obina passou a ganhar força no Palestra Itália.

CONFIRA:  Após "pancadas", Palmeiras já perde o sono com chance de novo título

"Está em stand by , esperando troca de documentos. É uma negociação complexa porque precisa de parceiros e ceder direito econômico de atletas da base já foi vetado pela diretoria", adiantou Sampaio.

Querido por palmeirenses por conta de sua passagem pelo clube em 2009 - quando chegou a marcar três gols em um único jogo diante do rival Corinthians -, Obina não é unanimidade entre os dirigentes, que entendem que o possível investimento no jogador de 29 anos não seria recompensado numa futura negociação.

"Desde que foi levantado o nome do Obina sabíamos que ele não vai dar retorno financeiro, mas esportivo. Ele até tem mercados alternativos, como Ásia, Leste Europeu e México. Mas se trouxermos o Obina não será para fazer dinheiro em cima dele", disse o dirigente.