No seu maior jogo fora do Brasil na história, time paulista não fará mágica contra mística da Bombonera

Desde 1977, ano da primeira participação corintiana na Libertadores , espera-se por este dia. E na 10ª tentativa o Corinthians conseguiu chegar lá. Na final. Nesta quarta-feira, às 22h, em Buenos Aires, começa a primeira metade da batalha pelo título inédito para o time paulista. O Boca Juniors é o rival, adversário de tradição que faz sua 10ª final e busca seu sétimo título.

INFOGRÁFICO: Veja a trajetória corintiana ao longo das Libertadores

Por um bom resultado no jogo de ida, o Corinthians seguirá a mesma linha da campanha que o levou à primeira decisão. Afinal, a marca de 12 jogos invictos até aqui não foi conquistada por acaso. Assim, o time que venceu o Santos na Vila Belmiro e que eliminou o Vasco nas quartas-de-final será repetido

Leia também:  Tite compara Paulinho a Riquelme e confirma time que pega o Boca

"Não tem novidade. Vou querer uma coisa nova, uma fórmula mágica? Na final tem que repetir o que você fez até agora. Tem que ter uma maturidade para trabalhar dentro ou fora de casa da mesma forma", disse Tite. O Corinthians jogou como visitante seis vezes até aqui nesta Libertadores. Venceu duas vezes e empatou quatro. 

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Emerson, que cumpriu suspensão no segundo jogo contra o Santos, volta ao time e forma o ataque ao lado de Jorge Henrique. Willian volta para o banco de reservas. Romarinho, nome do clássico contra o Palmeiras no domingo, também será opção para Tite.

No Boca Juniors, que também escalou reservas no fim de semana, o técnico Julio Cesar Falcioni confirmou a escalação que superou a Universidad de Chile nas semifinais. O argentino elogiou o Corinthians. "É um time muito rápido, de bom toque, jogadores que se movimentam muito. Se está na final é porque foi merecido", disse Falcioni. Riquelme está confirmado .

Vote na enquete: Para quem vai sua torcida na final da Libertadores?

Tite valoriza a história corintiana nesta edição e não teme a mística da Bombonera, onde já venceu com o Internacional . "Boca e Corinthians mostraram ao longo da competição que mereceram estar na final", disse o treinador corintiano. "Eu vejo a experiência a mais desse grupo por passar por situações importantes. Em que muito mais que a individualidade de um atleta está o conjunto. Passamos por momentos bons e ruins, aprendemos e crescemos juntos", completou o treinador.

FICHA TÉCNICA - BOCA JUNIORS x CORINTHIANS
Local: Estádio "La Bombonera", em Buenos Aires
Data: 27 de junho de 2012, quarta-feira
Horário: 22h
Árbitro: Enrique Osses (CHI)
Assistentes:   Francisco Mondria e Carlos Astroza (ambos do Chile)

BOCA JUNIORS: Orión; Roncaglia, Schiavi, Caruzzo e Clemente Rodríguez; Ledesma, Erviti, Somoza e Riquelme; Mouche e Santiago Silva. Técnico: Julio Cesar Falcioni

CORINTHIANS: Cássio; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Alex e Danilo; Emerson e Jorge Henrique. Técnico: Tite

Entre para a torcida virtual do Corinthians e ajude a mantê-lo no topo do ranking

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.