Técnico reconhece que time não está sabendo jogar contra equipes que jogam na retranca

Oswaldo já tem o trabalho contestado pela torcida
AE
Oswaldo já tem o trabalho contestado pela torcida

O técnico do Botafogo, Oswaldo de Oliveira, admitiu que o time esteve irreconhecível na noite deste domingo, no Engenhão, ao ser derrotado por 2 a 1 pelo Ponte Preta, em jogo válido pela sexta rodada do Brasileirão. Foi a terceira queda do time na competição, a segunda em casa no Rio - a outra foi para o Cruzeiro (3 a 2 de virada). O motivo da má atuação, segundo o comandante alvinegro, foi a retranca do adversário.

Oswaldo foi além: em seis partidas no campeonato, foram três tropeços e três vitórias. O treinador constatou que sua equipe não está sabendo jogar contra esquemas retranqueiros.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

“Estamos tendo dificuldade quando equipes não saem para nos atacar. Tivemos dificuldade de penetração, isso foi a principal característica nas partidas que fizemos contra Coritiba, Internacional e São Paulo, pois foram equipes que vieram para cima e nós conseguimos sucesso”, analisou o treinador.


A Ponte Preta ficou em vantagem duas vezes no marcador e se fechou atrás. O Botafogo, sem organização, não conseguiu chegar na área adversária. Conseguiu um gol de pênalti marcado por Andrezinho, mas faltou, como bem frisou o treinador, penetração. Oswaldo não poupou o alvinegro, e deixou o está se queixando da forma insegura como o Botafogo se apresentou nesta noite.

Leia mais:  Andrezinho diz que time precisa ter personalidade

“Eu nunca tinha visto o Botafogo como hoje, inseguro. Nós tivemos muitos momentos de insegurança. O time lutou, fez por onde, mas intranquilo”, comentou o comandante alvinegro.

Oswaldo se queixou ainda da falta de apoio da torcida. Em casa, segundo ele, o estádio, na maior parte do tempo vazia, acaba sendo uma arma para os adversários.

Veja também:  Botafogo tropeça diante da Ponte e chega à 3ª derrota no Brasileirão

“O Engenhão tem sido mais campo neutro do que do Botafogo. Jogamos na casa dos adversários e lá enfrentamos 20, 30 mil pessoas empurrando o time deles. Hoje aqui foram 4 mil pessoas, outro dia contra o Cruzeiro eram 6 mil. Assim a gente não tem tanto apoio”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.