Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Fluminense leva susto, mas confirma favoritismo e bate o Atlético-GO

Após sair atrás no placar, o time precisou se reorganizar no confronto e contou com três jogadas aéreas e uma penalidade máxima para golear o seu adversário por 4 a 1

Gazeta | - Atualizada às

Esbanjando favoritismo neste domingo, o Fluminense precisou demonstrar superação em campo para vencer o Atlético-GO, no Serra Dourada. Após sair atrás no placar, o time precisou se reorganizar no confronto e contou com três jogadas aéreas e uma penalidade máxima para golear o seu adversário por 4 a 1.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O gol do Atlético-GO foi marcado aos 12 minutos do primeiro tempo, em belo chute de Ernandes. Entretanto, Samuel Rosa e Gum decretaram a virada ainda na etapa inicial. Depois do intervalo, Gilson empurraria contra o próprio patrimônio nos minutos iniciais e Deco selaria o marcador em cobrança de pênalti.

Veja a classificação do Campeonato Brasileiro

Com a sua terceira vitória no Brasileirão, o Fluminense chega aos 12 pontos na competição e passa a ocupar a quinta posição. O Atlético-GO, por sua vez, segue na lanterna do torneio. O time conquistou apenas dois pontos até o momento e permanece sem vencer desde a chegada do técnico Hélio dos Anjos.

Futura Press
Gum comemora gol do Flu no Serra Dourada

O Jogo

A partida entre Atlético-GO e Fluminense foi ter a sua primeira chance de gol justamente no chute que decretou a inauguração do placar no Serra Dourada. Aos 12 minutos do primeiro tempo, Ernandes recebeu passe após boa jogada de Wesley e chutou cruzado de fora da área para vencer o goleiro Diego Cavalieri.

O susto já no início da partida fez o técnico Abel Braga se irritar com a postura do Tricolor das Laranjeiras. O comandante ordenou que seu time prendesse mais a bola na intermediária e foi prontamente atendido por seus jogadores. A tática surtiu efeito e levou o time ao empate aos 18 minutos, quando Samuel Rosa aproveitou o rebote dado por Márcio na cabeçada de Wellington Nem para igualar o marcador.Sem grandes chances de gol após a reação carioca, a partida adotou um ritmo morno e só voltou a empolgar o torcedor aos 25 minutos. Deco cobrou falta para dentro da área e Márcio saiu ‘caçando borboletas’ ao tentar espalmar para longe. Antes que o arqueiro pudesse chegar na bola, o zagueiro Gum se antecipou e testou firme para o fundo das redes rubro-negras.

O Fluminense ainda teria a chance de ampliar o marcador aos 32 minutos da etapa inicial. Wellington Nem fez linda jogada individual e tocou para Deco dentro da área. O meia ajeitou para o chute e foi travado na hora certa por Ernandes, que conseguiu rasgar na hora certa para evitar o terceiro. Cinco minutos depois, os cariocas chegariam novamente com Wellington Nem. O atleta recebeu em condição legal e chutou cruzado, mas Wagner não conseguiu aproveitar o lance e anotar o seu no confronto.

Com o retorno dos times para o segundo tempo, Hélio dos Anjos tentou dar um novo gás ao seu time e promoveu a estreia do atacante Ricardo Bueno no lugar de Marcão. Mesmo com a nova força ofensiva, o Fluminense soube aproveitar a inocência adversária e chegou ao terceiro com um gol contra de Gilson.

Aos seis minutos, Deco cruzou para dentro da área e Anderson tentou a cabeçada. O zagueiro subiu mais alto que os seus marcadores, mas passou lotado e não alcançou a bola. Entretanto, ela bateu no joelho do atleticano Gilson e entrou no canto do goleiro Márcio.

Em resposta, o estreante Ricardo Bueno recebeu sozinho dentro da área, mas isolou na hora de concluir para o gol de Diego Cavalieri. Como a fase do Dragão não é boa, tudo tente a piorar e foi isso que aconteceu após este lance. O atacante sentiu uma lesão na coxa e precisou deixar o campo para a entrada de Elias.

A vantagem estabelecida no placar deixou o Fluminense muito à vontade em campo e manteve o Atlético-GO acuado na intermediária. Os rubro-negros mostraram receio em partir para o ataque e praticamente não ameaçaram Diego Cavalieri. Soberano nos minutos restantes, o Tricolor apenas prendeu a bola no meio-campo e administrou a vitória embalado pelos gritos de ‘Olé’ que o seu torcedor soltava nas arquibancadas do Serra Dourada.

Sem grandes emoções durante o segundo tempo, um lance no meio-campo marcaria a apresentação dos dois times neste domingo. O volante Marino chegou por trás em Marcos Junior e acertou um chute em sua perna. Sem titubear, o árbitro Paulo César de Oliveira expulsou o jogador de campo e criou mais uma dor de cabeça para Hélio dos Anjos escalar o seu time na próxima rodada do Brasileiro.

O cartão vermelho mostrado ao Dragão deixou o time mordido e mandou a equipe para o ataque. Em boa jogada de Danilinho, Wesley aproveitou a sobre a acertou o travessão de Cavalieri. No entanto, uma grande trama ofensiva do Fluminense culminaria no quarto gol da equipe na noite. Aos 48 minutos, Marcos Junior foi derrubado por Gilson dentro da área e Deco cobrou firme para colocar números finais no marcador.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-GO 1 X 4 FLUMINENSE

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Data: 24 de junho de 2012 (Domingo)
Horário: 18h30(de Brasília)
Árbitro: Paulo César de Oliveira (Fifa-SP)
Assistentes: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Bruno Rizo (SP)
Cartões Amarelos: Bida (Atlético-GO); Carlinhos (Fluminense)
Cartão Vermelho: Marino (Atlético-GO)

GOLS:
ATLÉTICO-GO: Ernandes, aos 12 minutos do primeiro tempo
FLUMINENSE: Samuel Rosa, aos 18 minutos do primeiro tempo, Gum, aos 25 do primeiro tempo, Gilson, contra, aos seis do segundo tempo, e Deco, aos 48 do segundo tempo

ATLÉTICO-GO: Márcio; Marcos, Gilson, Gabriel e Eron; Marino, Joílson, Ernandes (Danilinho) e Bida; Wesley e Marcão (Ricardo Bueno) (Elias)
Técnico: Hélio dos Anjos

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Bruno, Gum, Anderson e Carlinhos; Edinho, Jean, Wagner (Lanzini) e Deco; Wellington Nem (Valencia) e Samuel Rosa (Marcos Junior)
Técnico: Abel Braga

Leia tudo sobre: FluminenseAtlético-GOBrasileirão 2012

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG