Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Andrés Sanchez lança livro e recebe afagos do Corinthians e de Marin

Atual diretor da CBF lança obra sobre sua passagem à frente do clube paulista

Gazeta |

Gazeta Press
Andrés posa ao lado de jogadores do Corinthians no lançamento do livro

Ex-presidente do Corinthians, Andrés Sanchez lançou livro sobre sua trajetória no futebol na noite desta segunda-feira, em São Paulo. Ao lado do primo Tadeu Sanchez Oller, co-autor de “O Mais Louco do Bando”, ele recebeu os jogadores, acompanhados por Tite, ganhou um beijo do sucessor Mário Gobbi e afagos de José Maria Marin, mandatário da CBF.

Comente esta notícia e deixe seu recado para outros torcedores

“O mais importante é receber esse reconhecimento de todo mundo”, disse Sanchez, que classifica a iniciativa de dirigir o Corinthians em plena crise no ano de 2007 como seu maior desatino pelo clube. “Talvez por ter sido presidente naquela época eu seja o mais louco. Mas com certeza amanhã e sempre terão outros mais loucos do que eu”, disse.

Leia também: Chile desiste de amistoso, mas Marin mantém data e Morumbi

Na gestão de Sanchez, iniciada em 2007, o Sport Club Corinthians Paulista foi rebaixado no Campeonato Brasileiro, retornou à elite e ganhou o título nacional, contratou o atacante Ronaldo, perdeu do famigerado Tolima e iniciou a construção do estádio, palco da abertura da Copa do Mundo de 2014.

De acordo com o ex-dirigente do clube, uma das melhores partes de seu livro é a que trata da chegada do Fenômeno, campeão paulista e da Copa do Brasil pelo Corinthians em 2009. “Tem várias boas histórias, mas acho que a contratação do Ronaldo é especial”, declarou.

Mário Gobbi, sucessor de Sanchez no cargo de presidente do Corinthians, foi um dos primeiros a receber uma cópia autografada de “O Mais Louco do Bando”. Diante dos fotógrafos e cinegrafistas, o atual mandatário do clube deu um beijo em seu antecessor. “Essa história que está no livro e aconteceu no clube durante os últimos cinco anos é resultado de um trabalho que fizemos muito juntos e próximos. É claro que tem outros colegas que participaram intensamente, mas nós vivemos isso de uma forma muito forte”, declarou Gobbi, que precisou desmentir rusgas com Sanchez recentemente.

Veja mais: Tite confirma Willian na vaga de Emerson contra o Santos

Ainda na gestão de Ricardo Teixeira, com quem mantinha boa relação, o corintiano foi nomeado diretor de seleções da CBF. José Maria Marin, que assumiu o comando da entidade após a renúncia do antecessor, também compareceu ao lançamento do livro de seu subordinado.

“Eu não estou aqui apenas como presidente da CBF, mas também como amigo. O Andrés fez uma dedicatória espetacular e muito carinhosa para mim. Ele fez para um amigo dele, e não para o presidente da CBF”, discursou o atual mandatário da entidade.

Marin abriu seu livro, fez menção de mostrar a dedicatória de Sanchez durante a entrevista e leu: “Ao meu presidente, que vai mudar o nosso futebol, muita paz e saúde. Te adoro”. Em seguida, ele comentou: “Não digo que seja declaração de amor, mas de um amigo”.

Acompanhados pelo técnico Tite, os jogadores também compareceram e, na livraria, ouviram gritos tradicionalmente entoados pelos torcedores nas arquibancadas. Suspenso do confronto com o Santos pela Libertadores, Emerson também marcou presença, assim como os lesionados Paulo André e Edenílson.

Além de atuais dirigentes, a exemplo de Roberto de Andrade, e antigos, como Roque Citadini, também prestigiaram o lançamento do livro alguns ex-jogadores, entre eles Ataliba. O ex-ministro José Dirceu e Vicente Cândido, relator da lei geral da Copa, passaram rapidamente pelo evento.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG