Tamanho do texto

Equipe do português Fernando Santos achou gol no fim do 1º tempo e segurou até o fim

Jogadores da Grécia celebram a classificação milagrosa para as quartas da Euro 2012
Getty Images
Jogadores da Grécia celebram a classificação milagrosa para as quartas da Euro 2012

A Grécia derrubou todos os prognósticos e se classificou para as quartas da Euro 2012 . Jogando contra a Rússia, líder do grupo A, na tarde deste sábado, a seleção treinada pelo português Fernando Santos achou um gol com Karagounis no fim do primeiro tempo e montou uma retranca instransponível para segurar a vitória por 1 a 0 até o fim. O resultado deu a vaga à equipe branca e acabou eliminando os russos, já que a República Checa venceu a Polônia no outro duelo da chave e também se classificou .

Você gostou da classificação da Grécia? Comente!

Os russos entraram na partida como líderes do grupo e poderiam até conseguir a vaga com uma derrota, mas a retranca grega superou avelocidade e a troca de passes russa que empolgou o público no início da Euro. Com quatro pontos, os russos terminam a fase de grupos como terceiro colocado, enquanto o time do português Fernando Santos – que era lanterna até a manhã – passa às quartas como segundo, também com quatro pontos. Os gregos levaram a melhor no confronto direto.

O jogo
A Grécia começou a partida se arriscando no ataque. Samaras, aberto pela esquerda, era a melhor arma. Logo aos dois minutos, o atacante conseguiu bom cruzamento. Salpingidis tomou a frente de Berezutsky, mas a arbitragem apontou impedimento do atacante grego. Pressionando em busca de um gol, o time do português Fernando Santos assustava nas bolas alçadas na área. Em um escanteio aos cinco minutos, Katsouranis desviou de cabeça e obrigou Malaféev a fazer boa defesa, no reflexo.

Torcida da Grécia vai à loucura com a vitória
Reuters
Torcida da Grécia vai à loucura com a vitória

A Rússia, porém, conseguiu equilibrar a partida. Na primeira vez que chegou à área adversária, Arshavivn se antecipou a Papadopoulos e tentou o desvio. A bola saiu fraca e permitiu a fácil defesa de Sifakis. Depois dos 15 minutos, a partida passou a ser dominada pela equipe russa, que apostava na velocidade de seus atacantes. Arshavin começou a distribuir a bola e encontrar os companheiros em boas posições. Depois de tabela com o capitão da equipe, Dzagóev serviu Kerzhakov, que bateu buscando o ângulo e por muito pouco não abriu o placar em Varsóvia.

Da metade do primeiro tempo para frente, os gregos recuaram enquanto os russos tocavam a bola. O time do holandês Dick Advocaat acuou os adversários no campo de defesa, mas não conseguiram furar o bloqueio à frente do gol de Sifakis. Ansiosos, os jogadores da Rússia insistiam em chutes de longe que não levavam perigo. Já nos acréscimos, Karagounis se aproveitou de um vacilo da defesa e abriu o placar. Em cobrança longa de lateral, o camisa dez e capitão grego invadiu a área pela direita e bateu rasteiro cruzado, sem chances para Malaféev.

No início do segundo tempo, a Grécia segurou a bola aproveitando-se do resultado a seu favor e, a cada chance que tinha, gastava tempo. Aos 15, depois de duas chances seguidas, Karagounis invadiu a área driblando e sofreu toque. O árbitro sueco Jonas Eriksson não marcou pênalti , deu cartão amarelo e disse que jogador simulou a falta. Inconformado, o capita da Grécia reclamou muito e foi substituído pelo treinador que queria evitar uma expulsão tola.

Santos, então, aproveitou para armar um paredão à frente da área, com todos os jogadores, exceto Samaras, atrás da linha da bola. A equipe russa, então, não conseguiu penetrar na defesa grega e passou a ficar impaciente. Já os gregos apostavam no contra-ataque nas raras vezes em que tem a posse de bola. Aos 39, Arshavin cruzou e Dazagoév foi mais esperto que Papastathopoulos. Na cabeçada para o chão, o artilheiro da Euro, com 3 gols, assustou Sifakis e quase empatou a partida para a Rússia. A bola passou a centímetros da trave e fez a torcida russa ir ao desespero com a chance desperdiçada.

Já nos minutos finais, a Rússia partiu para o tudo ou nada e começou a alçar bolas seguidas na área grega, tentando o gol da classificação. Os cruzamentos, no entanto, não surtiram efeito. Sem alternativas diante da retranca da Grécia, o gol de Sifakis não foi mais ameaçado. Ao apitar do árbitro, o time grego invadiu o campo para comemorar a vaga nas quartas de final. Do lado russo, decepção e lágrimas marcaram a saída de campo.

FICHA TÉCNICA - Grécia 1 x 0 Rússia
Eurocopa 2012 - grupo A - 3ª rodada 
Local : Estádio Nacional, em Varsóvia (POL)
Data : 16 de junho de 2012, sábado
Horário : 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro : Jonas Eriksson (SUE)
Assistentes : Stefan Wittberg e Mathias Klasenius (ambos SUE)
Cartões amarelos : Karagounis, Holebas (GRE), Zhirkov, Dzagoév, Anyukov, Pogrebnyak (RUS)

GOL
GRÉCIA: Karagounis, aos 46 minutos do primeiro tempo

GRÉCIA : Sifakis, Torosidis, Papadopulos, Sokratis Papastathopoulos e Katsuranis; Tzavelas, Maniatis, Karagounis (Makos), Salpingidis (Ninis) e Samaras; Gekas (Holebas)  Técnico : Fernando Santos

RÚSSIA : Malaféev, Anyukov (Izmailov), Ignashévich, Berezutsky e Zhirkov; Shirókov, Denísov e Glushakov (Pogrebnyak); Dzagóev, Arshavin e Kerzhakov (Pavlyuchenko)  Técnico : Dick Advocaat