Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Pai vê Valdivia melhorar e acha difícil retorno ao futebol chileno

Luis Valdivia afirmou que espera a decisão do filho após o sequestro relâmpago sofrido e não vê o meia jogando no Chile

Gazeta |

Enquanto Valdivia recupera-se do sequestro-relâmpago sofrido na semana passada, o pai do jogador, Luis, apareceu nesta sexta-feira na Academia de Futebol e reiterou o clima de dúvida sobre o futuro do camisa 10 palmeirense. Embora tenha constatado que seu filho demonstra melhoras após o incidente, Luis ressaltou que é apenas um “espectador” diante da situação.

Valdivia deve ficar ou sair do Palmeiras? Deixe o seu comentário

Gazeta Press
Luis Valdivia, pai do meia palmeirense, vê melhora no psicológico do jogador

“Ele está melhorando. Mas não sei (o que irá acontecer), sou apenas um espectador. Vamos ver, a decisão sobre que acontecerá é apenas dele”, ressaltou Luis, enquanto acompanhava a movimentação dos reservas do Palmeiras, na Academia de Futebol.

Leia mais: Sem saber sobre seu futuro, Valdivia volta aos treinos no Palmeiras

Sem dar muitas informações, Luis disse gostar de São Paulo e considera difícil o retorno de seu filho para o Chile, uma vez que, segundo ele, não há clubes no país com condições de bancar o investimento para ter Valdivia. “Há chances (do jogador continuar no Verdão). Ele tem contrato com o Palmeiras”, emendou.

Confira ainda: Valdivia se emociona com vitória sobre o Grêmio e apoio do Palmeiras

Diante do sequestro sofrido na última semana, o jogador colocou em dúvida seu futuro no time paulista. Apesar disso, Valdivia apareceu nos treinamentos desta sexta-feira no CT da Barra Funda, e fez parte da movimentação com o time reserva – os titulares fizeram uma atividade regenerativa na academia do CT.

E mais: Valdivia não diz se fica no Palmeiras e revela que mulher foi abusada

Contratado em 2010 pelo Palmeiras, o chileno, campeão paulista pelo clube em 2008, disse que agora terá acompanhamento psicológico e tenta convencer sua mulher, que também estava no sequestro relâmpago, a ficar no Brasil. A família é um fator decisivo na decisão do jogador, embora seu pai minimize sua importância no assunto.

A data limite para definição sobre o futuro do camisa 10, antes anunciada pelo clube, era esta sexta-feira. Na coletiva que concedeu na quinta, porém, Valdivia avisou que deve decidir o que fará em cerca de duas semanas.

Entre para a torcida virtual do Palmeiras:

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG