O treinador disse estar aborrecido com a derrota para a Argentina, que considerou injusta, mas sua expressão era triunfante

Estadão Conteúdo

Foi com ar vitorioso que Mano Menezes deixou o Estádio MetLife, em Nova Jersey, nos Estados Unidos, após a derrota por 4 a 3 para a Argentina . Para cumprir o protocolo, o treinador disse estar aborrecido com o resultado, que considerou injusto, mas sua expressão era triunfante. Ele está convencido de que calou a boca dos muitos que o criticavam com a boa atuação diante de um adversário forte. E de que ficou bem difícil para o comando da CBF encontrar argumentos para demiti-lo.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Segundo o treinador, a partida deste sábado foi uma prova de que a equipe olímpica do Brasil tem potencial para conquistar a medalha de ouro nos Jogos de Londres, competição em que certamente não vai enfrentar um adversário com tanto talento quanto a Argentina. Traduzindo em miúdos: não vai enfrentar um adversário que tenha Messi.

Leia mais:  Freguês de Messi, Neymar é ofuscado pelo melhor jogador do mundo

"Saio daqui com a convicção de que temos uma seleção olímpica muito boa", comentou Mano. "Com alguns pequenos ajustes, que serão feitos durante o período de treinos para os Jogos, faremos uma Olimpíada muito boa. O torcedor brasileiro pode sonhar com a conquista da medalha de ouro."

"Agora nós temos um time", concordou o presidente da CBF, José Maria Marin, que, segundo consta, não via o trabalho de Mano com bons olhos.

Veja também:  Expulso por dar tapa em adversário, Marcelo admite: "Perdi a cabeça"

A atuação firme contra os argentinos não surpreendeu o técnico, que na véspera do clássico dizia-se despreocupado com a possibilidade de o time sub-23 do Brasil "tremer" diante da Argentina. Ele contou que sua preocupação era outra, exatamente oposta. "Como são jogadores jovens, sabia que havia o risco de eles se empolgarem demais. É difícil conter o ímpeto dos jovens. E algumas vezes tivemos esse problema hoje (sábado)."

Confira ainda:  Seleção se descuida de Messi e deixa Neymar triste: "Vacilamos"

Outro problema detectado pelo gaúcho foi o espaço exagerado dado a Messi em alguns lances. Por mais que tenha elogiado o genial argentino, Mano acredita que a seleção poderia ter feito melhor trabalho ao marcá-lo. "Quando o time adversário tem um jogador especial, em alguns casos é possível dar espaço a ele. No caso do Messi, nunca. E nós demos algumas vezes."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.