Tamanho do texto

Time vê adversário fazer 2 a 0, mas consegue marcar 3 gols em 6 minutos. O Vasco é líder isolado do Brasileiro

Foi um daqueles jogos que garantem a emoção da rodada. Depois de sair na frente e fazer 2 a 0, o Botafogo viu o Cruzeiro reagir e em seis minutos marcar três gols que asseguraram uma emocionante virada no Engenhão, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro . O resultado de 3 a 2, além de frustrar os alvinegros, tirou a liderança isolado da equipe dirigida por Oswaldo de Oliveira (seis pontos). O Vasco (nove) agradece, já que o Atlético-MG (sete) empatara na véspera.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Jogadores do Cruzeiro acenam para a torcida no estádio do Engenhão
AE
Jogadores do Cruzeiro acenam para a torcida no estádio do Engenhão


O Botafogo tinha duas novidades. Além da volta de Andrezinho, afastado do time por lesão muscular há mais de um mês, a equipe alvinegra estreou o jovem Milton Raphael, de 21 anos, terceiro goleiro do elenco profissional. Egresso das divisões de base, substituiu Renan, com dores musculares.

Acompanhe o Brasileirão em tempo real e com estatísticas no aplicativo iG Futebol

Jogando em casa, o time dirigido por Oswaldo de Oliveira tomou a iniciativa da partida. E em menos de dez minutos já havia criado três oportunidades. Mas nenhuma delas levou tanto perigo. A de maior tensão saiu dos pés de Herrera, aos 9. O atacante argentino tabelou com Victor Júnior e, de perna esquerda, chutou para a boa defesa do goleiro Fábio.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Assista aos gols da virada cruzeirense sobre o Botafogo

O Cruzeiro teve um lance polêmico a seu favor numa tentativa de Wellington Paulista dentro da área. O atacante driblou um marcador e caiu pedindo pênalti. O árbitro manda a jogada seguir, apesar das reclamações cruzeirenses.

Mas foi o Botafogo que abriu a contagem. Aos 20, após cobrança de escanteio, Amaral, na primeira trave, tentou cortar e acabou fazendo gol contra: 1 a 0. Não satisfeito, o time alvinegro continuou pressionando e por pouco Herrera não ampliou. Mas chegou atrasado no cruzamento de Lucas.

Apesar da vantagem no marcador e da superioridade em campo, o Botafogo não conseguiu converter suas jogadas em gol até o fim da primeira etapa. O time insistia com Maicosuel, Victor Júnior, Márcio Azevedo e Herrera, mas o Cruzeiro tinha uma defesa bem postada. Em contrapartida, tentava chegar ao gol de Milton Raphael com Montillo e Wellington Paulista. Mas sem sucesso.

No segundo tempo, o jogo ficou mais equilibrado. Nem o Botafogo se acomodou e muito o Cruzeiro aceitou o resultado parcial. Os dois ataques trabalharam bastante. E qualquer um dos time poderia chegar ao gol.

O time mineiro, aliás, passou a jogar melhor, envolvia o meio-campo alvinegro e assustou o jovem Milton Raphael em vários momentos. Só que coube ao Botafogo ampliar o marcador. Herrera recebeu de Victor Júnior após Tinga perder uma bola no meio. O atacante argentino tocou na saída de Fábio: 2 a 0.

Mas quem disse que o Cruzeiro se entregou novamente. Pelo contrário. Embora criticado por armar suas equipes repletas de volante, o técnico Celso Roth mandou o time à frente e logo a equipe mineira descontou.

Aos 28, Mateus chutou para o gol, mas Anselmo Ramon desviou, enganando o goleiro alvinegro: 2 a 1. O gol assustou o time de Oswaldo de Oliveira, que mal teve tempo de digerir o golfe e dois minutos depois sofreu o empate. Desta vez, Anselmo Ramon cruzou da direita e Éverton, de cabeça, deixou tudo igual.

A partir daí, os donos da casa acusaram o golpe. Estáticos, não acreditavam no que acontecia. E o pior ainda estava por vir. Aos 34, Montillo é derrubado na área. Pênalti. O ex-alvinegro Wellington Paulista correu para a bola e converteu, no canto esquerdo de Milton Raphael. Foi o 19º gol do atacante cruzeirense na temporada. Sem forças para reagir, o Botafogo se entregou e viu a vitória do Cruzeiro.

FICHA TÉCNICA - BOTAFOGO 2 X 3 CRUZEIRO
Local: Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 7 de junho de 2012, na quinta-feira
Horário: 21h (de Brasília)
Árbitro: Fabrício Neves Correa (RS)
Assistentes: Tatiana Jacques de Freitas e José Eduardo Calza, ambos do RS
Cartões amarelos: Diego Renan, Fábio Ferreira, Montillo, Charles, Milton Raphael, Marcio Azevedo e Mateus

GOLS
Botafogo: primeiro tempo – Amaral contra (20). Segundo tempo – Herrera (20)
Cruzeiro: Segundo tempo – Anselmo Ramon (28), Éverton (30) e Wellington Paulista (34)

BOTAFOGO: Milton Raphael; Lucas; Brinner, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Jadson, Renato, Maicosuel, Vítor Júnior e Andrezinho (Elkeson); Herrera
Técnico: Oswaldo de Oliveira

CRUZEIRO: Fábio; Diego Renan, Léo, Mateus e Marcelo Olvieira (Éverton); Amaral, Charles, Tinga (Anselmo Ramon)e Souza (Fabinho); Montillo e Wellington Paulista
Técnico: Celso Roth