Tamanho do texto

Preocupação da Uefa é grande, até porque Polônia e Ucrânia, as duas sedes do torneio, são consideradas nações bastante preconceituosas

Michel Platini, presidente da Uefa
Getty Images
Michel Platini, presidente da Uefa

O francês Michel Platini, presidente da Uefa, afirmou que se houver qualquer atitude racista por parte dos torcedores contra jogadores na Eurocopa 2012 , os árbitros poderão paralisar as partidas e, se as ofensas persistirem, o juiz terá o poder até de cancelar o jogo.

CONFIRA: Saiba mais sobre as 16 seleções que vão disputar a Euro 2012

"Eu acho que não é só um problema do futebol e, sim, um problema da sociedade. Nós tomamos medidas significativas com o Comitê Executivo da Uefa para dar aos árbitros a chance de parar o jogo ou até cancelar a partida se os atos racistas continuarem acontecendo", avisou Platini em uma coletiva na cidade de Varsóvia, na Polônia.

LEIA TAMBÉM:  Balotelli diz que não vai tolerar racismo na Euro 2012: "Eu mato"

Além da Polônia, a Ucrânia também sediará o torneio. A preocupação é grande porque são nações consideradas bastante preconceituosas na Europa. E por conta das recentes manifestações racistas que ocorreram nos dois países, o ex-zagueiro da seleção inglesa Sol Campbell aderiu a uma campanha de boicote à competição, pedindo que torcedores ingleses negros não fossem à competição.

E MAIS: Espanha é a seleção mais valiosa da Eurocopa. Veja lista

Outro jogador que se manifestou foi o italiano Mario Balotelli . O atacante disse que se houver racismo na Euro, deixará o campo. Questionado sobre o assunto, Platini avisou a que se o atleta fizer isso, levará um cartão amarelo. "Não é o jogador, senhor Balotelli, que está no controle da situação", se referindo ao poder dado à arbitragem nesse tipo de caso.

Veja as camisas das 16 seleções da Euro 2012 :