Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Destaques da seleção cubana sonham com a Copa do Mundo

Formada em grande parte por jovens atletas, Cuba inicia, a partir do dia 8 de junho, a caminhada em busca da vaga no Mundial de 2014, no Brasil

Márcia Gimenez , especial para o iG |

Para enfrentar as eliminatórias para a Copa de 2014, a seleção cubana conta com um elenco predominantemente jovem, mesclado com alguns jogadores mais experientes. Em comum, todos têm o mesmo sonho: classificar sua equipe para o mundial. A partir do dia 8 de junho, quando enfrentam o Canadá em Havana, eles começam sua batalha. Com simpatia, alguns destaques da equipe conversaram com o iG.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Márcia Gimenez
Jeniel Molina, Odisnel Cooper e Marcel Hernandez: destaques da seleção cubana


O zagueiro Jeniel Marques Molina, de 33 anos, é o capitão do time, e está na equipe nacional de Cuba desde 1999. Natural de Vila Clara, ele conta que joga futebol desde os oito anos de idade. Sobre os motivos que o levaram a escolher o esporte, brinca: “É um bicho que quando te pega não te deixa mais”. Jeniel teve chance de experimentar outras modalidades, como beisebol e vôlei, mas acabou optando pelo futebol. Fã declarado de Ronaldinho Gaúcho, não se importa com a má fase que o brasileiro atravessa: “Não importa, ele já fez tanta coisa que ainda está sobrando”, garante, bem-humorado. Sobre as chances de sua equipe nas eliminatórias, reconhece que o desafio é duro, mas procura usar sua experiência para motivar os mais jovens. “Sei que é difícil, mas falo para eles que o mais importante é estar bem psicologicamente, pensando sempre que sim, vamos nos classificar”, explica.

Leia também: Seleção cubana treina em São Paulo para eliminatórias da Copa do Mundo

Natural de Havana, o atacante Marcel Hernandez, de 22 anos, joga futebol desde os sete anos. “Ia sempre assistir ao meu avô, que jogava. Com o tempo, fui me interessando pelo esporte, e acabei resolvendo praticá-lo”. Habilidoso, marcou um golaço no jogo contra o Mogi Mirim, em uma cobrança perfeita de falta, no ângulo, sem chance de defesa para o goleiro. Não por acaso, declara que seu ídolo no esporte é o português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid. “Ele tem tudo, é perfeito em todos os fundamentos”, justifica.


Veja ainda: Técnico cubano analisa chances do time nas eliminatórias

Já o goleiro Odisnel Cooper, de 20 anos, encara as eliminatórias com a responsabilidade adicional de estrear na equipe principal de Cuba. Nascido em Camaguey, joga futebol desde os 11 anos, e conta que defender o gol não era a primeira opção quando começou. “Preferia ser atacante, queria marcar muitos gols. Mas o treinador me escolheu como goleiro, o que podia fazer? Com o tempo, acabei gostando”, lembra, rindo. Cooper revela admirar muito o espanhol Iker Casillas, do Real Madrid. Na última Copa do Mundo, no entanto, não torceu para a campeã Espanha. “Queria que a Argentina ganhasse. Gosto do jeito que eles jogam, e o Messi é o máximo”, revela. Na expectativa por sua estreia na seleção principal, o jovem diz que espera fazer um bom papel e contribuir para a equipe. Tudo para ajudar a realizar seu grande sonho: “Me tornar o melhor goleiro da América Central e jogar o mundial”, almeja.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG