Técnico e jogadores prestaram homenagem às vítimas do regime nazista em campo de concentração na Polônia

Reuters

Um grupo de jogadores da seleção alemã e o técnico da equipe, Joachim Loew, visitaram o antigo campo de concentração de Auschwitz na última sexta-feira. Na Polônia para a disputa da Eurocopa-2012, o grupo decidiu prestar suas homenagens às vítimas do Holocausto e visitaram o antigo campo nazista.

Philipp Lahm e Miroslav Klose, ambos de origem polonesa, andam pelo campo de concentração de Auschwitz, na Polônia
Getty Images
Philipp Lahm e Miroslav Klose, ambos de origem polonesa, andam pelo campo de concentração de Auschwitz, na Polônia


Deixe sua mensagem e comente a notícia com outros torcedores

Loew, o capitão Philipp Lahm e os jogadores de origem polonesa Miroslav Klose e Lukas Podolski se juntaram a membros da federação de futebol da Alemanha ao adentrarem no campo de concentração passando pelo infame portão onde se lê "Arbeit macht frei" (O trabalho liberta o homem).

Muitos dos 1,5 milhão de prisioneiros, a maioria judeus, que acabaram morrendo no local de extermínio nazista cruzaram o mesmo portão durante a Segunda Guerra Mundial.

Técnico da Alemanha Joachim Loew observa fotografias de antigos prisioneiros de Auschwitz
Getty Images
Técnico da Alemanha Joachim Loew observa fotografias de antigos prisioneiros de Auschwitz

Os membros do grupo de futebol não falaram com a imprensa, mas em um recado deixado no livro de visitantes do museu, eles escreveram: "Para o futebol também, Auschwitz representa um tributo silencioso e, acima de tudo, uma obrigação de falar."

"Para falar sobre essa história infinitamente triste e cheia de ódio e da mensagem que ela envia."

Durante uma visita sem chamar muito atenção, os jogadores e membros da federação, vestindo casacos escuros que combinavam com o clima frio e com suas expressões sombrias, visitaram as ruínas do antigo campo nazista, incluindo a câmara de gás e barracas de madeira que abrigavam os presos.

O grupo também passou pelas plataformas ferroviárias utilizadas para descarregar os presos que chegavam trancafiados em vagões de gado com destino a uma morte quase certa. No local, os jogadores acenderam 22 velas em honra das principais nacionalidades cujos membros morreram lá.

Eles também atravessaram uma parte dedicada às mulheres do campo em Auschwitz II, ou Birkenau, uma expansão do local principal adicionada quando o Holocausto nazista estava em pleno andamento.

Miroslav Klose, Oliver Bierhoff, Philipp Lahm e Lukas Podolski prestam homenagem a vítimas do Holocausto
Getty Images
Miroslav Klose, Oliver Bierhoff, Philipp Lahm e Lukas Podolski prestam homenagem a vítimas do Holocausto


O museu Auschwitz-Birkenau está localizado no sul da Polônia, que será co-anfitriã do torneio Euro 2012 junto com a Ucrânia a partir da próxima sexta-feira.

Inglaterra, Holanda e Itália, que vão treinar na vizinha Cracóvia, também pretendem visitar Auschwitz durante seu tempo na Polônia.

Grande parte das vítimas do Holocausto sucumbiu em solo polonês. Durante a Segunda Guerra Mundial, a Alemanha invadiu a Polônia, onde botou em prática o ideário nazista. Como resultado, o país sofreu com o extermínio de quase a totalidade de sua comunidade judaica. Antes do início da grande guerra, em 1939, a Polônia tinha cerca de 3,3 milhões de judeus. O país tem mantido algumas das instalações de campos de concentração como um lembrete das atrocidades cometidas pelos nazistas em seu território.

Mais cedo nesta sexta-feira, o presidente polonês, Bronislaw Komorowski, recebeu uma carta do colega dos EUA, Barack Obama, que expressou pesar sobre o uso da expressão "campo da morte polaco" esta semana, que alguns poloneses entenderam como sugerindo que eles eram parcialmente responsáveis pelos crimes cometidos pelos nazistas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.