Vasco mostra sua força com vários heróis nos momentos decisivos

Felipe eliminou o Flamengo, mas desde 2011 papel principal se divide entre Alecsandro, Dedé, Diego Souza e outros

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

A declaração de Felipe dando conta que o Vasco é um time sem craques, e que a força está no conjunto , pode ser evidenciada nas campanhas recentes do time cruzmaltino. Domingo, na vitória de 3 a 2 sobre o Flamengo , o meia balançou a rede duas vezes. Assediado, dividiu o mérito com os companheiros, citando a importância de cada um ao longo das duas últimas temporadas. A julgar pelos resultados mais expressivos, o camisa 6 tem razão.

Leia mais: Vasco inventa celebração de Jon Jones com foto antiga

Gazeta Press
Felipe comemora o gol que marcou na vitória contra o Flamengo
Durante boa parte da temporada de 2011, a grande arma vascaína vinha do banco de reservas. O então xodó Bernardo , hoje no Santos , tentou sem sucesso se firmar como titular da equipe, mas nas vezes em que entrava dava conta do recado. Marcou 18 gols em 57 partidas, sendo o último o que quase mudou a história do Campeonato Brasileiro , contra o Fluminense , na penúltima rodada – o Corinthians já comemorava o título antecipado quando o meia virou a partida para 2 a 1 nos minutos finais.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

As peripécias do meia, no entanto, custaram sua permanência em São Januário. Afastado e posteriormente negociado com o clube da Vila Belmiro, a farra de gols passou a ser responsabilidade de Alecsandro. Se em 2011 o atacante marcou apenas 13 vezes, este ano ele mudou as características. Jogo fixo na área e já mandou 15 bolas para a rede em 22 compromissos.

Veja também: Críticas ao técnico e ameaça de adeus fizeram de Felipe titular

Alecsandro, aliás, foi um dos responsáveis pela inédita conquista da Copa do Brasil , em junho passado, diante do Coritiba. Artilheiro da competição com cinco gols, marcou no Rio e na capital paranaense: 1 a 0 e 3 a 2 . Além dele, Eder Luis foi decisivo na reta final do torneio nacional, junto com Diego Souza . O camisa 10, inclusive, foi o vice-artilheiro do time na temporada passada, com apenas um gol a menos que Bernardo.

Vasco comercializa parte do velho alambrado de São Januário

Agência O Globo
Bernardo, hoje no Santos, chora após o gol que manteve o campeonato aberto em 2011
Diego alternou boas e más atuações, mas quando esteve bem encantou o técnico Mano Menezes, que o levou de volta para a seleção brasileira – que não acontecia desde 2009, sob o comando de Dunga.

Há ainda jogadores importantes para o elenco, como Fernando Prass; Fágner, em grande fase nos cruzamentos e assistências; Fellipe Bastos, cinco gols em dois meses . Juninho Pernambucano, nas bolas paradas, ainda é perigoso. Após quase três meses fora de combate por contusão, Rômulo vem se destacando novamente. Contra o Nova Iguaçu, marcou um gol e deu passe para os dois de Alecsandro .

E, claro, o grande ídolo hoje do Vasco o zagueiro Dedé . O jogador já superou em prestígio atualmente no clube e no coração da torcida os mais experientes Felipe e Juninho. É nome certo na lista de Mano Menezes e constantemente assediado pelo futebol europeu. Dedé já é o zagueiro que mais gols marcou na história do Vasco desde a era profissional. Foram 15 até aqui, sendo 12 deles em 2011 (um este ano e dois em 2010), marca que impressiona por se tratar de um defensor. Vale lembrar que o atacante Alecsandro fez apenas um a mais que ele.

    Leia tudo sobre: VascoFelipeCampeonato Carioca 2012

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG