Flamengo joga contra o Vasco e contra a crise na semifinal da Taça Rio

Enquanto Joel Santana tenta continuar empregado, vascaínos, ainda vivos na Libertadores, buscam fim do jejum no Estadual

Hilton Mattos e Vicente Seda, iG Rio de Janeiro |

O Engenhão recebe neste domingo um clássico que, fora a rivalidade natural de um Flamengo e Vasco , tem uma importância que vai além de uma mera classificação para uma final de turno para o time da Gávea. Se vencer mais uma vez, como ocorreu na semifinal da Taça Guanabara, o Vasco decretará o "fim" do primeiro semestre do rival, que inevitavelmente mergulhará em uma profunda crise sem data para terminar. Apesar de seguir na Libertadores, esse fato, aliado ao jejum de títulos estaduais que dura desde 2003, torna a partida também especial para a equipe da Colina, que, contudo, não terá um de seus principais jogadores diante de Vagner Love e Ronaldinho Gaúcho: o zagueiro Dedé, lesionado, está fora.

LEIA MAIS: Semifinal da Taça Rio tem 11.935 ingressos vendidos até sábado

Depois da eliminação precoce na Libertadores, o Flamengo ferve. O técnico Joel Santana já não tem mais o humor de outrora. A entrevista concedida na sexta-feira no Ninho do Urubu deixou claro que as notícias dando conta de que seu emprego estará em jogo no Engenhão afetaram o treinador. Joel não fez piada, não sorriu e não se furtou a respostas mais ásperas quando pressionado sobre sua situação.

Vipcomm
Joel Santana está irritado com as notícias de que corre sério risco de demissão no Flamengo
Na Gávea, o caldeirão político também borbulha. Enquanto Patrícia Amorim sofre críticas de possíveis concorrentes na eleição de fim de ano, Ronaldinho cobra, através de seu irmão e empresário Assis, salários atrasados: R$ 2,5 milhões. O clube já formula uma lista de passageiros para a "barca" que deve zarpar no fim do Estadual e o camisa 10 pode ter sua passagem só de ida carimbada pela presidente que, em coletiva na terça-feira, não garantiu a permanência do jogador, preferindo deixar o assunto para depois.

Joel não terá Willians, com lesão muscular, além de Aírton, que trata fratura no pé, e Maldonado, que se recupera de cirurgia no joelho. David Braz está liberado mas, ainda retomando a forma, fica no banco. Renato Abreu chegou a ser testado entre os titulares mas, sem ritmo, deve dar lugar ao jovem Rômulo, também usado durante a semana no Ninho do Urubu. Indagado sobre o clima para a partida, Joel se mostrou tranquilo.

"Desde que vocês não eram nascido, esse jogo é assim, nervoso. Não só contra o Vasco, contra Fluminense e Botafogo também. A história sempre foi essa. Tem de ter equilíbrio para jogar uma partida como essa", disse o treinador, para em seguida também minimizar os efeitos da pressão sobre os jogadores. "São todos cascudos, do Felipe ao Ronaldo. Não tem problema. Tem de chegar lá e ganhar jogo. O time é muito maduro, não vai ter interferência nenhuma, é briga de cachorro grande, vai ser decidido lá no momento".

VEJA TAMBÉM: Cristóvão diz que Flamengo não é tabu, mas rival como qualquer outro

O último clássico foi na fase de grupos da Taça Rio e o Flamengo venceu por 2 a 1, com um gol de pênalti no fim do jogo, que terminou em confusão. Jogadores do Vasco partiram para cima do árbitro reclamando de outra suposta penalidade não marcada sobre Thiago Feltri e o caso acabou no tribunal. Quatro atletas pegaram suspensão pesada, mas jogarão sob efeito suspensivo concedido pelo TJD-RJ: Rodolfo, Eduardo Costa, Fagner e Felipe Bastos. Ao receber a notícia de que os vascaínos atuariam, Vagner Love ironizou: "Bom, pelo menos assim não terão nenhuma desculpa se perderem".

Gazeta Press
Juninho Pernambucano é uma das armas do Vasco para a semifinal
No Vasco, a única ausência é o zagueiro Dedé. O jogador ainda se recupera de um edema ósseo na fíbula da perna esquerda e talvez desfalque o time nas oitavas de final da Libertadores. No mais, o técnico Cristóvão Borges terá os outros titulares todos à sua disposição. E mais: promete enfrentar o rival rubro-negro com uma formação bem ofensiva.

Do meio-campo para frente, somente Rômulo tem características únicas de marcação – e assim mesmo vez de uma bela exibição diante do Nova Iguaçu, marcando um gol dando passe para os dois assinalados por Alecsandro na vitória de 3 a 1 no último domingo.

Felipe, Juninho Pernambucano, Diego Souza, Eder Luis e Alecsandro são os responsáveis pela formação que começa com 4-4-2, mas que ao longo da partida varia para um 4-3-3, com Diego Souza avançado.
“O Vasco tem um grande elenco, tem variedade, jogadores para isso. O importante é se ajudar dentro de campo, na marcação. Já nos conhecemos, podemos variar o posicionamento de uma hora para outra sem problema”, adverte Felipe.

Será o terceiro duelo entre as duas equipes na atual temporada. Nos outros encontros, houve uma vitória para cada lado. Sem que a mais importante, na semifinal da Taça Guanabara, foi vencida pelos cruzmaltinos: 2 a 1. Se perder, dará adeus à competição e amargará um jejum que caminhará para o décimo ano sem conquistar o estadual. O clube foi campeão carioca pela última vez em 2003.

Daí o Vasco dar importância ao Carioca, embora a prioridade seja a Libertadores. O meia Juninho é um dos defensores do estadual. Campeão em 1998, ano do centenário vascaíno, o Reizinho avisa que em São Januário todos respeitam o estadual.

“Claro que a Libertadores é uma competição de muita importância, coloca o Vasco de volta ao cenário internacional, mas o Carioca tem o seu valor também. É um campeonato difícil, o Vasco sempre o valorizou e vamos atrás dele procurando dar o máximo”, disse Juninho.

FICHA TÉCNICA: FLAMENGO X VASCO
Local: Estádio Olímpico João Havelange (Engenhão), no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 22 de abril de 2012, no domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Jackson Lourenço (RJ) e Wagner de Almeira (RJ)

FLAMENGO: Felipe; Leonardo Moura, Welinton, González e Júnior César; Rômulo, Luiz Antonio, Kléberson e Ronaldinho Gaúcho; Deivid e Vagner Love
Técnico: Joel Santana

VASCO: Fernando Prass; Fágner, Rodofo, Renato Silva e Thiago Feltri; Rômulo, Felipe, Juninho Pernambucano e Diego Souza; Eder Luis e Alecsandro
Técnico: Cristóvão Borges

    Leia tudo sobre: FlamengoVascosemifinalTaça Rio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG