Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Alecsandro crava que vai marcar 30 gols na temporada

Atacante do Vasco estima que fará 60 jogos em 2012 e pretente balançar a rede em 50% das partidas

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

Gazeta Press
Alecsandro, atacante do Vasco
No ano passado, Alecsandro chegava ao Vasco com uma meta. Queria encerrar a temporada com a média de um gol a cada duas partidas. Segundo o atacante, este aproveitamento de 50% pode ser apontado como ideal no futebol brasileiro. Só que ele ficou bem longe disso. Foram apenas 13 em 39 jogos – média de 0,33%. Em 2012, porém, sua relação com as redes adversárias mudou da água para o vinho. Até agora, já marcou 15 vezes em 21 partidas.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Alecsandro andou fazendo as contas de número de jogos na temporada. Chegou à marca próxima de 60, contando os 38 do Campeonato Brasileiro, o restante do estadual e as oitavas de final da Copa Libertadores. Sem medo, cravou:

“Quero chegar a 30 gols. No ano passado, não consegui, não vou mentir. Mas agora as coisas mudaram, mudei minha forma de jogar, estou mais confiante e vou chegar nos 30”, declarou o atacante, artilheiro do Campeonato Carioca com 12 gols, ao lado de Somália. Os outros três foram marcados na Libertadores (dois) e um na festa de despedida de Edmundo. “Para mim, está valendo. Se chegar no fim do ano e estiver faltando um golzinho, eu completo com este do Edmundo”, brincou o atacante.

Leia também: Juninho está confirmado domingo contra o Flamengo

Mas, pela matemática, ele não vai precisar apelar – embora contabilize o gol marcado no amistoso, gosta de somar apenas os oficiais para esta marca -, já que seu aproveitamento este ano é surpreendente: 0,71. O ano, em tese, ainda está começando.

Com a média elevada em 2012, Alecsandro se vê compensando a decepção pessoal do passado. Ao todo, ele disputou 60 partidas nas duas temporadas, chegando a 28 gols – quase os 50% que sonhara há um ano.

Veja ainda: Campeonatos estaduais chegam à reta final. Quem vai passar?

“Ano passado eu joguei mal, a bola não quis entrar. Machuquei e fiquei dez 10 rodadas fora no Brasileiro. E tinha ainda a impaciência do torcedor e a opção do treinador em te tirar. Se eu não marcasse no intervalo, era sacado. Este ano, não. Estou jogando enfiado na área”, justificou o atacante.

A mudança de posicionamento veio de uma conversa com o técnico Cristóvão Borges no começo da temporada. Com a transferência de Elton para o Corinthians, Alecsandro teve a garantia do treinador que ficaria mais tempo em campo, sem a ameaça de perder a posição. Jogando de forma fixa na área, sem sair para buscar jogo, as bolas foram lhe aparecendo e ele, oportunista, empurrando-as para a rede.

E mais: Vacilo do Flu na Taça Rio faz Carioca ter final após três anos

“Poder ficar próximo da área, próximo do gol, onde me sinto melhor, onde pintam as melhores oportunidades. Tudo isso ajuda. Mas não é só isso: é também o somatório de um monte de coisa. Uma delas é a confiança do treinador. Outra: com a ausência de outro jogador de área, eu tenho que ficar o tempo todo. Por isso sou escalado em todos os jogos, não sou poupado”.

Ajude a aumentar a torcida virtual do Vasco

 

Leia tudo sobre: vascoalecsandro

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG