Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Relembre 10 clássicos memoráveis entre Corinthians e Palmeiras

Como aperitivo para a 'final' de domingo, iG lista clássicos memoráveis para as duas torcidas

Danilo Lavieri, iG São Paulo |

O clássico mais antigo do Estado de São Paulo ganhará mais um capítulo memorável no próximo domingo. Corinthians e Palmeiras têm ao longo de 94 anos de história alguns episódios inesquecíveis para os dois lados desta rivalidade.

Leia também: Entre Cocada e chocolate, relembre Vasco x Flamengo inesquecíveis

Movidos por provocações, por apostas inusitadas entre ídolos e com choques que colocaram frente a frente na marca do pênalti heróis das duas torcidas, jogadores dos dois times terão no domingo, no Pacaembu, uma chance única de escreverem seus nomes na história do dérbi no dia em que o Corinthians poderá conquistar seu quinto título brasileiro e o Palmeiras estragar a festa do rival.

O iG listou 10 jogos memoráveis entre as duas equipes com cinco finais felizes para corintianos e outros cinco para os palmeirenses.

Relembre 5 dérbis em que o Corinthians levou a melhor sobre o Palmeiras

1) Corinthians 1 x 1 Palmeiras - Paulista de 1954 - Campeão do "quarto-centenário"
Foi só um empate, como o que precisa o Corinthians para ser campeão neste domingo, mas foi suficiente. Naquele ano, o Campeonato Paulista era disputado por pontos corridos. Luizinho abriu o placar para o Corinthians logo no início do jogo. O empate do Palmeiras veio aos sete do segundo tempo com Ney de cabeça. O detalhe pitoresco deste jogo aconteceu antes de a bola rolar. A diretoria do Palmeiras ficou sabendo que um trabalho de macumba havia sido feito com a tradicional camisa verde do clube. Ela teria sido enterrada por um pai de santo corintiano. O boato foi levado a sério pelos palmeirenses, que entraram em campo com uma camisa azul, para tentar quebrar o feitiço do "macumbeiro".

2) Corinthians 4 x 3 Palmeiras - Paulista de 1971 - A maior virada da história do clássico

Os relatos da época contam que mais de 60 mil torcedores compareceram ao Morumbi numa tarde de chuva e frio em 25 de abril de 1971. O Palmeiras da "Segunda Academia" era franco favorito, com jogadores de seleção, e vindo de conquistas recentes importantes. O Corinthians já amargava uma fila de 16 anos sem títulos. O jogo começou quente e com sete minutos de bola rolando o atacante César Maluco já havia aberto 2 a 0 para o Palmeiras, placar do primeiro tempo. Na volta do intervalo, o Corinthians buscou o empate com gols de Mirandinha e Adãozinho, mas aos 26 minutos, Leivinha recolocou o Palmeiras na frente. A reação corintiana veio logo depois, com gol de Tião aos 28. Iguais novamente, os dois passaram a atacar e tratar a vitória como uma questão de honra. O gol derradeiro saiu dos pés de Mirandinha, já nos acréscimos. Foi como se fosse um título para o Corinthians.

3) Corinthians 5 x 1 Palmeiras - Paulista de 1982 - O dia em que Luís Pereira virou corintiano

Uma aposta inusitada agitou o jogo na semana que antecedeu a partida. Dois dos principais ídolos das duas equipes apostaram que o perdedor do clássico teria de usar a camisa do rival e dar uma volta olímpica no Morumbi. Uma derrota para qualquer um dos lados já provocaria a humilhação do perdedor. Mas foi ainda pior para o palmeirense. O placar não deixou dúvidas sobre quem foi superior: 5 a 1, com três gols de Casagrande, então uma promessa do Parque São Jorge.

4) Corinthians 2 x 1 Palmeiras - Paulista de 1995 - O gol de Elivélton impede o tri do rival

Nessa época o Paulista ainda era valorizado e o triunfo impediu o tricampeonato do Palmeiras no torneio. A partida aconteceu em Ribeirão Preto porque o Morumbi estava fechado para obras. O Palmeiras saiu na frente com um gol de Nilson após passe de Rivaldo. O empate veio com Marcelinho Carioca, que marcou um golaço de falta. O resultado levou o jogo para a prorrogação. O gol do título saiu aos 13 minutos do segundo tempo, com Elivélton, que tirou a camisa tendo uma outra por baixo. "Eu sabia que faria esse gol", disse.Veja os 5 dérbis mais felizes para o torcedor palmeirense

Gazeta Press
Edilson chama a marcação de Rogério na final do Paulistão de 99
5) Corinthians 2 x 2 Palmeiras - Paulista de 1999 - O dia das embaixadinhas de Edílson

Um mês antes o Corinthians havia perdido uma vaga nas semifinais da Libertadores para o Palmeiras nos pênltis. A rivalidade neste período estava no seu auge e na final do Campeonato Paulista ela explodiu. Depois de vencer o primeiro jogo por 3 a 0, o empate dava o título ao Corinthians e aos 31 minutos do segundo tempo, Edílson começou a fazer embaixadinhas no meio campo. A provocação gerou uma briga generalizada. O jogo acabou ali e o Corinthians comemorou seu 23º título paulista.

Lembre de cinco clássicos em que o Palmeiras venceu seu maior rival
 

O jogo de domingo também faz muitos palmeirenses lembrarem de clássicos decisivos em que o Palmeiras levou a melhor diante do Corinthians . O mais recente deles, que é impossível de esquecer, é o de 2000, quando Marcelinho Carioca errou o pênalti diante de Marcos. Mas a história mostra outros grandes dérbis em que o time do Palestra Itália pôde comemorar em cima de seu grande arquirrival.

A partida deste domingo não valerá título para o Palmeiras, mas, certamente, não sairá da memória caso a equipe consiga tirar das mãos do Corinthians a taça do Brasileirão de 2011.

1) Palmeiras 1 x 0 Corinthians - Paulistão 1974 - "Zum, zum, zum, é 21!"

O Corinthians lutava para sair da fila de 21 anos. E não conseguiu. Ronaldo marcou o gol no jogo nervoso, de voleio. Rivelino e Vaguinho tentaram de todas as formas, mas não conseguiram passar por Leão, que estava em uma noite inspirada. O coro da arquibancada palmeirense era para provocar, gritando "zum zum zum, é 21!", em referência à fila que só acabaria em 1977. O título do Paulistão de 1974 ia para o Palestra Itália.

2) Paulistão 1993 - Palmeiras 4 x 0 Corinthians - Evair tira time da fila

Depois de 16 anos sem ganhar nada, o Palmeiras conseguiu sair da fila justamente em cima do rival. Com o placar de 3 a 0 no tempo normal, o time comandado por Evair ainda precisou ir para a prorrogação para alcançar a taça. No tempo extra, o próprio Evair bateu o pênalti e fez. O eterno camisa 9 define aquele momento como um dos mais difíceis da carreira. Com o placar de 4 a 0, o Palmeiras era campeão Paulista. A conquista virou até música da torcida organizada do Palmeiras.

ig
Em 1993, Evair comemorou título do Paulistão em cima do Corinthians

3) Palmeiras 3 x 1 Corinthians - Brasileirão 1994 - Rivaldo dá show no Pacaembu

O Pacaembu com quase 40 mil pessoas viu Rivaldo dar show. Após garantir o bicampeonato paulista, o time comandado por Vanderlei Luxemburgo queria ser bicampeão brasileiro. A vitória começou a ser construída aos 44 minutos do 1º tempo, com Rivaldo. Aos 17 minutos da etapa final, o mesmo meia, que já se declarou palmeirense mesmo atuando pelo São Paulo, conseguiu ampliar o placar. A torcida palmeirense ainda comemorava e Edmundo ampliou o placar, praticamente sacramentando a conquista. Marques ainda descontou. No jogo de volta, o Corinthians conseguiu ficar só no empate por 1 a 1 e não parou o adversário.

Gazeta Press
No Palmeiras Rivaldo conquistou o Campeonato Brasileiro de 1994 e o Paulista de 1996

4) Palmeiras 0 x 2 Corinthians - Libertadores 1999 - São Marcos vira ídolo

Em 1999, Palmeiras e Corinthians se enfrentaram nas quartas de final da Copa Libertadores. No primeiro jogo, o time comandado por Luiz Felipe Scolari venceu por 2 a 0. Na volta, no Morumbi completamente lotado, o time do Parque São Jorge fez uma verdadeira blitz no ataque e conseguiu dois gols após cruzamentos de Marcelinho Carioca. O primeiro com Edilson e depois com Ricardinho. A decisão foi para os pênaltis, e Marcos começou sua trajetória de santo. Ele defendeu a cobrança de Vampeta e viu Dinei colocar por cima. O Palmeiras iria para a semifinal e, logo depois, seria campeão de sua primeira Libertadores.

Gazeta Press
Após o jogo com o Corinthians, Palmeiras caminhou para a final de 1999 e foi campeão

5) Palmeiras 3 x 2 Corinthians - Libertadores 2000 - "Marcelinho vem para a batida..."

No ano seguinte, os dois times voltariam a se enfrentar na Libertadores, mas, desta vez, na semifinal. Na primeira partida, o Corinthians dominou o arquirrival e podia ter vencido por um placar elástico. A equipe acabou se acomodando e permitiu que o Palmeiras encostasse no placar. O jogo terminou no 4 a 3. No segundo jogo, o Palmeiras saiu à frente e acabou tomando a virada. Aos 26 minutos do 2º tempo, aconteceu a virada da virada. Galeano passa pela costas do então zagueiro Adilson Batista e coloca para o fundo das redes empatando o placar acumulado. A decisão foi novamente para os pênaltis. E aí Marcelinho Carioca, o último a cobrar pelo Corinthians, acabou errando. Marcos acertou o canto do então melhor batedor de pênaltis e colocou o time na final da competição, que o time do Parque São Jorge luta até hoje para conseguir.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG