iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

10/12 - 15:53

Embalado por banda, Mazembe elimina Pachuca e enfrenta Inter na semifinal do Mundial

Africanos surpreenderam mexicanos com futebol de força física e serão os adversários dos brasileiros na terça-feira

Marcel Rizzo, enviado iG a Abu Dhabi

Ao som de uma banda particular que animou um Mundial de clubes que não empolga os torcedores locais, o Mazembe, time da República Democrática do Congo e campeão africano, surpreendeu e venceu o Pachuca, do México e melhor time das Américas do Norte e Central, e será o adversário do Internacional na semifinal do Mundial de Clubes.

O jogo acontece terça-feira, 14 de dezembro, no mesmo estádio Mohammed Bin Zayed que o Mazembe fez 1 a 0 no Pachuca na noite desta sexta-feira em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos (tarde no Brasil).

Com um ritmo alucinante, parecido o torcedor fantasiado que aparecia a todo momento no telão do estádio, o Mazembe sufocou um surpreso Pachuca no início da partida. Os mexicanos entraram em campo pensando no Inter, ao que pareceu. E enfrentaram um time forte fisicamente, com jogadores com certa habilidade no ataque. Se o Mazembe não tem um armador  competente, conseguia lançamentos convincentes para os atacantes trombarem e ganharem as jogadas.

Getty Images
Torcida do Mazembe marcou presença na partida do time contra o Pachuca

Coreografia
O estilo “Mazembe de jogar” empolgou os torcedores árabes, que mais uma vez foram convocados pelos xeques que comandam o país para assistir a uma partida. Mas estavam empolgados e havia até um animador de torcida para dizer a hora que gritar, pular, bater palmas. Palmas que só serviam para o Mazembe no início da partida.

Aos 15 minutos, no telão apareceu um rosto preocupado. Pablo Marini, o mesmo que disse que o Pachuca poderia quebrar a escrita e finalmente eliminar um sul-americano da final do Mundial, coçava a cabeça, tenso. Deu algumas orientações aproveitando a lesão de um africano e seu time melhorou.

Quase marcou em um chute no travessão de Manso. Só que Kabangu recebeu a bola na entrada da área e deu um passe preciso, com um toquinho embaixo das bola, para Bedi invadir a área e chutar alto, sem chance para Calero. O goleiro, 39 anos, o mais velho do Mundial ao lado de Abbondanzieri, do Inter, não alcançou a bola.

O Mazembe se recolheu após o gol, apesar da banda aumentar o ritmo. O Pachuca se animou, mas estava desorganizado. Nem mesmo a ingenuidade dos africanos, que em muitos lances eram driblados facilmente, ajudava o “favorito” a marcar.

Getty Images
Equipe do Pachuca pressionou no fim, mas não conseguiu marcar

Segundo tempo
Duas alterações no segundo tempo deixaram o Pachuca mais ofensivo, mesmo assim faltou qualidade. A bola chegava em Benitez, o camisa 10 e atacante paraguaio que começou a partida no banco de reservas. Mas era um desastre cada vez que isso acontecia.

O Mazembe esperava. E contrata-atacava sem jeito. A melhor chance do segundo gol foi um chute quase do meio do campo do baixinho Nkulukuta (1,60m), que surpreendeu Calero, mas foi para fora. Os africanos começaram a fazer muitas faltas na intermediária e o Pachuca, já no desespero, lançava a bola para a área.  Não deu certo.

A tensão aumentava porque a Fifa deixa no telão do jogo o cronômetro. A cada esticada de cabeça um mexicano via que os minutos passavam, o time não criava, e a eliminação precoce chegava.  Sunzu foi expulso, depois de falta mais próxima da área. A esperança voltou, mas durou pouco. O Pachuca não criava. O favoritismo citado por seu técnico não se confirmou e os mexicanos mais uma vez estão fora de um torneio Fifa precocemente.

FICHA TÉCNICA - TP MAZEMBE-RDC 1 x 0 PACHUCA-MEX

Local
: Estádio Mohamed Bin Zayed, em Abu Dhabi (EAU)
Data: 10 de dezembro de 2010, sexta-feira
Horário: 14h (horário de Brasília)
Árbitro: Yuichi Nishimura (JAP)
Assistentes: Toshiyuki Nagi e Toru Sagara (ambos JAP)
Cartões amarelos: Kasongo, Sunzu, Bedi e Mihayo (TP Mazembe)
Cartões vermelhos: Sunzu (TP Mazembe)

GOLS:
TP Mazembe: Bedi, aos 21 minutos do primeiro tempo

TP MAZEMBE: Kidiaba; Kasusula, NKulukuta, Sunzu e Kimwaki; Mihayo Ekanga (Kasongo), Bedi e Kaluyituka (Kanda); Kabangu (Tshani) e Singuluma Técnico: Lamine N'Diaye

PACHUCA: Calero; López, Aguilar, Muñoz e Mustafá; Torres (Brambila), Luna (Gomez), Carlos (Benítez) e Manso; Arizala e Cvitanich Técnico: Pablo Marini

*Colaborou Francisco De Laurentiis, iG São Paulo


Leia mais sobre: TP Mazembe Pachuca Mundial de clubes Fifa Abu Dhabi Emirados Árabes Unidos

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


AP

Mazembe

Mazembe
Jogadores do time africano comemoram o gol que garantiu a vitória sobre o Pachuca, no Mundial

Topo
Contador de notícias