iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

11/11 - 10:59

Tropeços contra "desesperados" afastaram Santos da briga pelo título, diz Marquinhos

Time perdeu de virada em casa para o Prudente por 3 a 2 e empatou com o Vitória em 1 a 1 após estar vencendo

Gazeta Esportiva

Campeão paulista e da Copa do Brasil, o Santos não briga mais pelo título brasileiro, apesar de ainda ter chances matemáticas de alcançá-lo. E para o meia Marquinhos, a trajetória da equipe no Brasileirão poderia ter sido diferente, caso o time não tivesse tropeçado em jogos contra times que estão brigando contra o rebaixamento, que é o caso especialmente de Prudente e Vitória.

Diante dos prudentinos, lanternas do campeonato até o momento e virtuais rebaixados à Série B do Brasileiro, os santistas foram para o intervalo com 2 a 0 no placar, mas permitiram a reação e a virada, 3 a 2, aconteceu. Já contra os baianos, no empate em 1 a 1, o Santos abriu o placar, só que permitiu ao adversário a igualdade no placar ainda no primeiro tempo.

Ao todo, nessa conta, o Santos deixou de somar cinco pontos, que somados aos 51 que possuiu agora, lhe colocariam na quarta posição do torneio, com 56 pontos ganhos, cinco a menos que o líder Fluminense.

Por isso, o experiente Marquinhos acredita que a história poderia ter sido diferente caso esses tropeços não tivessem ocorrido. "Falam do clássico que perdemos para o São Paulo, mas se colocássemos mais cinco pontos com os triunfos que deixamos de somar contra Prudente e Vitória, certamente estaríamos brigando pelo titulo. Não gostaríamos que isso tivesse acontecido, só que foi desse jeito", disse.

Segundo o meia, os santistas entraram com o nível de concentração abaixo do normal para esses duelos, possibilitando que os adversários os surpreendessem. "Não soubemos aproveitar o fato de que tanto Fluminense, quanto Corinthians e Cruzeiro (os postulantes ao título) teriam pedreiras pela frente. Por isso, tropeçamos diante de uma equipe praticamente rebaixada (Grêmio-SP) e a outra (Vitória) lutando para não cair. Entramos com a concentração um pouco abaixo, o que é normal dentro da profissão. Acontece, mas foi decisivo", concluiu.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias