iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

09/11 - 11:35

Palmeiras precisa negociar ao menos nove jogadores para contratar indicações de Felipão

Time quer se livrar de lista de jogadores emprestados para diminuir custos e poder contratar indicações de treinador

Danilo Lavieri, iG São Paulo

Luiz Felipe Scolari já declarou, diversas vezes, que precisa renovar e reforçar seu elenco para a temporada de 2011. O desejo do comandante, no entanto, esbarra em vários jogadores que não estão sendo usados e precisam ser negociados para que os gastos diminuam. Foi essa a resposta que ele ouviu do Conselho Gestor nas reuniões de planejamento para o ano que vem.

São nove jogadores emprestados que ainda retornam ao Palmeiras em janeiro. O clube estuda negociá-los em definitivo ou até envolver em alguma troca por outros atletas que viraram alvos de Felipão.

"Antes de qualquer contratação, precisamos planejar o que vamos fazer com nosso elenco. Temos jogadores emprestados que dificilmente serão usados por Felipão e voltam agora no fim do ano. Para pensar em um novo nome é preciso diminuir gastos com eles e ainda achar parceiros", explica o diretor de futebol, Wlademir Pescarmona.

Dois dos emprestados estão na Ponte Preta: Daniel Lovinho, atacante revelação, e Souza, volante que ficou conhecido pelo seu cabelo ruivo. Ambos precisariam de um bom tempo de trabalho com Murtosa para ganhar uma nova chance. Wendel, que joga como lateral e volante no Goiás, tem uma característica de polivalência que pode agradar o técnico, assim como Márcio Araújo. Também no Estado do Centro-Oeste brasileiro, William, que teve problemas no coração no início de carreira, tenta mostrar seu valor no Atlético-GO.

Luís, que atualmente está no Santo André, já treinou com os jogadores de Felipão e mostrou que não é o atacante dos sonhos do comandante. Jorge Preá e Felipe jogam em clubes de expressão minúscula e não serão incorporados ao elenco, assim como Fabinho Capixaba, que atua pelo Coritiba.

Deyvid Sacconi é um episódio à parte. O jogador foi dispensado pelo Goiás e é reserva no rebaixado Grêmio Prudente. O meia já foi tratado com a esperança palmeirense na criação, chegou perto de ir para a França, mas depois caiu drasticamente de produção. Há possibilidade de Felipão testar o meia.

Outros quatro que terão seus vínculos encerrados em dezembro e não devem ser renovados: o lateral-direito Amaral, o meia Ivo, o atacante Washington e o zagueiro Thiago Gomes, que dificilmente ganharão uma chance de Felipão.

Procura-se parceiro
Como se não bastasse o gasto excessivo, a falta de dinheiro em caixa é outro problema a ser solucionado. Por isso, todos os tipos de investidores terão portas abertas para entrar no Palestra Itália.

"A gente está aberto a todos os tipos de parcerias. Como eu tenho dito ultimamente, precisamos de parceiros. O Palmeiras não está preso a ninguém. Nem sempre um parceiro gosta de um determinado jogador, por isso procuramos outro que possa. Um outro investidor que tem interesse no jogador que a gente quer. Tem tanta gente querendo investir no futebol, normal que a gente tenha bastantes parceiros. É uma necessidade do futebol", afirmou Pescarmona.

O Palmeiras ainda não solucionou problemas com gastos com jogadores da gestão de Luiz Gonzaga Belluzzo. Lincoln ainda precisa receber 1 milhão de euros, que devem ser parcelados para facilitar o pagamento. Valdivia custou caro aos cofres do clube, e comissões não param de aparecer. Ewerthon ganha um alto salário e ainda não convenceu os dirigentes. O único que parece ser unanimidadeé Kleber.

Além dos nove emprestados, a diretoria também trabalha com a dispensa de alguns atletas do elenco atual. Tadeu é o primeiro da lista.

Nomes na lista de Felipão
Apesar de todos os problemas, Felipão já enviou uma lista para a diretoria. Os nomes já estavam sendo trabalhados até pelos antigos dirigentes. Wlademir Pescarmona prefere ser cauteloso e não abre todos os nomes. Ele apenas confirma que Chico e Maikon Leite, do Atlético-PR, estão entre os interesses.

Mas não fica nisso. O atacante do Boca Juniors Lucas Viatri, o meia-atacante do Cruzeiro Pedro Ken, o atacante do Atlético-MG Neto Berola, e até o volante do São Paulo Richarlyson são os nomes comentados para reforço do Palmeiras em 2011.

"O Chico e o Maikon Leite já eram nomes tratados até pela antiga diretoria. Mas o Lucas Viatri é um nome de um argentino que eu não sei de onde surgiu. Apareceu nos boatos e fica circulando por aí", disse Pescarmona.

Gestão Cipullo traz problemas
A herança de Gilberto Cipullo, ex-diretor de futebol, é tratada como problema entre os atuais diretores. No comando de 2007 até meses atrás, o dirigente trouxe alguns nomes muito contestados e fez contratos longos com jogadores que não mostraram potencial. É o que explica o ex-diretor financeiro e atual assessor especial de Salvador Hugo Palaia, Fabio Raiola.

"Eu só sou contra o jeito que Cipullo levou o futebol nesses quatro anos. Tivemos um custo de Manchester United e um desempenho de São Caetano. Não temos jogadores para vender e não formamos nenhum jogador. Todo ano, o elenco é formado e reformado. Tivemos um custo alto e um título que não está à altura da grandeza do Palmeiras", disse o dirigente em reportagem publicada pelo iG no meio de outubro.

Cipullo, por sua vez, defende-se. Em contato com o iG também em outubro, afirmou que tirou o Palmeiras da posição de coadjuvante.

"De maneira bem realista, a nossa gestão foi boa. Nós pegamos o Palmeiras em uma situação de mercado ruim, desacreditado. Na nossa gestão, o Palmeiras passou a ser protagonista. Conseguimos o título do Paulista, embora as pessoas não reconheçam o valor. Brigamos pelo título do Brasileiro de 2009, fizemos uma boa Libertadores. Enfim, entregamos um time muito forte e uma comissão técnica de gabarito internacional", explicou Cipullo.


Leia mais sobre: palmeiras felipão reforços

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Gazeta Press

Felipão comanda os treinos desta sexta no Ct do Palmeiras

Felipão
Comandante já trabalhava com lista de reforços com a antiga diretoria que tinha Cipullo à frente

Topo
Contador de notícias