iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

28/10 - 22:57

São Paulo bate Atlético Paranaense e sonho da Libertadores segue vivo
Na Arena Barueri, paulistas superaram ex-equipe do técnico Carpegiani com placar apertado e gols de Ricardo Oliveira e Miranda

Levi Guimarães, iG São Paulo

Diante da maior torcida que teve ao longo de todo o Campeonato Brasileiro em jogos disputados como mandante em meios de semana, o São Paulo venceu o Atlético-PR por 2 a 1 e manteve vivo o sonho de conquistar uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores. Na Arena Barueri, 16.480 torcedores pagantes foram responsáveis pelo segundo melhor público do time na competição - o maior público foi na derrota por 3 a 0 para o Goiás, jogo disputado no Morumbi.

Com a vitória, o São Paulo foi a 47 pontos e subiu duas posições na tabela do Campeonato Brasileiro, ultrapassando o próprio Atlético-PR e o Grêmio, que foi derrotado pelo Fluminense por 2 a 0. Agora, a equipe paulista está a sete pontos do Corinthians, último time que hoje garantiria uma vaga na competição continental, e a apenas um do Botafogo, que ficaria com a vaga caso nenhum brasileiro conquiste a Copa Sul-Americana.

O resultado também confirmou o bom desempenho do São Paulo jogando como mandante longe do Morumbi em 2010 e manteve um longo tabu contra os rivais paranaenses. Na atual temporada, foram seis jogos na Arena Barueri, com cinco vitórias e apenas uma derrota (para o Santos). Além disso, o time comandado por Paulo César Carpegiani não perde para o Atlético-PR jogando no estado de São Paulo desde maio de 1983.

O São Paulo abriu o placar aos treze minutos do primeiro tempo e parecia partir para uma vitória tranquila, mas o cenário mudou depois do empate paranaense, que veio com gol do equatoriano Guerrón aos 26. Na segunda etapa, um gol de Miranda logo aos seis minutos garantiu a vitória.

A partida ainda teve caráter festivo, com a comemoração pela marca de 700 jogos do goleiro Rogério Ceni com a braçadeira de capitão e o lançamento de uma camisa especial, chamada de “Camisa do Torcedor”, inspirada em um modelo de uniforme usado pelo time na década de 1940.

São Paulo e Atlético-PR voltam a jogar pelo Brasileirão apenas no meio da próxima semana. Na quarta-feira, às 21h50, o time paulista enfrenta um dos candidatos ao título, o Cruzeiro, em Uberlândia. E na quinta-feira, às 21h, o Atlético-PR recebe em Curitiba outro rival direto por uma vaga na Copa Libertadores, o Palmeiras.

Assista aos três gols da partida


O jogo
Logo aos dois minutos de jogo o Atlético-PR foi para cima e teve um gol anulado pelo árbitro Márcio Chagas da Silva. Miranda se atrapalhou ao recuar uma bola para Alex Silva e os paranaenses ganharam o escanteio. Na cobrança, depois de cabeceio na trave, Bruno Mineiro tocou para o fundo do gol de Rogério Ceni, mas o impedimento já estava marcado.

Mesmo com um time bastante desfalcado, os visitantes dominaram a posse de bola nos primeiros minutos. Até os dez, o São Paulo chegou duas vezes, mas sem perigo. Ricardo Oliveira, depois de jogada individual pela esquerda, fez bom cruzamento, mas a bola apenas saiu pela lateral. Depois, Carlinhos Paraíba arriscou de fora da área e ganhou apenas o escanteio.

Aos 13, no entanto, Ricardo Oliveira abriu o placar com um golaço. O atacante tabelo com Dagoberto na intermediária, ainda deu o drible da vaca em um zagueiro e, depois de invadir a área chutou com o pé esquerdo muito forte e no alto, superando o goleiro Neto.

Com a vantagem no placar, o São Paulo assumiu o controle da partida. Até a metade do primeiro tempo, voltou a chegar em boas condições em dois chutes de fora da área de Fernandão, em mais um de Ricardo Oliveira, pelo lado direito da ára, bem defendido pelo goleiro paranense no canto esquerdo baixo e em um cabeceio também do camisa 99, à direita do gol.

Mas os donos da casa acabaram punidos pelo excesso de chances desperdiçadas. Aos 26 minutos, Guerrón se aproveitou de erro de Miranda, que não conseguiu dominar passe forte de Casemiro. O atacante equatoriano se livrou do camisa cinco, invadiu a área e chutou à direita de Rogério Ceni, que tentou fechar o ângulo, mas sem sucesso.

Os últimos minutos antes do intervalo foram de jogo aberto, com as duas equipes buscando o gol, mas sem conseguirem criar chances de perigo real. Enquanto o São Paulo forçou muitas jogadas pelo meio, com a bola sempre passando pelos pés de Fernandão, o Atlético-PR apostou nos lançamentos longos para Guerrón.

No intervalo, Carpegiani promoveu uma mudança para tentar deixar o São Paulo mais ofensivo. Saiu Casemiro, que errou no lance do gol do Atlético-PR, e entrou Marlos. Com menos de um minuto, Dagoberto recebeu cruzamento na esquerda e ajeitou de cabeça para Fernandão, que chutou da entrada da área. Mas o goleiro Neto, bem posicionado, defendeu sem dificuldade.

Mas não demorou para o São Paulo voltar a ficar na frente do placar. Aos cinco minutos Deivid fez falta dura em cima de Dagoberto, na esquerda do campo de ataque são-paulino. Na cobrança, o próprio camisa 25 levantou na área e o zagueiro Miranda subiu mais que a defesa paranaense para cabecear no contrapé de Neto e se redimir da falha no gol do adversário no primeiro tempo.

Assim como nos 45 minutos iniciais, a vantagem no placar encheu o São Paulo de confiança e o time chegou em algumas oportunidades, em chutes que foram para fora ou pararam nas mãos de Neto. Enquanto isso, o Atlético-PR ficou preso na marcação e com dificuldades já na saída de jogo. Apenas aos 22 minutos os visitantes voltaram a ameaçar, quando Chico chutou cara a cara com Rogério Ceni. Mas o capitão são-paulino fez ótima defesa, espalmando para escanteio.

Ainda tentando buscar o empate, o técnico Sérgio Soares promoveu as entradas de Edgar, Marcelo e Nieto no Atlético-PR. Mas o São Paulo conseguiu segurar o placar apertado que garantiu ao time uma ascensão de duas posições na classificação do Campeonato Brasileiro.

Milton Trajano

 

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 x 1 ATLÉTICO-PR

Local:
Arena Barueri, em Barueri (SP)
Data: 28 de outubro de 2010, quinta-feira
Horário: 21h (horário de Brasília)
Público: 16.480 pagantes
Renda: R$ 169.296,59
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS)
Assistentes: Julio César Rodrigues Santos e Marcelo Bertanha Barison (ambos de RS)
Cartões amarelos: Richarlyson e Carlinhos Paraíba(São Paulo); Rafael Santos, Deivid, Guerrón (Atlético-PR)

Gols: SÃO PAULO: Ricardo Oliveira, aos 13 minutos do primeiro tempo; Miranda, aos 6 minutos do segundo tempo
ATLÉTICO-PR: Guerrón, aos 26 minutos do primeiro tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Jean, Alex Silva, Miranda e Richarlyson; Rodrigo Souto, Casemiro, Carlinhos Paraíba e Fernandão; Dagoberto (Ilsinho) e Ricardo Oliveira
Técnico: Paulo César Carpegiani

ATLÉTICO-PR: Neto; Deivid (Marcelo), Manoel, Rafael Santos e Paulinho; Vitor, Chico, Claiton (Edgar) e Netinho; Guerrón (Nieto) e Bruno Mineiro
Técnico: Sérgio Soares


Leia mais sobre: São Paulo Atlético-PR Campeonato Brasileiro

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


AE

Miranda

Miranda
De cabeça, zagueiro marcou seu gol no segundo tempo do jogo e assegurou a vitória do São Paulo

Topo
Contador de notícias