iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

13/10 - 18:10, atualizada às 19:45 13/10

Conselho Gestor do Palmeiras se reúne para apurar denúncias contra Cipullo

Parte do grupo escolhido por Palaia diz ter como comprovar negócios irregulares feitos por ex-diretor de futebol

Danilo Lavieri, iG São Paulo

O Conselho Gestor do Palmeiras se reúne neste sábado para resolver o seu primeiro grande problema político. Os "escolhidos de Palaia" têm reunião marcada para definir a posição oficial do grupo sobre as ameaças de Gilberto Cipullo. O ex-diretor de futebol prometeu processar todos os integrantes do grupo caso eles não mostrem documentos comprovando as acusações que fizeram sobre possíveis negócios irregulares que Cipullo teria feito.

Em uma carta enviada aos membros do Conselho, o ex-dirigente exigiu retratação por parte dos diretores para que o processo não aconteça.

Ninguém do Conselho se pronunciará oficialmente até sábado. No momento, não há consenso entre eles. Isso porque dois integrantes dizem ter documentos que poderiam comprovar as irregularidades feitas por Gilberto Cipullo. Um deles seria Fábio Raiolla, assessor especial da presidência.

Outros já falam em oficializar o pedido de desculpas, o que acaba dividindo o Conselho. A reunião foi marcada apenas para sábado, pois Wlademir Pescarmona, atual diretor de futebol, está com o time na Bolívia, onde o Palmeiras disputa as oitavas de final da Copa Sul-Americana, contra o Universitário Sucre. 

O prazo para que tudo seja resolvido é o do dia 25 de outubro, quando o Conselho de Orientação Fiscal (COF) se reúne. Neste dia, ou os documentos comprovando a fraude são entregues ou o pedido de retratação será feito. Caso contrário, Gilberto Cipullo dará início ao processo judicial contra seus companheiros de clube por calúnia.

As atitudes de Cipullo acabam indo contra o que ele mesmo disse à reportagem do iG na última sexta-feira (8). O ex-diretor de futebol do Palmeiras afirmou que não pretendia se envolver com a atual diretoria e que tudo o que a equipe precisava era de paz política para que o clube seja vencedor dentro de campo (releia a entrevista).

Outro assunto comentado no clube é o de que Gilberto Cipullo também estaria processando Marcelo Fonseca, que já era um dos colaboradores do departamento de planejamento do Palmeiras na época em que os projetos da Arena eram estudados em 2007. Fonseca também era um dos grandes amigos de Cipullo no clube e teria feito acusações sem provas, assim como os membros do Conselho Gestor. Em contato com o iG, Fonseca afirmou que não recebeu qualquer tipo de intimação.

A reportagem do iG também conversou com Gilberto Cipullo por telefone. O ex-dirigente preferiu não se manifestar de forma pública, mas confirmou que enviou a carta a todos os conselheiros.


Leia mais sobre: palmeiras cipullo conselho gestor palaia

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Fotoarena

GIlberto Cipullo, vice-presidente de futebol do Palmeiras, em coletiva no dia 18/5/2010

Guerra política
Cipullo foi acusado pelo Conselho Gestor do Palmeiras de ter feito negócios irregulares

Topo
Contador de notícias