iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

21/09 - 19:15

Tenso, Dorival diz que decisão de afastar Neymar não foi fácil

"Não tem medida certa, ideal, pois você não sabe qual vai ser a reação da equipe. Fui pela minha consciência. Troquei ideias e formei a minha opinião", analisa técnico santista

Gazeta Esportiva

O técnico Dorival Júnior recebeu da diretoria do Santos a incumbência de decidir pela continuidade da punição ao atacante Neymar e surpreendeu ao barrar a joia do clássico com o Corinthians, nesta quarta-feira, às 22 horas (horário de Brasília), na Vila Belmiro. Com um semblante mais tenso, ao contrário do clima descontraído no qual costuma chegar em todas as suas entrevistas coletivas desde que chegou ao clube, o treinador admitiu que não foi fácil optar pelo afastamento do jogador.

"A minha fisionomia já responde. Quando você tem um problema, fica noites sem dormir, o dia todo pensando. Eu tive que pensar se caso eu tomasse tal atitude, estaria prejudicando demais um lado ou outro. A gente nunca sabe. Não tem medida certa, ideal, pois você não sabe qual vai ser a reação da equipe. Fui pela minha consciência. Troquei ideias e formei a minha opinião. Estou tentando fazer o meu melhor", contou Dorival.

Indagado se, por sua decisão, teme perder o emprego em caso de derrota para o Corinthians, o comandante santista mostrou tranquilidade. "Não. Estou com a consciência bem tranquila. Estou fazendo o melhor pelo atleta e para o clube. É natural que muitas especulações aconteçam, mas acho que, como treinador, não posso abrir mão da disciplina. Um time grande, organizado, se torna quase imbatível. Esse é o nosso objetivo", analisou.

Dorival Júnior revelou ainda que a cúpula alvinegra garantiu total respaldo à decisão, antes mesmo dela ter sido tomada. "O presidente (Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro) teve uma postura digna de presidente de clube. E o Santos está tentando dar uma contribuição para que haja mudanças importantes no futebol. O Santos teve uma postura digna em todos os momentos e senti o respaldo da diretoria", comentou.

Em relação ao momento em que a decisão foi tomada, o técnico disse que a resolução só aconteceu nesta terça. "A decisão foi hoje (terça). Não é simples, nem agradável. Eu não gostaria que nenhum de vocês (jornalistas) estivesse na minha pele. É um fato novo, que eu não havia vivenciado em sete anos como treinador. Porém, senti a necessidade de tentar corrigir um garoto que pode se tornar a sensação do futebol mundial. Espero estar contribuindo para o crescimento do Neymar. Quero que ele se saia bem e se sinta fortalecido após essa situação", encerrou Dorival.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias