iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

01/05 - 20:00

Atlético-MG busca seu 40º título estadual neste domingo
Em uma partida bastante equilibrada, o Atlético venceu o Ipatinga por 3 a 2, no Ipatingão, no último domingo, e pode perder por até um gol de diferença que será o campeão

Gazeta Esportiva

Chegou, então, a grande final do Campeonato Mineiro 2010, que talvez tenha sido a edição que mais gerou polêmica desde 1915, quando foi disputado o primeiro estadual em Minas Gerais. Foram vários os casos, com denúncias, acusações, muita reclamação, e claro, provocações.

O estadual foi tão agitado nos bastidores que vale a pena recapitular os fatos mais marcantes antes de destrinchar o segundo jogo da decisão que será disputado entre Atlético-MG e Ipatinga, neste domingo, às 16 horas (de Brasília), no Mineirão. Na primeira partida o Atlético venceu por 3 a 2 e pode perder por até um gol de diferença que será campeão.

A competição já começou com um caso intrigante. Segundo a Procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva de Minas Gerais, o atacante Wellington Paulista, do Cruzeiro, não poderia ter atuado no primeiro jogo do clube no campeonato. O jogador teria que cumprir a suspensão automática porque foi expulso na última partida do estadual do ano passado. A Raposa se defendeu, dizendo que o próprio TJD teria revertido a pena em cestas básicas. Com a ameaça de perder até seis pontos na tabela, o caso foi parar no Superior Tribunal de Justiça Desportiva, mas o clube foi absolvido.

Momentos depois, uma grande confusão aconteceu na partida entre América de Teófilo Otoni e Atlético. No dia 3 de março, as duas equipes jogaram no estádio Nassari Mattar, no Vale do Mucuri. A forte chuva alagou o gramado no segundo tempo, mas mesmo assim o árbitro Emerson de Almeida Ferreira mandou seguir o jogo. Com o gramado totalmente alagado, o dono do apito interrompeu a partida aos nove minutos do segundo tempo e, 15 minutos depois, reiniciou o jogo, mesmo com o campo repleto de poças d'água.

No entanto, aos 20 minutos da etapa final, o árbitro, totalmente perdido, resolveu suspender em definitivo a partida após o atacante Diego Tardelli, do Atlético, sentir uma lesão na coxa esquerda. No dia seguinte, a Federação Mineira de Futebol (FMF) remarcou o jogo para o dia 10 de março. O Atlético, se sentindo lesado por ter perdido o atacante Diego Tardelli e o volante Correa, que se contundiram por causa do esforço que fizeram no gramado pesado e encharcado, pediu à entidade que remarcasse a partida para outra data. A Federação não acolheu o pedido porque, segundo a entidade, o adiamento teria que ter a aprovação do adversário, o que não aconteceu.

Por volta das 15 horas do dia 10, data da continuação da partida, o Atlético conseguiu uma liminar no TJD que impedia a realização do jogo. Na semana seguinte, no dia 16 de março, o órgão decidiu marcar os 25 minutos finais da partida para o dia 24. As duas equipes entraram em campo e não saíram do empate por 2 a 2, placar construído no dia 3 de março, dia do temporal.

Já nas quartas de final do Campeonato Mineiro, no confronto entre Atlético e América, a cúpula americana pediu arbitragem de fora para os dois jogos, uma vez que o clube teria sido prejudicado nas últimas rodadas da primeira fase do estadual. No entanto, a solicitação não foi aceita pela FMF e o resultado foi uma arbitragem insegura e que, na opinião dos americanos, prejudicial ao América, que acabou sendo eliminado.

Na fase seguinte, a semifinal, mais trapalhada da arbitragem mineira e uma grave denúncia. Saiu na coluna do jornalista Jaeci Carvalho, do jornal Estado de Minas, que o técnico Wanderley Luxemburgo, do Atlético, estaria interferindo nas escalas de árbitros da comissão de arbitragem da Federação Mineira de Futebol. Revoltado, o treinador negou as acusações e pediu provas.

Com base nisso, o presidente do Ipatinga, Itair Machado, pediu ao Ministério Público que investigasse uma possível fraude na comissão de arbitragem da FMF. Suspeitando dos árbitros mineiros e fazendo críticas pesadas ao presidente da comissão de arbitragem, Jurandy Gama Filho, o dirigente do Tigre pediu profissional de outro estado para apitar a semifinal contra o Cruzeiro.

A FMF vetou a solicitação e o juiz mineiro Ricardo Marques Ribeiro, que pertence ao quadro da Fifa, fez uma grande lambança no segundo jogo, prejudicando muito a equipe do Vale do Aço. Mesmo com a anulação de um gol legal, a não marcação de dois pênaltis claros e a sinalização de impedimentos mal marcados, o Ipatinga conseguiu vencer a equipe mista do Cruzeiro por 3 a 1 e se garantiu na final.

Depois disso, o presidente do Tigre ameaçou não jogar a decisão contra o Atlético caso não fosse escalado árbitro de outro estado. Com tantos desastres na arbitragem mineira, a Federação resolveu, enfim, colocar profissionais de fora para apitar a final. Incomodado com as declarações do dirigente do Ipatinga, o presidente da comissão de arbitragem da Federação Mineira de Futebol, Jurandy Gama Filho, ainda não sabe se permanece no cargo.

No primeiro jogo da decisão o árbitro paulista Sálvio Spínola Fagundes Filho foi o dono do apito. Em uma partida bastante equilibrada, o Atlético venceu o Ipatinga por 3 a 2, no Ipatingão, no último domingo, e pode perder por até um gol de diferença que será o campeão.

O segundo jogo, que será apitado pelo também paulista Paulo César Oliveira, promete muitas emoções. Os 64.800 ingressos foram todos vendidos seis dias antes da decisão. Em lua de mel com a torcida, o técnico Wanderley Luxemburgo tenta conquistar o seu primeiro título no comando do Atlético em quatro meses de trabalho.

"Vamos trabalhar muito porque sabemos que o Ipatinga vai dificultar e que pode ser nossa primeira conquista no comando do Atlético. O Mineiro passou a ser o mais importante", afirmou o treinador.

Maior campeão do estadual, o Atlético busca sua 40ª conquista do Campeonato Mineiro. A última foi em 2007, quando derrotou o rival Cruzeiro na final. Nos dois anos seguintes, os cruzeirenses venceram os atleticanos na decisão.

O time alvinegro vem embalado na temporada 2010. Depois de corrigir algumas falhas de posicionamento e melhorar a marcação no seu sistema defensivo, o Atlético evoluiu e derrotou, inclusive, na última quarta-feira, o poderoso Santos, por 3 a 2, pela Copa do Brasil.

Mas agora o foco está todo na decisão contra o Ipatinga. No embalo do artilheiro Diego Tardelli, que recuperou a boa forma e a fama de goleador, o Atlético quer levantar a taça sem sofrer gols. Animado com a grande fase e com os 13 gols marcados na temporada, o atacante está confiante em seu primeiro título com a camisa do Atlético.

"Estou vivendo essa ansiedade de poder ser campeão, tendo a oportunidade de conquistar meu primeiro título aqui no Atlético. E são nesses jogos que crescem os grandes jogadores. Espero estar iluminado no domingo para conquistar meu primeiro título e começar a entrar na história do Atlético", disse Tardelli, que marcou três gols na vitória contra o Santos e que tem seis tentos marcados no Campeonato Mineiro.

O técnico Wanderley Luxemburgo tem três desfalques para esta partida: o volante Jonílson, suspenso, o lateral direito Coelho e o atacante Obina, lesionados. O treinador ainda não revelou se o esquema será o 4-4-2, usado nos últimos dois jogos, contra Ipatinga e Santos, ou o 3-5-2, utilizado contra o Democrata, pela semifinal do Campeonato Mineiro, e contra o Sport, pela Copa do Brasil. Ambos deram certo nos últimos compromissos do clube.

Se o treinador optar pelo 4-4-2, a equipe que atuou contra o Santos pode ser mantida. O lateral esquerdo Junior pode ser poupado. Em seu lugar entraria Leandro. Caso Luxemburgo volte para o 3-5-2, o zagueiro Benítez deve entrar no lugar do experiente meia Ricardinho.

Confiante no título, o lateral esquerdo Leandro quer o time alvinegro bem e em busca dos gols. "O maior respeito que nós temos que ter com o Ipatinga é jogar. Temos que jogar bem e fazer os gols. Do outro lado eles também respeitam muito o Atlético, mas o futebol mudou bastante, está muito dinâmico, então temos que ter atenção porque eles vão jogar no tudo ou nada", comentou.

Com um time bem montado e em boa fase na temporada, o Ipatinga tenta seu segundo título do Campeonato Mineiro em seus 12 anos de história. A primeira e única vez que levantou o troféu de campeão mineiro foi em 2005, quando derrotou o Cruzeiro na final. No ano seguinte, a equipe do Vale do Aço chegou novamente na decisão, mas perdeu para o mesmo Cruzeiro.

Nesta edição do estadual o Tigre atropelou o Cruzeiro na semifinal e se garantiu na decisão com a vitória por 3 a 1, no Mineirão. E é em cima desse jogo que o atacante Danilo Dias busca inspiração para superar o Atlético e ser campeão.

"Tomara que se repita essa história. No jogo lá no Mineirão eu fui feliz e ajudei o Ipatinga a eliminar uma grande equipe. Tomara que seja assim de novo, que se repita até o placar e que a gente possa sair de lá campeão mineiro", disse o atacante, que marcou dois gols no confronto contra o Cruzeiro.

No começo do ano o estádio Ipatingão estava em reforma e por isso o Tigre mandou seus jogos no Mineirão. Invicto no Gigante da Pampulha, o Ipatinga disputou seis partidas, venceu cinco e empatou uma (1 a 1 contra o Atlético, na primeira fase do Campeonato Mineiro). Confiante, o técnico Gilson Kleina acredita em um triunfo do Ipatinga, que precisa vencer por dois gols para garantir o título.

"Vamos encontrar o Mineirão lotado e um sentimento de time campeão. Temos de ter união, determinação e ser mais inteligentes. Devemos atacar o Atlético, mas não podemos deixá-lo jogar com liberdade. Não foi por acaso que chegamos à final. Tivemos boas atuações ao longo da competição. O Atlético é um clube grande e está acostumado a jogar decisões. Vamos dar o máximo para conquistar a vitória por dois gols de diferença", observou.

O treinador poderá contar com o retorno do volante Max Carrasco, que volta após cumprir suspensão. Recuperados de contusão, o zagueiro Márcio Alemão e o atacante Amílton também estão à disposição de Gilson Kleina.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG x IPATINGA


Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 2 de maio de 2010, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Paulo César Oliveira (Fifa-SP)
Assistentes: Alessandro Matos (Fifa-BA) e Marcelo Gasse (SP)

ATLÉTICO-MG: Aranha; Carlos Alberto, Werley, Jairo Campos e Leandro (Junior); Zé Luis, Correa, Fabiano e Ricardinho (Benítez); Muriqui e Diego Tardelli
Técnico: Wanderley Luxemburgo

IPATINGA: Douglas; Max, Eber e Sílvio; Luizinho, Leanderson, Max Carrasco, Francismar e Marinho Donizete; Danilo e Amílton (Joabe)
Técnico: Gilson Kleina


Leia mais sobre: Atlético-MG Ipatinga

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias