iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

08/12 - 23:22

Botafogo teve ameaças e fim de casamento na luta pela salvação

Presidente e vice de futebol foram atormentados por torcedores na semana passada. André Silva desmanchou casamento de mais de dois anos por causa do clube

Vicente Seda, iG Rio de Janeiro

RIO DE JANEIRO - Há coisas que só acontecem ao Botafogo. Mas esta não é uma delas. Se no Couto Pereira as cenas de violência causaram revolta no mundo da bola, o presidente do Botafogo, Maurício Assumpção, e o vice de futebol, André Silva, passaram por maus bocados na luta contra o rebaixamento que, no fim, não aconteceu. Na semana passada, antes da derradeira vitória sobre o Palmeiras, os dois foram ameaçados e o mandatário alvinegro chegou a fechar seu consultório odontológico na segunda-feira, para preservar seus clientes. Silva, por sua vez, perdeu a mulher por conta da falta de privacidade. Superados os percalços do Brasileirão, porém, ele já encontrou uma nova paixão.

Assumpção contou que torcedores, ou "bandidos", como ele qualificou, chegaram a expor todos os seus dados pessoais, como telefone e endereços residencial e comercial. "Estavam recebendo ligações com ameaças a todo momento, desde 7h30, dizendo que quebrariam tudo. Os funcionários estavam assustados, então falei para desmarcar tudo naquele dia até para não colocar em risco os meus pacientes. Colocaram todos os meus dados nesses fóruns e comunidades, dizendo que era lá que tinha de me bater, arrebentar... Isso não é coisa de torcedor, é de bandido. Mas, pelo Botafogo, dá para encarar", contou o presidente, que chegou a receber ameaças diretas pelo telefone e até a sua mãe, que estava no exterior, ligou assustada quando soube do caso.

O dirigente, contudo, lembrou já ter enfrentado situação semelhante, embora mais amena. "Eu dirigia uma liga de futebol de praia em Copacabana e a gente estava com um campeonato muito bom. Algumas pessoas tiveram os seus interesses prejudicados e comecei a receber ameaças. Mas fui à delegacia porque foi uma ameaça burra. O cara deixou recado na minha secretária eletrônica. Aí identificaram e o gaiato foi preso. Agora foi a minha secretária mesmo, que ficou horrorizada. Mas a minha preocupação foi tirar o Botafogo daquela situação".

O caso de André Silva foi diferente. Ele também recebeu ameaças por telefone, mas fez um sacrifício, ainda que forçado, pelo clube que ama. No meio do ano, o casamento não resistiu ao assédio de porteiros, garçons, seguranças, empresários ou qualquer curioso de plantão que o reconhecia na rua. "Todos se acham no direito de dar palpite e vir discutir futebol. E eu sou uma pessoa que, por natureza, gosto de tratar todo mundo bem, até porque se eu trato mal um garçom, por exemplo, o cara pode até achar que é algum preconceito. É difícil uma pessoa que não é do futebol se habituar a isso", contou.

Depois de um primeiro rompimento com a ex-mulher, com quem viveu por mais de dois anos, Silva tentou reatar. Levou-a em um show de música no Dia dos Namorados. Mas, antes de começar a apresentação, "tinha um garoto na minha frente que vinha chegando a cadeira para trás. E eu só olhando. Então ele se virou e falou: 'André Silva'. Eu disse: 'Sim'. A minha ex-mulher foi ao banheiro e, quando voltou, já eram cinco em volta de mim. Aí ela disse que não era isso que queria para a vida dela e acabou mesmo. Mas já estou namorando de novo, há um mês".


Leia mais sobre: Botafogo Maurício Assumpção André Silva

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Gazeta Press

Dinamite, Márcia e Assumpção

Maurício Assumpção
Mandatário alvinegro, que é dentista, teve de fechar seu consultório e dispensar clientes por um dia

Topo
Contador de notícias