iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

25/11 - 16:26

Steve Nash também defende ação de Thierry Henry

"Quando você tem 80 mil compatriotas loucos para ver a equipe na Copa, queria ver quantos de nós teríamos pedido que todos se sentassem e entregaria a bola ao árbitro", opina jogador de basquete

Gazeta Esportiva

PHOENIX (EUA) - O armador Steve Nash, do Phoenix Suns, demonstrou apoio ao atacante da seleção francesa de futebol Thierry Henry. O francês dominou a bola na mão ao receber um lançamento longo, e utilizou-se da jogada ilegal para passá-la para Gallas fazer o gol de empate na partida, que deu a classificação dos Bleus para a Copa do Mundo.

Para Nash, as críticas recebidas pelo atleta foram injustas, principalmente pelo calor do momento da partida. "As pessoas dizem que ele deveria ter assumido que colocou a mão na bola logo após o lance. Mas quando você tem 80 mil compatriotas loucos para ver a equipe na Copa do Mundo, queria ver quantos de nós teríamos pedido que todos se sentassem e entregaria a bola ao árbitro", avaliou o armador.

Para o atleta dos Suns, as pessoas pensam que o jogador francês agiu de inteira má fé, e o isentou de culpa no lance. "As pessoas acreditam que ele saiu de casa pela manhã com a ideia de colocar a mão na bola e ganhar o jogo. A bola passou por 15 cabeças, bateu na grama molhada e subiu para o braço. Por que ele seguiu a jogada? Estamos falando em uma fração de segundos. Não se pode acusá-lo de assassinato, de homicídio. Foi uma reação instantânea. Todos teriam feito o mesmo", justificou Nash.

O camisa 13 da equipe de Phoenix não foi a única personalidade do esporte a defender Henry. Nesta segunda-feira, o velocista jamaicano Usain Bolt solidarizou-se com o atacante com os mesmos argumentos utilizados pelo jogador de basquete canadense, decepcionando inclusive um empresário seu, de nacionalidade irlandesa.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias