iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

16/06/2009 - 17:43

Espanha quer continuar boa fase contra Iraque nas Confederações
Invicta há 33 partidas, Fúria joga para confirmar a classificação às semifinais da Copa das Confederações; asiáticos querem surpresas

Trivela.com

BLOEMFONTEIN (África do Sul) - Nesta quarta, a África do Sul volta a testemunhar os jogos da Copa das Confederações. Após começar ratificando seu favoritismo ao título do torneio, com a goleada por 5 a 0 sobre a Nova Zelândia, a Espanha enfrentará o Iraque, em Bloemfontein. Uma vitória já garantiria a Fúria nas semifinais do torneio - e deixaria a equipe de Vicente del Bosque a uma partida de igualar o recorde histórico de invencibilidade por uma seleção, ostentado pelo Brasil, que o estabeleceu entre 1993 e 1996.

Mesmo assim, os líderes do grupo A preveem dificuldades contra os asiáticos. Em entrevista coletiva, o meia Xabi Alonso relacionou a ascensão do futebol do país com os conflitos vividos contra os Estados Unidos, no início da década: 'Após os conflitos vividos ao longo dos anos, foi incrível que eles tenham vencido a Copa da Ásia, em 2007. Na manhã desta terça, vimos um vídeo do time iraquiano. Sentimos que são compactos dentro do campo, e o espírito de equipe os leva à frente. Será um jogo duro. Seria bom marcar um gol logo, como fizemos contra a Nova Zelândia.'

Para piorar a situação espanhola, nos treinamentos desta terça, os meias Cesc Fàbregas e Santi Cazorla foram atingidos por carrinhos dados, respectivamente, por Xabi Alonso e Albert Riera. Embora a gravidade das lesões ainda vá ser revelada por exames, a situação de Fàbregas, atingido no joelho esquerdo, é a mais preocupante, e há a hipótese de que o meia do Arsenal possa nem estar em campo contra os iraquianos.

Todavia, o zagueiro Carles Puyol manteve o otimismo com as atuações do principal atacante espanhol: 'Ninguém pode negar que Fernando Torres é um dos melhores atacantes do mundo. Mas não é o único que temos. Há vários bons jogadores nossos, em diferentes posições.'

Já a seleção iraquiana procura manter suas chances de passagem às semifinais, após ter conseguido empate sem gols contra a África do Sul, na partida de abertura da Copa das Confederações. O meia Nashat Akram esclareceu tais expectativas: 'Viemos aqui para alcançar a próxima fase.' O sérvio Bora Milutinovic, técnico dos Leões da Mesopotâmia, fez questão de manter o otimismo: 'O Iraque não pode sentir medo. É um dos maiores desafios para nós. Temos sorte de estar aqui e de jogar contra a Espanha. Ficarei feliz de jogar cautelosamente e de conseguir um empate. Sabemos da qualidade e do estilo espanhois, mas temos de acreditar e ser otimistas.'

Contudo, Bora não economizou nos elogios a atual geração espanhola de jogadores: 'Agora é a vez da Espanha. Assim como o Brasil nos anos 1970 e a França nos anos 1990, eles têm uma grande geração. Sempre houve jogadores excelentes e times competitivos, mas parece que agora os resultados começam a chegar para a Espanha. São espetaculares, e parecem se divertir ao jogar, o que, para mim, é muito importante. É uma das razões dos espanhois estarem tão bem.'

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias