iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

09/03 - 15:51

Ronaldo, uma carreira marcada por lesões, reviravoltas e glórias

O gol anotado contra o Palmeiras marcou a terceira ressurreição na carreira do atacante, já acostumado a dar a volta por cima em momentos dramáticos

Por Mário André Monteiro, do iG Esporte

SÃO PAULO - Pela terceira vez na carreira, Ronaldo deu a volta por cima. O gol anotado contra o Palmeiras, no último minuto do clássico paulista de domingo, é a prova de que o atacante tem estrela, fé e força de vontade para se recuperar e voltar ao futebol. Sempre.

O histórico de contusões nos joelhos do maior artilheiro de Copas do Mundo começou cedo, ainda no PSV, da Holanda, seu primeiro clube no futebol no exterior. Em 1996, Ronaldo sentiu um incômodo e foi necessária uma cirurgia. Foi feita uma raspagem para eliminar "corpos estranhos" da cartilagem do joelho que estavam se juntando ao tendão patelar.

No mesmo ano, após recuperar-se bem da operação, se transferiu para o Barcelona. E foi aí que ele brilhou de verdade. Foi eleito melhor jogador do mundo pela Fifa por duas vezes e encantou o mundo com seus dribles geniais, velocidade, explosão e, principalmente, com muitos gols. Conseguiu uma complicada transferência para a Inter de Milão em 1997, quando ainda tinha 21 anos de idade. Na Itália, ganhou o apelido de "Fenômeno".

A volta por cima na Copa de 2002, quando ninguém mais acreditava

Na Copa de 1998, sua participação ficou marcada pelo episódio na final contra a França. Na véspera da decisão, Ronaldo teve uma convulsão no hotel em que a seleção brasileira estava concentrada e não conseguiu evitar o fracasso. O mundo viu Zidane acabar com o sonho do penta dos torcedores brasileiros.

De volta ao seu clube, no dia 21 de novembro de 1999, na partida da Inter de Milão contra o Lecce, Ronaldo pisou em um buraco no gramado, torceu o joelho e rompeu parte do tendão patelar. Era a primeira lesão grave de Ronaldo. Ficou cinco meses afastado dos campos e seu time foi mal no Italiano.

No dia 12 de abril de 2000 aconteceu o primeiro retorno aos gramados. Ronaldo entrou aos 12 minutos do segundo tempo do jogo entre Inter e Lazio, na final da Copa da Itália. Quando o relógio ultrapassava a barreira dos 19 minutos de jogo na etapa complementar, ele recebeu a bola na intermediária de ataque e partiu para cima da marcação adversária. Depois disso, o que se viu foi a imagem chocante do tendão patelar do joelho direito se rompendo completamente.

Seu segundo retorno aos gramados aconteceu mais de um ano depois, em agosto de 2001, ainda na Inter de Milão. Ronaldo ainda era visto com olhos de incerteza por todos os críticos. Foi então que Luiz Felipe Scolari surpreendeu e deu uma chance ao atacante na Copa do Mundo de 2002, deixando o baixinho Romário de fora da lista final. O que aconteceu na Copa não precisa nem ser citado. Participação decisiva, com dois gols marcados na final contra a poderosa Alemanha, e a confirmação da sua volta por cima.

Após o Mundial, foi para o Real Madrid. Nos "galácticos", mais um prêmio de melhor jogador do mundo e, mais uma vez, contusões. Dessa vez, não eram no joelho, mas sim musculares. Ronaldo chegou a desfalcar o Real por diversas vezes, o que prejudicou sua continuidade e o bom futebol dentro da equipe. A forma física do atacante também já não era a mesma, com visíveis quilos a mais e, de novo, a desconfiança de torcedores e da imprensa.

Ronaldo chora após machucar o joelho numa partida do Milan. Seria seu fim?

Em 2007, já com a camisa do Milan, um começo promissor. O atacante tinha belas atuações e ajudou a equipe rossonera na reação dentro do Italiano e na conquista de uma vaga na Liga dos Campeões. Foi descoberto então que seus problemas de peso eram causados pelo mau funcionamento da glândula tireóide.

Depois, o pior, novamente, aconteceu. No dia 13 de fevereiro de 2008, no jogo entre Milan e Livorno, Ronaldo entrou no segundo tempo e, logo em sua primeira participação, ao tentar cabecear uma bola, o atacante estourou o joelho esquerdo e caiu chorando no gramado. Contusão parecida com a segunda que teve na Inter, em 2000.

Já no final do ano, na fase final da recuperação de mais uma cirurgia complicada, Ronaldo iniciou treinamento no Flamengo, fazendo juras de amor ao Rubro-negro carioca. Foi aí que ele surpreendeu e acertou sua transferência para o Corinthians, quando todos imaginavam que jogaria no Flamengo.

Seu terceiro retorno aconteceu contra o Itumbiara, pela Copa do Brasil. Ainda fora de forma, jogou por 27 minutos e pouco fez. Já contra o Palmeiras, no domingo, a volta "de fato". Entrou no segundo tempo, mandou uma bola na trave e fez um gol aos 47 minutos, para empatar o jogo, incendiar a torcida e marcar a terceira ressurreição de quem não desiste nunca.

A pergunta que fica: até onde Ronaldo pode ir?

Veja abaixo o número de jogos e os gols que Ronaldo fez por onde passou:

Equipes

Jogos

Gols

Cruzeiro

59

57

PSV-HOL

71

67

Barcelona-ESP

51

47

Inter de Milão-INT

113

69

Real Madrid-ESP

193

117

Milan-ITA

20

9

Corinthians

2

1

Seleção brasileira

103

67

Assista ao gol de Ronaldo contra o Palmeiras,
que marcou sua 3ª ressurreição:


Leia mais sobre: Ronaldo Corinthians

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Reuters

Reuters

Ronaldo
Atacante chora ao machucar o joelho pela 2ª vez, ainda quando atuava na Inter de Milão

Topo
Contador de notícias