iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

22/12 - 14:49

Boca Juniors enfrenta Tigre em vantagem para levar mais um título argentino
Todos os fatores colocam a equipe de La Bombonera como favorita, mas o time terá dois desfalques importantes para o jogo

EFE

BUENOS AIRES (Argentina) - O Boca Juniors, maior vencedor do futebol argentino, enfrenta amanhã o Tigre no estádio Juan Domingo Perón, às 20h45 de Brasília, podendo empatar ou até perder por um gol de diferença para faturar o Torneio Apertura na última partida do triangular final.

Boca, Tigre e San Lorenzo ficaram com 39 pontos ao final da classificação e o regulamento prevê que, caso o campeonato termine com dois ou mais times empatados na primeira posição, jogos extras definirão o campeão.

Enquanto o Boca já teve o gosto de ser campeão argentino 28 vezes - embora não vença há dois anos e meio -, o modesto Tigre busca o primeiro título de sua história, após quase chegar lá no Apertura do ano passado.

Todos os fatores colocam a equipe de La Bombonera como favorita, mas o time terá dois desfalques importantes para o jogo: o meia Juan Román Riquelme, cérebro da equipe, e o colombiano Vargas, ambos suspensos por acumulação de cartões amarelos.

Outros dois possíveis desfalques são o meio-campo Jesús Dátolo e o lateral-direito Hugo Ibarra, com problemas musculares e no joelho, respectivamente.

Quem também não joga é o jovem zagueiro Forlín, que sofreu um traumatismo no crânio ao bater cabeça com Silvera, do San Lorenzo, na partida de ontem.

As principais opções do técnico Carlos Ischia para montar a equipe são Leandro Gracián ou Nicolás Gaitán para o lugar de Riquelme, enquanto Cristian Chávez ou Álvaro González podem substituir Vargas.

O ex-jogador Diego Cagna, técnico do Tigre - e ex-jogador do Boca -, disse que o adversário certamente sentirá a ausência de Riquelme.

"Eles sentirão a falta de Riquelme, mas quem jogar em seu lugar certamente vai querer se destacar", comentou o técnico, afirmando que sua equipe precisará lutar muito para conquistar o primeiro título argentino de sua história.

O Tigre, que voltou à primeira divisão em 2007 após quase 25 anos na segundona, perdeu de 2 a 1 para o San Lorenzo na estréia do triangular final e precisa de um triunfo com muitos gols de diferença para ser campeão.

O San Lorenzo, que também estava na disputa, acabou eliminado ao perder para o Boca de 3 a 1 no último sábado, no mesmo palco da partida de amanhã.

No confronto direto, a vantagem é do Tigre. A equipe superou o Boca por 3 a 2, em pleno estádio de La Bombonera, na sétima rodada do Apertura.

Se o Boca não terá Riquelme e o colombiano Vargas, o Tigre vai a campo sem o goleiro Islas, o melhor da temporada argentina, e o meio-campo Diego Castaño, respectivamente suspensos por expulsão e acumulação de amarelos.

Luis Ardente, que nunca disputou um jogo na elite do futebol argentino, será o substituto de Islas.

A conquista do título é a única forma de convencer a diretoria do Boca a manter no cargo o técnico Carlos Ischia, que conquistou apenas a Recopa Sul-Americana desde que assumiu, em meados de 2007.

O trabalho do treinador foi constantemente prejudicado pelas lesões de destaques como o veterano Martín Palermo, que só volta em março, e Rodrigo Palacio, com seguidos problemas de pubalgia.

Por razões de segurança, a venda de ingressos foi limitada durante todo o triangular. Com isso, apenas 33.000 lugares foram disponibilizados para a decisão.

Possíveis escalações:.

Boca Juniors: García; Ibarra, Roncaglia, Cáceres e Morel Rodríguez; Chávez, Battaglia, Dátolo e Gracián; Figueroa e Viatri.

Tigre: Ardente; Jerez, Paparatto, Blengio e Arruabarrena; Rosano, Blanco, Giménez e Martín Morel; Lazzaro e Carlos Luna.

Árbitro: Sergio Pezzotta (ARG).


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias