iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

04/12 - 11:26

Corinthians quer contratos longos com reforços

Medida pode complicar a contratação de alguns jogadores como o meia Tcheco, que deseja contrato de um ano

Agência Estado

SÃO PAULO - A conquista da Copa Libertadores em 2010, ano do centenário do Corinthians, virou obsessão no clube. Tanto que todo o planejamento de 2009 já mira também a temporada seguinte, principalmente com relação a contratações.

A determinação é não fechar com jogadores por apenas uma temporada. Os acordos que estão sendo amarrados são por no mínimo dois anos, mesmo de atletas mais rodados, como é o caso do volante Túlio. Com 32 anos, ele é o primeiro reforço que deve ser anunciado, no início da semana que vem.

As exceções serão atletas que chegarem por empréstimo, caso do atacante Brandão. O Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, só topou liberá-lo até o final de 2009. O Corinthians, porém, vai exigir uma cláusula de prioridade de compra e a possibilidade de estender o empréstimo.

A exigência mínima de dois anos de acordo tem o lado positivo de ter uma equipe pronta e entrosada já para a temporada seguinte, mas pode brecar acordos. Este é o caso, por exemplo, do meia Tcheco, do Grêmio. Em evento público recente no Parque São Jorge, o presidente Andrés Sanchez disse que o gremista, Túlio e o palmeirense Martinez estavam contratados.

O meia realmente estava fechado, como Sanches contava a amigos. Mas nova exigência dele mudou tudo na última semana. Tcheco quer encerrar a carreira no final de 2009. E avisou ao Corinthians que só gostaria de um acordo por um ano.

A diretoria pretende contratar de cinco a seis jogadores, no máximo. Como a base de 2008 será mantida se não surgir proposta por ninguém na abertura do mercado estrangeiro, em janeiro, a prioridade é dar experiência e qualificar o grupo. "Queremos ter de 18 a 20 jogadores que possam se considerar titulares", afirmou o diretor técnico Antônio Carlos.


Leia mais sobre: Corinthians



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo