iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

03/12 - 20:40

Roberto Brum admite: quase deixou o Santos durante o Brasileirão

"Eu fui contratado e não vinha jogando, aí me ofereceram a rescisão de contrato e eu não aceitei"

Gazeta Esportiva

SANTOS - Titular durante o período de recuperação do Santos dentro do Campeonato Brasileiro, o volante Roberto Brum admitiu no começo da noite desta quarta-feira, no CT Rei Pelé, que quase deixou o clube em meio à disputa da competição. Brum, que chegou a Vila Belmiro por indicação do técnico Cuca, revelou que a possibilidade de deixar o time apareceu no mês de agosto, na transição de Cuca para Márcio Fernandes no comando da equipe.

˝Com 15 dias aqui, eu recebi uma proposta para sair e foi do próprio Santos˝, disse, em meio a gargalhadas. ˝Eu fui contratado e não vinha jogando, aí me ofereceram a rescisão de contrato e eu não aceitei. Na época eu pensei: ‘Se foi Deus que me trouxe aqui, será ele que vai me levar? Por isso, decidi ficar˝, lembrou.

O jogador revelou que quando resolveu negar o acordo para deixar o Alvinegro Praiano, abriu mão de receber R$ 300 mil. No entanto, segundo Roberto Brum, Luiz Antônio Ruas Capella, ex-diretor e gerente de futebol santista, falou para o meio-campista que se ele trouxesse uma proposta nos valores em que a rescisão foi proposta, ele estaria liberado pela diretoria para se transferir.

A partir dessa conversa, Brum diz que pediu a dois empresários amigos seus, um alemão e outro brasileiro, para que procurassem agremiações onde ele pudesse continuar sua carreira. ˝Eles trouxeram propostas, uma da Grécia e outra da Turquia. Na hora em que soube disso, liguei para o Capella e disse que tinha a proposta que eles queriam e que eu estava indo embora˝, contou.

Mas, neste espaço de tempo, segundo o próprio atleta, ele começou a atuar entre os titulares, sob o comando do novo treinador e que coincidiu com a subida de produção do Peixe no Brasileirão. ˝Quando o Márcio chegou, eu logo joguei contra o Flamengo. Depois vieram mais duas partidas (São Paulo e Cruzeiro) e eu fui bem. Aí eu apresentei a proposta para o Capella e ele me falou que não ia liberar˝, comentou.

Surpreso com a resposta do diretor alvinegro, Roberto Brum garante que ficou emocionado com a justificativa do dirigente para a mudança de planos. ˝Ali eu vi o esforço da direção para me manter. O Capella me disse que eu era útil e não ia ser vendido porque não tinha preço. Além disso, o Capella me disse que salvar o Santos da queda não tinha preço˝, relembrou.


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo