iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

01/12 - 16:31

Veja quem comemora em 13 campeonatos europeus já encerrados
Torneios que seguem o calendário solar já terminaram: veja quem fez a festa em Rússia e outros países

Trivela.com

SÃO PAULO - Fim de ano significa meio de temporada nas ligas européias, certo? Não necessariamente. Das 53 federações filiadas à Uefa, treze têm campeonatos que seguem o calendário solar, normalmente por causa das exigências climáticas. Nestes países, a temporada 2008 já terminou, definindo os campeões nacionais (em alguns deles também os das copas) e os classificados para as competições européias de 2009/10.

A Trivela preparou um especial para você conferir como foi o ano nas ligas 'solares' da Europa. Confira!

RÚSSIA

Campeão: Rubin Kazan

Vagas européias: Rubin Kazan e CSKA Moscou (fase de grupos da Liga dos Campeões), Dynamo Moscou (2ª fase preliminar da LC), Amkar Perm (4ª fase preliminar da Liga Europa) e Zenit St. Petersburg (3ª fase preliminar da Liga Europa)

Artilheiro: Vagner Love (CSKA), 20 gols

Rebaixados: Shinnik e Luch-Energiya

Promovidos: Rostov e Kuban Krasnodar

Copa da Rússia: termina em 2009

No ano de seu 50º aniversário, o Rubin Kazan fez história e conquistou pela primeira vez o campeonato russo. A equipe apostou em veteranos, como o ucraniano Serhiy Rebrov, o russo Sergey Semak e o sérvio Savo Milosevic. Liderados pelo técnico Kurban Berdiyev, no cargo desde 2001, a equipe se manteve na liderança desde a segunda rodada. Desacreditada no início, foi ganhando força e não pôde ser desbancada pelos grandes do país.

O vice-campeonato ficou com o CSKA Moscou, que teve uma arrancada final espetacular. A equipe contou com a excelente fase de Vagner Love, artilheiro do campeonato, e o talento precoce de Alan Dzagoev, de apenas 18 anos e a revelação da Premier Liga neste ano. Esta foi a última temporada do técnico Valery Gazzaev à frente do CSKA. Ele já havia anunciado que deixaria o cargo.

A novidade positiva da competição foi o retorno do Dynamo Moscou ao nível competitivo. O time terminou na terceira colocação e agora volta às competições européias após seis anos de ausência. Outro que surpreendeu foi o Amkar Perm, que com um time barato, garantiu o quarto lugar. Por outro lado, o Zenit decepcionou. Como no começo do campeonato teve que dividir as atenções com a Copa Uefa (onde conquistou o título), perdeu muito pontos, não conseguiu recuperar e teve que se contentar com o quinto lugar.

Outros grandes do país, como Spartak e Lokomotiv Moscou, fizeram campanha apenas medianas e em 2009 estarão longe da Europa. A próxima temporada, no entanto, terá um fator positivo para todos os clubes: com o rebaixamento do Luch-Energiya, as longas viagens para Vladivostok acontecerão somente na segunda divisão. [GH]

BELARUS

Campeão: BATE Borisov

Vagas européias: BATE Borisov (2ª fase preliminar da Liga dos Campeões) Dynamo Minsk e MTZ-Ripo (1ª fase preliminar da Liga Europa)

Artilheiros: Rodionov (BATE) e Blizniuk (BATE), 16 gols

Rebaixado: Darida

Promovido: Minsk

Copa de Belarus: termina em 2009

O BATE Borisov dominou o campeonato bielorrusso do início ao fim. Mesmo dividindo as atenções com a disputa da Liga dos Campeões, os comandados do jovem técnico Viktor Goncharenko perderam uma única partida em 30 disputadas e terminaram o torneio com 67 pontos. Os atacantes Rodionov e Blizniuk foram os grandes destaques da equipe, tendo dividido a artilharia da competição.

O desnível dos primeiros colocados em relação aos demais participantes é evidente. O vice-campeão Dynamo Minsk somou 62 pontos, tendo ficado cinco à frente do MTZ-Ripo e 11 do Shakhtyor Oligorsk. Do MTZ vem outro destaque da competição, o atacante bielorrusso Artem Kontsevoy, de 25 anos. Quem retorna à primeira divisão em 2009 é o Minsk, que vive na gangorra nos últimos anos. [GH]

NORUEGA

Campeão: Stabaek

Vagas européias: Stabaek (1ª fase preliminar da Liga dos Campeões), Valerenga e Fredrikstad (3ª fase preliminar da Liga Europa) e Tromso (2ª fase preliminar da Liga Europa)

Artilheiro: Daniel Nannskog (Stabaek), 16 gols

Rebaixado: Ham Kam

Promovidos: Odd, Sandefjord, Start (campeonato terá 16 times em 2009)

Campeão da Copa da Noruega: Valerenga

A conquista do título pelo Stabaek se desenhava desde o ano passado, quando a equipe terminou a temporada com o vice-campeonato. O time da pequena cidade de Stabaek, muito próxima à capital Oslo, manteve a base da equipe que já havia chamado a atenção em 2007 e mais uma vez contou com o talento de Alanzinho, destaque da temporada, e Daniel Nannskog, artilheiro da competição.

A aposta de Jan Jonsson em uma formação ofensiva, que deu ao time seu primeiro título nacional, também rendeu ao treinador elogios. Jonsson passou até a ser cogitado para assumir o comando da seleção norueguesa, em crise com seu treinador Age Hareide.

Com a quinta posição na tabela, o Rosenborg, maior campeão do país, foi pelo segundo ano consecutivo a decepção do campeonato. Já o Valerenga, equipe que mais investiu no início da temporada, conseguiu salvar o ano com a conquista da Copa da Noruega, mas fez um péssimo campeonato. [LZ]

SUÉCIA

Campeão: Kalmar

Vagas européias: Kalmar (1ª fase preliminar da Liga dos Campeões), IFK Göteborg (3ª fase preliminar da Liga Europa), Elfsborg (2ª fase preliminar da Liga Europa) e Helsingborg (1ª fase preliminar da Liga Europa).

Artilheiro: Patrik Ingelsten (Kalmar), 19 gols

Rebaixados: Sundsvall, Norrkoping e Ljungskile

Promovidos: Örgryte, Häcken e Brommapojkarna

Campeão da Copa da Suécia: IFK Göteborg

O Kalmar surpreendeu ao conquistar pela primeira vez em sua história o título da Allsvenskan, superando IFK Göteborg e Helsingborg, e tornou-se orgulho de Smaland, região da Suécia onde se localiza a cidade de Kalmar.

Foi uma conquista justa. A equipe comandada pelo técnico Kurt-Arne Bergstrand, que está com moral suficiente para pleitear uma vaga na seleção sueca, que vem sendo questionada, liderou a competição de ponta a ponta e Patrik Ingelsten foi o artilheiro. Parte dos créditos do título também é dada aos brasileiros que passaram pelo elenco durante a temporada, como Daniel Sobralense e Marcel Sacramento, e em anos anteriores, como Ari, hoje no AZ, da Holanda, e o veterano Fábio Augusto.

Com o 12° lugar na tabela, o Djurgarden, uma das equipes mais tradicionais do país, foi a grande decepção. O clube passa por uma grave crise financeira e durante quase toda a temporada lutou para escapar de um desastroso rebaixamento. [LZ]

ESTÔNIA

Campeão: Levadia Tallinn

Vagas européias: Levadia Tallinn (1ª fase preliminar da Liga dos Campeões); Flora e Trans (1ª fase preliminar da Liga Europa)

Artilheiro: Ingemar Teever (Kalju), 23 gols

Rebaixados: TVMK e Vaprus

Promovidos: Kuressaare e Flora Paide LM

Copa da Estônia: termina em 2009

Não se pode falar em surpresa na edição 2008 da Meistriliiga, a principal divisão do futebol estoniano. Pela terceira vez consecutiva, o Levadia Tallinn ficou com o título, ratificando uma supremacia que se verifica desde a sua fundação, há apenas dez anos. O time, que nasceu sob o nome de Levadia Maardu, já acumula seis conquistas, além de outras seis Copas da Estônia.

O amplo domínio do Levadia Tallinn pode ser explicado por se tratar de um time mais estruturado do que os rivais. Se são muitas as dificuldades encontradas por clubes nascidos em épocas recentes – notadamente o problema de formação de torcida – elas são ainda maiores em países onde o futebol não se caracteriza pelo alto nível, como é o caso da Estônia. Por isso, o Levadia sempre trouxe embutida em sua concepção a necessidade de ser, senão a maior, uma das grandes equipes do futebol local. Simbólico disso é que o time conseguiu ser campeão estoniano pela primeira vez já em seu segundo ano de vida (1999). Contribui para a rápida escalada do time a fragilidade da Meistriliiga, que mescla times profissionais com outros semi-profissionais.

O único rival a incomodar o Levadia foi o Flora, que repetiu o desempenho da temporada anterior, terminando como vice-campeão. Até a consolidação do Levadia, era o Flora a grande força da Estônia – no início dos anos 2000, o time conseguira o mesmo feito do Levadia, sagrando-se tricampeão nacional consecutivo. O Flora ainda é, inclusive, o time que mais venceu a Liga (sete vezes). Mas a ascensão do Levadia e a ligeira queda do Flora como os atuais clubes top do futebol estoniano podem ser medidas pelos confrontos travados por eles na temporada: foram quatro encontros, com uma vitória do time de Tallinn e três empates.

Para se ter uma idéia da diferença de nível destes para os demais participantes da Meistriliiga, cabe dizer que TVMK Tallinn, time de terceira melhor campanha, ficou nada menos que 25 pontos atrás do vice-campeão Flora. O ano ainda terminou de forma desastrosa para o TVMK, com a perda da licença profissional e o conseqüente rebaixamento. Melhor para o Trans, que herdou a terceira posição e uma vaga na Liga Europa. [FF]

ARMÊNIA

Campeão: Pyunik

Vagas européias: Pyunik (1ª fase preliminar da Liga dos Campeões); Ararat e Gandzasar (1ª fase preliminar da Liga Europa)

Artilheiro: Marcos Pizzelli (Ararat), 17 gols

Rebaixado: Kilikia

Promovido: Shengavit

Vencedor da Copa da Armênia: Ararat

Octacampeão. Se a condição pode ser considerada apenas um anseio para os franceses do Lyon, ela já é realidade para o Pyunik, a equipe bamba do futebol armênio. Desde 2001, o clube monopoliza as conquistas da Star National Football League, o campeonato local da primeira divisão. Com a confirmação do título desta temporada, o Pyunik já acumula nove títulos nacionais, desde 1992, ano em que se definiu a formato da competição tal como é hoje. É o maior vencedor, seguido – de longe – pelo Shirak, com quatro canecos.

Quando campeonatos nacionais são dominados por uma equipe específica ao longo de anos, tendem a se tornar pouco atraentes em função da previsibilidade. Mas, na temporada 2008 do Campeonato Armênio, a condição do Pyunik como o time a ser batido foi testada com o ‘revival’ do Ararat, tradicional força do futebol armênio, que incomodou o favorito ao longo de toda a competição. Aliás, logo no início da temporada, o Pyunik teve de ver o Ararat ficar com o título da Copa da Armênia, depois deste eliminar justamente o Pyunik nas semifinais (e derrotar o Banants na decisão).

A polarização das duas equipes nos dois principais torneios locais espelha bem o equilíbrio entre essas duas forças do futebol armênio na temporada. Na última rodada da Star National Football League, inclusive, Pyunik e Ararat se enfrentaram, e o segundo levou a melhor, com vitória pelo placar mínimo. O resultado fez com que, caprichosamente, os dois times terminassem o campeonato com a exata mesma pontuação: 59 pontos. Conforme o regulamento, as equipes, então, tiveram de se enfrentar numa “negra”, e o Pyunik não desperdiçou: venceu por 2 a 1 e, repetindo uma rotina iniciada há sete anos, fez a festa. [FF]

CAZAQUISTÃO

Campeão: Aktobe

Vagas européias: Aktobe (1ª fase preliminar da Liga dos Campeões); Tobol (2ª fase preliminar da Liga Europa), Irtysh e Almaty (1ª fase preliminar da Liga Europa)

Rebaixados: Energetik e Atyrau

Promovidos: Kazakhmys e Taraz

Vencedor da Copa do Cazaquistão: Aktobe

A Kazakhstan Premier League – divisão de elite do futebol cazaque – é uma das mais equilibradas entre os torneios nacionais das ex-repúblicas soviéticas. Desde 1992, quando o país alcançou a independência, seis clubes diferentes já conseguiram a façanha de ser campeão na terra de Borat. Na temporada 2008, o Aktobe repetiu a bem-sucedida campanha do ano anterior e ficou com o bicampeonato – terceiro título dos últimos quatro anos.

É a consolidação de um time que, apesar de nascido em 1967, só passou a incomodar seus rivais mais tradicionais em anos recentes – na atual temporada, inclusive, o Aktobe conseguiu até mesmo uma vitória na Liga dos Campeões (na fase prévia), diante do Sheriff, da Moldávia, por 1 a 0 (na partida de volta, no entanto, acabou sendo eliminado). O Aktobe coloca em xeque, assim, a antiga superioridade local do Irtysh, ainda o maior campeão cazaque (cinco vezes), que dominava as conquistas na virada do milênio. Neste ano, o Irtysh ficou apenas na terceira posição, atrás ainda do Tobol, vice-campeão, equipe ainda mais modesta.

Aktobe e Tobol terminaram as 30 rodadas da Liga Cazaque com a mesma pontuação (37 pontos), repetindo o que se passou com Pyunik e Ararat no Campeonato Armênio. Da mesma forma, os clubes tiveram que se enfrentar num “golden match” para a definição de quem vestiria a faixa. O empate por 1 a 1 no tempo regulamentar levou a definição para a loteria dos pênaltis. O Aktobe acertou mais do que errou e, com 4 a 2, confirmou a conquista. A euforia foi ainda maior porque, quatro dias antes, o Aktobe já havia levantado outro título, este inédito: o da Copa do Cazaquistão, ao derrubar o Almaty na final, por 3 a 1 – definindo 2008 como a melhor temporada da história do clube. [FF]

IRLANDA

Campeão: Bohemians

Vagas européias: Bohemians (1ª fase preliminar da Liga dos Campeões), St Patrick’s Athletic (2ª fase preliminar da Liga Europa), Derry City e Sligo Rovers (1ª fase preliminar da Liga Europa).

Artilheiro: Mark Farren (Derry City), 16 gols

Rebaixados: Finn Harps, Cobh Ramblers, UCD

Promovidos: Dundalk

Vencedor da Copa da Irlanda: Bohemians

Depois de seis anos sem levantar a taça da Liga Irlandesa, o Bohemians fez uma temporada impecável. A equipe comandada por Pat Fenlon conseguiu uma série de 27 jogos sem perder, somando apenas uma derrota ao longo de toda a temporada. O time sofreu apenas 11 gols em 29 jogos. Além disso, os ‘Bohs’ também já haviam vencido a copa nacional.

A vitória por 2 a 1, fora de casa, sobre o Drogheda United, que até então era o atual campeão irlandês, somada à derrota do St Patrick's Athletic, seu principal rival, para o Cobh Ramblers deu o décimo título da liga ao clube. O destaque da conquista foi o treinador Fenlon, que confirmou, assim, a sua reputação de melhor treinador irlandês da era moderna, juntando mais um título de campeão aos três que havia conquistado como treinador do Shelbourne , entre 2003 e 2006. [BD]

LETÔNIA

Campeão: Ventspils

Vagas européias: Ventspils (1ª fase preliminar da Liga dos Campeões), Liepajas Metalurgs e Daugava Daugavpils (2ª fase preliminar da Liga Europa), Skonto Riga (1ª fase preliminar da Liga Europa)

Artilheiro: Vits Rimkus (Ventspils), 14 gols

Rebaixado: Olimps Riga

Promovido: Daugava Riga

Vencedor da Copa da Lituânia: Daugava Daugavpils

O Ventspils não possuía nenhum título da Virsliga até 2006, quando conseguiu sua primeira conquista. De lá para cá, a equipe foi tricampeã. Na competição deste ano, desde o início, parecia que o esperado iria se confirmar. Ninguém se mostrava a altura de parar a seqüência de títulos dos Azuis e Amarelos.

Na primeira fase, a equipe do técnico ucraniano Roman Grigorshuk se classificou com quatro pontos a mais que os segundos colocados. Na fase final, em dez jogos, foram sete vitórias, dois empates e apenas uma derrota. Com uma equipe segura, que sofreu apenas 14 gols em todo o campeonato, nenhum adversário foi capaz parar o Ventspils, que também teve o melhor ataque da competição, com 53 gols. [BD]

LITUÂNIA

Campeão: Ekranas

Vagas européias: Ekranas (1ª fase preliminar da Liga dos Campeões), FBK Kaunas (2ª fase preliminar da Liga Europa), Vetra (1ª fase preliminar da Liga Europa)

Artilheiro: Ledesma (Kaunas), 14 gols

Rebaixados: não houve

Copa da Lituânia: termina em 2009

O Ekranas não começou a Lyga com o favoritismo. O rótulo de maior candidato à conquista era do Kaunas, atual bicampeão e dono de sete títulos nos nove campeonatos. Mas, no decorrer da competição, a equipe de Panev??ys impôs seu jogo e conseguiu levantar a taça já na penúltima rodada.

Foi a quarta conquista do Ekranas no campeonato lituano. E o título foi incontestável, pois a equipe do técnico Valdas Urbonas ficou 10 pontos a frente do vice-campeão e teve a melhor defesa da Lyga, com apenas 12 gols sofridos em 28 jogos. [BD]

ISLÂNDIA

Campeão: FH Hafnarfjördur

Vagas européias: FH Hafnarfjördur (1ª fase preliminar da Liga dos Campeões); KR Reykjavík (2ª fase preliminar da Liga Europa), Keflavik e Fram (1ª fase preliminar da Liga Europa)

Artilheiro: Gudmundur Steinarsson (Keflavík), 16 gols

Rebaixados: HK Kópavogs e ÍA Akranes

Promovidos: ÍBV Vestmannaeyjar e Stjarnan

Vencedor da Copa da Islândia: KR Reykjavík

O título do campeonato islandês na temporada de 2008 estava nas mãos do Keflavik. Porém, o time perdeu as duas últimas partidas e viu o FH Hafnarfjördur, por um ponto de diferença, vencer a Urvalsdeild pela quarta vez. Os outros três títulos foram conquistados recentemente, entre 2004 e 2006.

Campeão da última temporada, o Valur perdeu uma série de jogos no final da competição e ficou em quinto lugar. O KR também decepcionou. O time mais tradicional da Islândia e venceu a copa nacional até arrancou nas últimas rodadas, mas terminou em quarto. Em 2008, a competição de dez times passou a ter 12. [PT]

FINLÂNDIA

Campeão: Inter Turku

Vagas européias: Inter Turku (1ª fase preliminar da Liga dos Campeões); Honka Espoo e HJK (2ª fase preliminar da Liga Europa) e Lahti (1ª fase preliminar da Liga Europa)

Artilheiro: Aleksandr Kokko (Honka) e Henri Myntti (Tampere United), 13 gols

Rebaixados: KooTeePee

Promovidos: JJK

Vencedor da Copa da Finlândia: HJK Helsinki

O Inter Turku conquistou o título inédito da Veikkausliiga depois de uma campanha surpreendente, em que teve 15 vitórias e apenas duas derrotas. A equipe arrancou logo no início do campeonato, marcando 22 pontos de 24 possíveis. Antes das duas últimas rodadas, no entanto, o Inter estava empatado em pontos com o Honka Espoo e só foi campeão porque contou com duas derrotas do rival.

A maior decepção ficou por conta do Tampere United. O time, que ganhou as duas edições anteriores da Veikkausliiga, teve um início de campeonato desastroso e terminou apenas na sétima colocação. O HJK Helsinki, maior campeão finlandês e tido sempre como um dos principais candidatos ao título, terminou em quarto, mas ficou com o título da copa finlandesa como prêmio de consolação. [PT]

ILHAS FAROE

Campeão: EB/Streymur

Vagas européias: EB/Streymur (fase pré-preliminar da Liga dos Campeões); HB Tórshavn (2ª fase preliminar da Liga Europa), B36 Tórshavn e NSÍ Runavík (1ª fase preliminar da Liga Europa)

Artilheiro: Arnbjørn Hansen (EB/Streymur), 20 gols

Rebaixados: B71 Sandur e Skála Ítróttarfelag

Promovidos: 07 Vestur e AB Argir

Vencedor da Copa das Ilhas Faroe: EB/Streymur

O EB/Streymur conquistou a Formuladeildin pela primeira vez com uma rodada de antecipação. O artilheiro do campeonato com 20 gols Arnbjørn Hansen garantiu o título marcando três vezes contra o já rebaixado Skála Ítróttarfelag. O atacante, que estava seis partidas sem balançar, as redes abriu o placar nos primeiros minutos da etapa final.

A conquista foi mais do que esperada. Na temporada passada, o EB/Streymur ficou com o vice e, há dois anos, o estava com o título na mão, mas o atual segundo colocado HB Tórshavn o roubou na última hora. [PT]

Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo