iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

20/11 - 11:08

Goleada contra Portugal salva o ano da seleção brasileira
Se não vencesse, time de Dunga fecharia 2008 sem ganhar um jogo em casa e sem marcar um gol sequer diante de sua torcida

Redação iG Esporte e Footstats

SÃO PAULO – Nesta sexta-feira, a seleção brasileira completará um ano desde a sua última vitória em casa pelas Eliminatórias. Na ocasião, o Brasil bateu o Uruguai, no Morumbi, por 2 a 1. De lá para cá foram três jogos, com três empates por 0 a 0 – contra Argentina, Bolívia e Colômbia.

A vitória de virada por 6 a 2 diante de um adversário qualificado como Portugal foi, na opinião do técnico Dunga e dos jogadores, o pagamento de uma dívida que a equipe carregava para com os fãs.

“Sabíamos que não tínhamos jogado bem contra Bolívia e Colômbia, mas sabemos da qualidade que temos e por isso há essa motivação. Cada um que entra tem que mostrar seu melhor, seja em um minuto, seja em 90”, comentou o técnico Dunga, acompanhado pelos seus comandados.

“O Brasil foi merecedor do placar, pois mostrou muita vontade. Estávamos devendo para a torcida. Agora é curtir bem o final de ano e esperar o amistoso contra a Itália”, discursou o goleiro Júlio César, já vislumbrando o primeiro compromisso de 2009, em Londres, diante dos atuais campeões mundiais.

No amistoso diante de Portugal, em Brasília, o selecionado brasileiro, enfim, conquistou uma vitória dentro dos seus domínios e com uma ótima apresentação. Tivemos oito finalizações certas e seis gols por parte do Brasil.
 
Exceção feita a Elano e a Danny, de Portugal, o resto dos jogadores que marcaram na partida converteram em gol 100% das chances que tiveram de finalizar. O atacante Luis Fabiano foi o mais eficiente de todos: três chutes, três gols; o luso Simão Sabrosa também não desperdiçou a sua única chance quando esteve de frente para o gol.

Sabendo que o badalado atacante Cristiano Ronaldo estaria pela frente, a seleção brasileira cercou os movimentos do português, desarmando-o por oito vezes. Grande parte dessa forte marcação foi delegada ao zagueiro Thiago Silva, maior ladrão de bolas do amistoso. O jovem atleta do Fluminense recuperou a posse em seis oportunidades.

No aguardado duelo entre Kaká e Cristiano Ronaldo, o lusitano deu mais dribles (3), foi mais acionado pelos companheiros (34 passes) e teve maior tempo de posse de bola (1 min e 21 seg), mas nada adiantou. O brasileiro, embora tenha números menos expressivos, foi mais contundente e decisivo, dando uma ótima assistência para o segundo gol de Luis Fabiano na partida.

O polivalente Mancini, que entrou no final do duelo substituindo Elano, concordou com o goleiro. “Não foi bom vencer, foi ótimo. Ganhar de um adversário como Portugal aumenta a confiança do time e dá mais entusiasmo e mais credibilidade junto aos torcedores”, raciocinou.

Mais uma vez titular da lateral-esquerda, o santista Kléber engrossou o coro. “O resultado foi fundamental para terminarmos o ano bem. Em 2008 a gente ainda estava devendo uma boa vitória, mas hoje (quarta) todo mundo está de parabéns”.

Estatísticas

Vitórias

Empates

Gols pró

Gols contra

Chutes

Contra Portugal

1

0

6

2

8

Eliminatórias (casa)

0

3

0

0

10


Leia mais sobre: Seleção brasileira



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


EFE

Só deu ele
Atacante Luís Fabiano chutou três vezes contra Portugal, e balançou a rede em todas elas

Topo