iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

18/11 - 19:34

Técnico da seleção quer equilíbrio para encerrar jejum em casa

Seleção tem a última chance do ano para acabar com a desconfiança da torcida nos jogos no Brasil

Gazeta Esportiva

GAMA - Ao empatar sem gols contra a Colômbia, em outubro, no Maracanã, a seleção brasileira completou 312 minutos sem marcar um gol sequer jogando em casa. Nesta quarta-feira, contra Portugal, em Brasília, o time terá mais uma chance de encerrar o jejum e fazer as pazes com a torcida.

Curiosamente, o time canarinho se deu bem nos dois últimos compromissos que fez longe do país: bateu o Chile por 3 a 0 e a Venezuela por 4 a 0, resultados que deixam a equipe de Dunga na vice-liderança das Eliminatórias da Copa do Mundo, mesmo com o recentes vexames em casa.

Para o treinador, a equipe verde-amarela ainda não encontrou o equilíbrio necessário para engatar uma seqüência de boas atuações como visitante e como mandante. “Não é normal ficar três jogos sem marcar em casa, mas também não é normal marcar oito em dois jogos fora. Precisamos encontrar um equilíbrio”, admitiu, dando a receita para encerrar o jejum.

“Temos que tentar jogar dentro de casa da mesma maneira que estamos jogando fora. Aqui os times marcam forte e temos que conseguir perfurar a defesa, vencer as retrancas. Só vamos conseguir isso quando o time tiver uma maturidade. Por isso, procuramos sempre repetir a escalação, sem fazer muitas mudanças”, completou.

Dunga chega ao fim de 2008 sob críticas e desconfiança justamente pela irregularidade do time, que, no mês passado, encheu os olhos da torcida venezuelana ao golear o time local por 4 a 0 em San Cristóbal, mas, três dias depois, ficou no 0 a 0 com a Colômbia num Maracanã com mais de 50 mil pessoas e saiu de campo vaiado. Para Dunga, a culpa é do cansaço.

“É complicado porque jogamos e viajamos logo depois. Os jogadores vêm da Europa, encontram um fuso e uma alimentação diferente. Contra a Colômbia especificamente foi um desgaste enorme, pois jogamos contra uma equipe forte, rápida. Ficamos com a bola, mas não impusemos o nosso futebol. Por mais que falem, futebol sempre acaba no um contra um. Se o jogador não tiver força, não vence. É preciso energia, combustível para queimar”, analisou Dunga.

Nesta quarta-feira, contra Portugal, a falta de tempo novamente pode atrapalhar a equipe. Os jogadores desembarcaram em Brasília segunda-feira e nesta terça fizeram o único treino antes do amistoso. Mesmo assim, Dunga, considera o teste válido. “Sempre ajuda reunir a seleção. É melhor assim do que ficar cinco meses sem jogar”, concluiu o técnico.


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo