iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

18/11 - 21:04

Retrospecto e Beira-Rio são os trunfos do Inter para ir à final

Colorado não perde no seu estádio em competições internacionais desde 2003

Gazeta Esportiva

PORTO ALEGRE - O confronto de volta no Beira-Rio poderia ser mera formalidade, não fosse o adversário. O Chivas é daqueles visitantes incômodos e promete importunar os colorados a partir das 22 horas (de Brasília) desta quarta-feira.

Após vitória por 2 a 0 no México, a casa colorada estará pintada de vermelho e em ebulição para apoiar o clube que pode se tornar o primeiro brasileiro a chegar à final do torneio. O entusiasmo tem motivo. Em 2008, como mandante, o Inter perdeu somente duas vezes, para Juventude e Santos, ambas por 1 a 0, resultado que daria um lugar na decisão.

O número pode ficar ainda mais impressionante. Desde que voltou a competições internacionais, na Copa Sul-americana de 2003, o Colorado ainda não perdeu em seu estádio. São 23 partidas incólume. A última derrota ocorreu na vexatória e longínqua campanha da Libertadores de 1993.

Para não passar de fase, o time de Tite precisará protagonizar cenas de um filme de terror. Somente uma vitória por três gols de diferença ou por dois, a partir do 3 a 1, habilita os mexicanos para serem finalistas. Caso a derrota colorada seja por 2 a 0, a vaga será decidida nos pênaltis. Todos os outros resultados garantem o Inter na briga pela taça.

O único “porém” de todo o enredo chama-se Chivas. Os mexicanos venceram todos os seus jogos em território inimigo nesta Sul-americana. Entre os anfitriões batidos estão o tradicional River Plate e o Atlético-PR. “Vamos jogar com muita gana, ordem, intensidade. O Inter tem grandes jogadores, mas o Chivas também é um grande time”, afirmou o técnico Efraín Flores, que só seguirá no cargo caso elimine o oponente.

No meio do caminho de Inter e Chivas existem duas seleções para atrapalhar as escalações. A brasileira tirou Alex dos gaúchos, apesar da incansável tentativa da direção em conseguir a liberação do jogador. E a mexicana chamou o centroavante Arellano, o homem-gol do Chivas.

Para substituir o artilheiro colorado em 2008, Tite irá escalar o garoto Taison, que ao lado de Nilmar fará o ataque colorado trabalhar em alta velocidade. Se Alex é a ausência, D’Alessandro retorna à equipe após ter sido acometido de uma infecção intestinal que o deixou de fora do primeiro embate.

“Todo mundo está muito focado no objetivo. Vai ser uma partida difícil, com um adversário que vai se projetar ao ataque', analisou o lateral Marcão.

No Chivas, o substituto de Arellano será Medina. Sua presença como titular é aclamada pela imprensa mexicana, mesmo se Arellano tivesse condições de jogo. Na defesa, a ausência será de Ocampo, lesionado. Olvera ganhará a chance de começar o confronto decisivo.

O adversário de Inter ou Chivas na final da Sul-americana sairá do confronto entre Argentino Juniors e Estudiantes, que definem o finalista na quinta-feira. A partida de ida terminou empatada por 1 a 1.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL X CHIVAS


Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data: 19 de novembro de 2008, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Óscar Ruiz (Colômbia)
Assistentes: Abraham González e Humberto Clavijo (ambos da Colômbia)

INTERNACIONAL: Lauro; Bolívar, Índio, Álvaro e Marcão; Edinho, Guiñazu, Magrão e D’Alessandro; Taison e Nilmar
Técnico: Tite

CHIVAS: Hernández; Mejía, Reynoso e Olvera; Esparza, Araujo, Báez, De La Mora e Morales; Medina e Santana
Técnico: Efraín Flores


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo