iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

18/11 - 09:59

Ordem no Verdão: trabalhar e evitar exposição até dezembro
"É o momento de ficar concentrado no trabalho", decretou o diretor de futebol Genaro Marino

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Os acontecimentos dos últimos dias envolvendo torcedores e o técnico Vanderlei Luxemburgo deixam o Palmeiras em estado de cautela. Após reuniões para analisar o assunto, os dirigentes do Verdão chegaram a uma conclusão: todos no clube devem treinar com desejo e se resguardar até o fim do Campeonato Brasileiro.

"Pedimos para que jogadores e integrantes da comissão técnica evitem uma exposição nas próximas duas ou três semanas. Não é preciso sair para qualquer tipo de lugar, ir a lojas no shopping. É o momento de ficar concentrado no trabalho", decretou o diretor de futebol Genaro Marino.

A direção do Palmeiras evita falar em um esquema especial na Academia de Futebol na reapresentação do elenco nesta terça-feira. Porém, haverá mais seguranças do clube presentes junto aos atletas até o fim da competição. O Verdão atua mais três vezes, contra Ipatinga (casa), Vitória (fora) e Botafogo (casa).

A preocupação da direção alviverde é que o clima de terror sobre Luxemburgo tenha efeito nos jogadores na reta final do Campeonato Brasileiro. Na derrota contra o Flamengo, dirigentes do Palmeiras já observaram o elenco abatido, mesmo com o clube ainda na briga até pelo título nacional.

"Não queremos blindar ninguém agora, mas já passamos aos jogadores no domingo à noite o nosso conselho de evitar qualquer tipo de exposição. A gente sabe que os atletas podem ficar receosos com essa situação", confirmou Genaro Marino.

Mas será que a pressão feita pela torcida pode amedrontar jogadores importantes a permanecer no Palmeiras em 2009? Genaro Marino descarta. "Preferimos paralisar as conversas de renovação até pelo momento que vivemos, mas não acho que haverá um efeito negativo nas negociações", opinou Genaro Marino.


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo